Por que o mercado avalia o produtor pela produtividade e não pelo que sobra? pergunta Paulo Nicola

Publicado em 06/07/2020 18:21 e atualizado em 17/07/2020 11:30 4250 exibições
Paulo Roberto Nicola - Empresário e Produtor Rural na Região de Santiago/RS
Entrevista com Paulo Nicola, empresário e produtor rural de Santiago/RS

MAIS VÍDEOS COM PAULO NICOLA SOBRE MERCADO DA SOJA E GESTÃO FINANCEIRA, clique aqui

Podcast

Por que o mercado avalia o produtor pela produtividade e não pelo que sobra?

Download

LOGO nalogo

Recentemente, soja voltou a ultrapassar 9 doláres/buschel em Chicago, elevando os preços nos portos brasileiros a 10 dólares/buschel (ao se adicionar os premios de entrega). Já na roça, fazendo o cambio e retirando o custo do frete, o preço chegou, na média, acima de R$ 100 a saca. Por isso é espantoso saber que, apesar das altas cotações, ainda muitos produtores acabam falindo e entregando suas lavouras para quem tem liquidez nas mãos.

Para o produtor rural e empresário Paulo Nicola (de Santiago/RS), esse fato não é exceção e, infelizmente, está atingindo muitos produtores que estão sem saída, a não ser entregar suas propriedades e lavouras para arrendatários que tem dinheiro nas mãos.

--" Falta gestão financeira nas propriedades", sentencia ele. "O pessoal está sempre correndo atrás, e parece que nunca sobra dinheiro. No entanto o negócio soja é o mais lucrativo que temos no País; basta fazer o controle do custo e acompanhar o mercado para vender sempre que o lucro aparece".

Comparando seus dados com as médias de preços e de produtividade, Paulo Nicola diz que é preciso mudar a cultura da produção brasileira. "Precisamos deixar de focar as altas produtividades e darmos importancia na quantidade de sacas que sobra para o produtor".

Nicola ensina que, mesmo em anos de baixas produções, ele sempre retira acima de 10 sacas de lucro. Qual a mágica? "simples, responde, basta guardar as sacas que vc colhe acima da média nos anos bons para equilibrar com os anos de safra ruim". Mas, como saber a hora de comprar e vender? Paulo responde: "anotando, fazendo contas simples, coisas que qualquer um pode fazer em sua propriedade, e isso é a base da administração financeira" .

A partir desta entrevista, Paulo Nicola (autor de dois livros sobre gestão "A Lógica da Economia Rural", e "Lucre Sempre com a Soja"), está se proprondo a realizar uma série de entrevistas ao Notícias Agrícolas para aprimorar aquilo que mais falta ao sojicultor brasileiro, a gestão financeira de sua propriedade.

-- "É espantosa a quantidade de gente que está no risco, mesmo com os preços excepcionais que estamos vivenciando. Por isso é bom prestar atenção nas contas", adverte o mais novo colaborador do Notícias Agrícolas. 

(A nova abordagem sobre a administração financeira está marcada para a próxima sexta-feira, 17 horas, ao vivo. Acompanhem).

Fonte:
Notícias Agrícolas

4 comentários

  • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS

    Está entrevista é muito importante para os produtores rurais... e também deveriam assisti-la os técnicos agrícolas, agrônomos, vendedores de máquinas e gerentes de bancos, enfim toda a cadeia de soja... Há muito tempo eu venho falando nessa questão dos custos.... Sobre a questão dos maquinários aqui no Rio Grande, alguns produtores compram no impulso. Muito importante a sua mensagem, sr. Paulo Nicola, e tenho uma pergunta: como deve ser contabilizado o maquinário agrícola/investimento? Ativo? Passivo? Será que, em alguns casos, não seria melhor terceirizar?

    0
    • André de Quadros

      O gerente quer emprestar o dinheiro porque o banco ganha com isso. O vendedor quer vender porque ganha com isso. Eles não estão preocupados com quem assume a conta, pois terá garantia... O culpado é o produtor, que precisa ser mais profissional nesta hora...

      0
  • Guilherme Frederico Lamb Assis - SP

    Excelente exposição de fatos... Um outro mecanismo de prevenção a prejuízos que a gestão proporciona é conseguir, através do planejamento, ter previsibilidade das receitas e despesas... e assim controlar os gastos de acordo com a capacidade do fluxo de caixa da empresa. (...) Mas isso só é possível tendo um controle de caixa digitalizado, contendo todas entradas e saídas - inclusive as futuras -, para assim ter uma previsão de despesas precisa.

    0
  • dejair minotti jaboticabal - SP

    Excelente entrevista, parabéns pelo conteúdo.

    0
  • Gustavo Ribeiro Rocha Chavaglia Ituverava - SP

    Precisamos ser produtores de resultados, e não de recordes ....

    0
    • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

      Porque o mercado quer vender... e nada interessa a ele se dá lucro ou não.

      0