Feijão: Produtores aguardam os R$ 400,00 e com boas informações se protegem de blefes

Publicado em 05/09/2016 18:05
356 exibições

Durante o final de semana, diversos produtores em Minas Gerais e em Goiás relataram que tiveram consultas.

As vendas da sexta-feira variaram muito de acordo com o prazo e detalhes de classificação, mas se mantiveram entre R$ 360,00/370,00.

A ideia é pedir R$ 400,00 para feijão carioca nota 9 e peneira boa. Há boa possibilidade, se consideramos a quantidade que será ofertada durante a semana e a possível demanda.

Porém, é preciso o mercado estar imunizado contra os blefes e isso só é possível com boas informações. Quantos produtores têm hoje a informação correta sobre como realmente está o mercado?

Vamos lá, começando pela matemática: Minas Gerais e Goiás já ultrapassaram os 80% colhidos. No Mato Grosso, as chuvas atrapalharam a colheita, mas devem dar uma trégua agora.

Por outro lado, a região mais importante em volume, que é a região norte, colheu, estima-se, 30% e comercializou algo próximo a 25%. É interessante ter em mente que o feijão carioca que se colhe lá, grande parte é de variedades de escurecimento lento, o que facilita. Portanto, há boa possibilidade de administrarem a venda.

Em São Paulo, na região do Brás, houve oferta de 28.000 sacas e sobravam 18.000 às 7h30. Os preços praticados foram: R$ 380,00 para o nota 9/9,5, R$ 360,00 para o nota 8,5 e R$ 350,00 para o nota 8.

Por vezes, se diz que o mercado depende do produtor. Mas esta decisão só pode ser tomada com dados corretos.

Em cima dos dados é que se pode concluir uma coisa ou outra. 

Por isso, foi desenvolvido o aplicativo Clube do Grão (Android e Apple). Nele, o produtor coloca sua área a ser colhida e quando será colhida e não tem seu nome divulgado.

Tomar decisões com informações direto dos produtores é o que tem feito a diferença.

Para os produtores de Minas Gerais e de Goiás há unanimidade de que estarem juntos no WhatsApp Clube Só Feijão representou R$ 50,00 a mais, em média, por saca, nestes últimos 60 dias.

Agora os produtores do Mato Grosso também têm participado e postado as informações. Saber o que vai ser colhido nos próximos 90 dias é um objetivo plenamente alcançável.

Para saber mais sobre o mercado de feijão acesse o site do IBRAFE

Tags:
Fonte: IBRAFE

Nenhum comentário