USDA surpreende e reduz estoques de soja da safra americana. Chicago passa a especular tamanho da oferta nas próximas safras

Publicado em 30/09/2019 17:48 e atualizado em 30/09/2019 19:40
5743 exibições
Com a atual redução dos estoques e uma limitação da oferta por problemas climáticos , mercado já calcula encerrar o ano comercial de 2020 com 15 milhões de toneladas podendo chegar a 2021 com estoques de apenas 4 milhões de toneladas de soja nos EUA
Marcos Araújo - Analista da Agrinvest

Podcast

Entrevista com Marcos Araújo - Analista da Agrinvest sobre o Fechamento de Mercado da Soja

Download

LOGO nalogo

O mercado da soja fechou esta segunda-feira (30) com altas entre 18 e 23 pontos, com novembro/19 a US$ 9,06 e março/20 a US$ 9,30. As altas são um reflexo do relatório de estoques trimestrais do USDA, que apresentou um total de 24,8 milhões de toneladas, número 7% abaixo que o esperado pelo mercado. Segundo Marcos Araújo, analista da Agrinvest, a redução terá um grande impacto nos estoques finais para os próximos anos nos Estados Unidos.

Veja também: Estoques trimestrais de soja vem abaixo do esperado pelo mercado e preços disparam na CBOT

O analista explicou que, apesar de ser um dos maiores da história americana, os estoques apresentados no relatório terão impacto na oferta das próximas safras. Para o final do ano financeiro 19/20, que nos EUA se encerra em agosto, ele estima que os estoques fiquem em 15 milhões de toneladas. Nessa mesma tendência, os estoques finais para o ano comercial 20/21 ficaria em torno de 4 milhões de toneladas.

A menor oferta de soja será um reflexo de uma possível migração do produtor rural americano, que deve dar preferência para o plantio do milho na próxima safra. Dependendo de como for o avanço da safra de soja brasileiro, o cenário de ofertamundial da oleaginosa poderá se agravar. "Estamos vivendo uma transição, aonde o mercado trabalhará com estoques mais apertados", diz Araújo.

Acompanhe o fechamento da soja: Em Chicago, cotação da soja fecha a 2ª feira com fortes altas após dados do USDA

Para o milho, em função de uma oferta reduzida, o analista prevê bons preços nos primeiros meses de 2020. Porém, com o aumento previsto para as áreas de plantio nos Estados Unidos, o produtor rural brasileiro poderá ter dificuldade em conseguir bons patamares de preço no segundo semestre.

Acompanhe o fechamento do milho: Milho fecha a segunda-feira com grandes altas impulsionadas após USDA reduzir os estoques

Por: Aleksander Horta e Ericson Cunha
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • miriam zanfra durks Lagoa da Confusão - TO

    Não acho que esse estoque seja surpresa.., só estao revelando agora o que já era sabido. Só estavam tentando segurar o mercado em baixa pra ver se atraiam os chineses...

    Em alguma hora os verdadeiros numeros teriam que aparecer, e a hora chegou!!!

    1
    • Liones Severo Porto Alegre - RS

      Realmente não foi surpresa. Como a safra passada encerrou dia 31 de agosto, eles apenas descontaram os volumes de soja e milho atingidos pelas enchentes do mês de maio, no quadrante norte do cinturão oeste.

      0