Boi Gordo, por Scot Consultoria: Consumo interno sem força

Publicado em 13/05/2020 17:02 217 exibições

Lucas Souza

engenheiro agrônomo 

Scot Consultoria

Conjuntura 

Com o consumo interno sem força, e a compra de boiadas pelos frigoríficos “sem gás” para atender a esse consumo, a oferta de bovinos é o fator de oscilação de preços. 

Em boa parte das regiões de pecuária monitoradas pela Scot Consultoria, a queda da capacidade de suporte das pastagens em função do clima tem provocado um aumento de oferta de gado gordo.

Nesse cenário, sem a necessidade de alongar as escalas, as indústrias testam o mercado e, em alguns casos, os negócios têm sido fechados em valores menores na comparação dia a dia.

O contraponto é o mercado externo, com destaque para bovinos de até quatro dentes destinados ao mercado chinês, cujas ofertas de compra são de até R$10,00/@ acima da referência.

Dourados-MS

Em função desse quadro a cotação do boi gordo caiu em Dourados-MS em relação ao fechamento de ontem, 12 de maio. A queda foi de 1,1% ou R$2,00/@.

Na região, a cotação do boi gordo está em R$176,00/@, à vista, valor bruto, R$175,50/@, à vista, com o desconto do Senar e em R$173,00/@, livre de impostos (Senar + Funrural). 

Covid-19 e o consumo interno

O Indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu 4,2% em abril comparado a março, ficando em 95,6 pontos. Esse é o menor valor desde novembro de 2019.

Antes da gripe, em fevereiro, o índice estava em 99,3 pontos e fora o maior patamar desde abril de 2015.

Fonte:
Scot Consultoria

0 comentário