Café: Contratos recuaram em NY refletindo embarques brasileiros, dólar e colheita da nova safra

Publicado em 22/05/2015 18:00
O mercado de café começou a semana firme, em alta, aparentando que o movimento iniciado na semana anterior iria continuar. Na segunda-feira, os contratos com vencimento em julho próximo na ICE Futures US em Nova Iorque fecharam com alta de 490 pontos, enquanto o dólar se valorizou e voltou a romper a barreira dos três reais. Esse quadro influenciou o mercado físico brasileiro, os compradores melhoraram as ofertas e muitos negócios foram fechados. Na terça-feira essa tendência não se confirmou, as cotações na ICE voltaram a cair, iniciando um movimento que persistiu até hoje, com as cotações dos contratos com vencimento em julho acumulando um recuo de 1130 pontos na semana. 

Essa baixa reflete os bons embarques brasileiros nesta entressafra, o início dos trabalhos de colheita da nova safra e o fortalecimento do dólar frente ao real que persistiu durante todo o período com a dificuldade encontrada pelo governo federal para aprovar no congresso as medidas necessárias ao ajuste fiscal.

Sempre que acontece uma alta significativa do dólar frente ao real como agora, os especuladores em Nova Iorque derrubam as cotações do café tentando se apropriar da valorização da moeda americana.

Apesar dos bons números das exportações brasileiras, os estoques nos países consumidores não sobem significativamente, o consumo mundial continua em alta e no próximo ano-safra 2015/2016 o Brasil dificilmente repetirá os números de 2014/2015. Para abastecer nosso consumo interno e as exportações brasileiras, mesmo que menores, precisaremos de todo o café que agora começamos a colher e os preços deverão se manter em patamares remuneradores para os cafeicultores brasileiros. Como sempre, teremos semanas como esta, com os preços pressionados, mas com paciência os cafeicultores venderão bem sua nova safra.

Muitos “traders” e compradores de nossos cafés estão no Brasil. Eles participaram na segunda e terça-feira da programação da 6ª edição do “Fórum & Coffee Dinner” encontro promovido pelo CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil. Aproveitam a vinda ao Brasil para visitarem regiões cafeeiras e pessoalmente colherem informações sobre o estado das lavouras e expectativa de produção na nova safra 2015/2016 e na próxima safra 2016/2017.

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 5.204.078 em 30 de abril de 2015. Uma alta de 168.969 sacas em relação as 5.035.109 sacas existentes em 31 de março de 2015.

Até o dia 21, os embarques de maio estavam em 1.106.715 sacas de café arábica, 224.028 sacas de café conillon, mais 74.566 sacas de café solúvel, totalizando 1.405.309 sacas embarcadas, contra 1.972.897 sacas no mesmo dia de abril. Até o dia 21, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em maio totalizavam 1.871.588 sacas, contra 2.420.471 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 15, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 22, caiu nos contratos para entrega em julho próximo, 1130 pontos ou US$ 14,95 (R$ 46,06) por saca. Em reais, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 15 a R$ 545,71 por saca e hoje, dia 22, a R$ 517,39 por saca.

Hoje, nos contratos para entrega em julho a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 150 pontos.

Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário