Feijão: As referências do nota 9 R$ 160 e nota 8 R$ 125,00

Publicado em 11/04/2014 16:00 1051 exibições

Feijão Carioca: Essa semana a colheita em Santa Catarina, na região de Campos Novos, infelizmente em consequência das chuvas não conservou a qualidade atingida por algumas cargas no início da colheita. Junto com Vacaria, no Rio Grande do Sul, colaborou para aumento do volume de feijões comerciais. Sem alternativa, uma vez passado pelos secadores sempre há severa perda da cor, essencial para a venda e valorização por parte dos empacotadores. Para esse produto só há uma alternativa: AGF da CONAB. Em todas as regiões de produção esses feijões chegaram entre nota 7/7,5 e os preços ao produtor estão entre R$ 65/75 nominal, pois não existe demanda. Já próximo à Brasília, a região de São João de Aliança consegue ser o único lugar com maior volume de nota 8,5 acima. Ontem aconteceram negócios entre R$ 135, mas a maior parte foi negociado por R$ 140. Em geral os empacotadores sinalizam que a venda não se eleva nesse período do mês, portanto aguardam queda nos preços. Nessa sexta feira houve entrada de cerca de 7.000 sacos com sobras de 7.000 na bolsinha as 07h30min. As referências foram para o nota 8 R$ 125,00; nota 7 R$ 105,00. Feijões 9 ou melhor foram negociados por R$ 160.  

Feijão Preto: Os compradores de supermercado estão lidando mais uma vez com pouca demanda de diversos produtos. Assim, juntando isso com a maior oferta no Rio Grande do Sul e ofertas de produtores que estavam armazenando no Paraná, deixa o mercado com oferta maior que a demanda. Os preços se movimentam para R$ 150/155 FOB fazenda,  granel e à vista. Nos cerealistas a indicação é R$ 160/165 FOB Paraná. Na capital paulista foi vendido por R$ 190.

Confira mais informações sobre o mercado no site da Correpar

Tags:
Fonte:
Correpar

0 comentário