Zilor mantém banco de parcerias, mas base fixa de 24 ‘franqueados’, com média de 82/t por hectare, está fechada por enquanto

Publicado em 24/04/2018 10:54 1917 exibições
Denis Arroyo - Diretor Agrícola Grupo Zillor
Modelo de concentração de produtores, que já foi de 32, em terras arrendadas até da própria empresa, garante segurança e previsibilidade na produção diferenciada e remuneração acima de Consecana, com alguns produtores que já ultrapassaram a cana de três dígitos. Em 18/19 10,5 mi/t, mais 2-3% anterior, com 600 mil/t de açúcar e 500 milhões/l de etanol.

Podcast

Parcerias usinas X Produtores, com Denis Arroyo - Diretor Agrícola Grupo Zillor

Download

 

LOGO nalogo

Localizado na região de Lençóis Paulistas/SP, o grupo Zilor está buscando aumentar o número de parcerias no setor sucroenergético. A empresa contava com 32 parceiros, porém com a mecanização das lavouras o número caiu para 24 parcerias.

De acordo com o diretor agrícola do grupo Zilor, Denis Arroyo, a empresa começou com as parcerias no ano de 1999, em que foi observado que os produtores de cana-de-açúcar tinham uma produtividade mais eficiente do que nas usinas. “Em 2004, o grupo teve a decisão de passar 100% das usinas para o modelo de parceria agrícola, sendo que nós completamos 15 anos utilizando esse sistema”, comenta.

Até o momento, o modelo de parcerias vem atendendo as exigências do grupo em produtividade, as condições socioambientais e liberdade de abastecimento. “Hoje, nós não temos dúvidas que este modelo beneficia ambos os lados, mesmo quando as regras do setor se alteram”, afirma.

Ainda segundo o diretor, são os parceiros que definem as tecnologias usadas nas lavouras, plantio e manejo. Tendo em vista, que a empresa apenas faz o arrendamento de terras próprias para a produção. “Nosso papel é sempre ajudar esse parceiro para que ele possa ser cada vez mais produtivo. Então, nós fazemos o fomento e organizamos isso por blocos”, destaca.

Em relação à produtividade, a média do grupo tem ficado acima do potencial produtivo da região que é de 78 toneladas por hectare. “Nós temos um benefício relacionado ao rendimento, que o principal na minha visão, que isso se reflete em lucro”, ressalta.

Confira também:

>> Preço da cana por eficiência sem Consecana justo pode alijar milhares de produtores sem condições de investir

Por:
Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário