Boi Gordo: Viés de alta não se consolidou e há muita especulação no mercado

Publicado em 02/09/2016 18:09
476 exibições
Alex Santos Lopes da Silva
zootecnista
Scot Consultoria

Há muita especulação, poucos negócios e, gradualmente, isso vai melhorando o resultado das indústrias. Estoque enxuto de carne ajusta o mercado à demanda atual, que, inclusive, tende a melhorar agora no começo do mês, e permite incremento das margens.

Desde março o mark up dos frigoríficos não chegava aos 17,0%.

A manutenção deste cenário de compras “devagar”, com oferta curta de boiadas, ao contrário do que era esperado, tem ajudado os frigoríficos. A partir do momento em que resistem em pagar mais, as escalas andam lentamente, a produção de carne não cresce e isso melhora o posicionamento delas no mercado, agora que já assumiram um nível de ociosidade elevado.

Em São Paulo, seguem ofertas de compra no mercado spot de, no máximo, R$150,00, à vista, mas têm ocorrido negócios por até R$152,00/@.

Esse cenário de negócios acima da referência se repete em praticamente todo o país, quase sempre puxado pelas indústrias de menor porte.

A “cara” do mercado não é de baixa, mas o viés de alta não se consolidou.

No mercado atacadista de carne bovina, preços estáveis depois das altas seguidas, tanto para as peças com osso quanto para os cortes desossados.

Clique AQUI e confira as cotações do Boi.
Fonte: Scot Consultoria

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    É engraçado isso, desde 20 de junho o preço do boi no contrato setembro vem caindo, depois de atingir 165 reais, hoje está em em 147, e a "cara" do mercado é de alta? Não tem viés de alta nenhum, o contrato setembro está em tendência de baixa no curto, no médio e no longo prazo. Pode inverter? Pode, mas até agora nenhum sinal disso. As pessoas costumam pensar que no mercado financeiro todos ganham dinheiro, mas não é assim que funciona. Em junho alguns espertos compraram contratos setembro acima de 160 reais pensando que o preço do boi subiria até a lua, outros mais burros um pouco olharam os dados, renda caindo, preço do traseiro a mais de 30 o quilo ao consumidor, pensaram que o preço iria cair pelo simples fato de que os brasileiros não teriam como comprar carne, alguns ainda pensam que uma pessoa pode mandar cortar a energia elétrica de sua casa para ter dinheiro para comer mais carne, são uns imbecis que não se deram conta do padrão de consumo que foi criado no Brasil. O mercado financeiro que na atual conjuntura determina os preços tem seus perdedores e entre eles estão sempre aqueles que pensam que os preços podem subir indefinidamente.

    0