Safra 2012/13 do Brasil não deverá inundar o mercado, aponta OIC

Publicado em 24/03/2012 21:06 616 exibições
A grande safra do Brasil, principal país produtor da commodity, esperada para este ano ficará dentro das necessidades mundiais, de acordo com o diretor executivo da Organização Internacional do Café (OIC), Robério Silva.
"Nós esperamos que a demanda continue firme", disse Silva nos bastidores da conferência anual da Organização Nacional do Café. Portanto, é improvável que a safra do país inunde o mercado.

Segundo o diretor executivo da OIC, o Brasil deverá produzir um pouco mais de 50 milhões de sacas de 60 quilos na safra 2012/13. As informações partem de agências internacionais.
Fortes vendas de Fundos derrubaram o mercado na semana
Os mercados de commodities, de maneira geral, tiveram fortes quedas na semana. A pressão veio da divulgação de indicadores negativos em relação à economia da China, que motivou liquidações de posições e vendas especulativas na semana.
Em relação às demais commodities, o café até resistiu bem, mas, na última quinta-feira (22), fortes vendas de fundos levaram o mercado a negociar o contrato maio/12, na Bolsa de Nova York, abaixo de US$ 1,80, o que acionou liquidação de posições e novas vendas, levando a posição a perdas ainda mais fortes. Apesar de uma leve recuperação nesta sexta-feira (23), o referido contrato encerrou a semana cotado a US$ 1,7875, com queda de 1,43%.
Do lado dos fundamentos, as posições dos estoques de café no Brasil e nos países importadores continuam diminuindo e podem chegar a níveis críticos no final da entressafra. Nesta semana, a Federação Europeia de Café divulgou o volume de estoques nos portos do Continente ao final de janeiro. Foi registrado um recuo de 343.424 sacas, com o total armazenado ficando em 9,689 milhões de sacas.
Somado a isso, o Ministério da Agricultura divulgou, também na quinta-feira, seu Informe Estatístico de Café referente a fevereiro. Segundo o balanço, as exportações nacionais, no mês passado, novamente ficaram bem abaixo dos níveis verificados nos últimos três meses de 2011, atingindo 2.230.560 sacas, o que, com certeza, contribuiu para a queda dos estoques que vem sendo verificada nos países importadores.
Apesar da safra de ciclo alto do Brasil poder colaborar para a recuperação dos estoques mundiais de café, de acordo com um relatório divulgado pelo grupo Societe Generale, o excedente produzido no próximo ano safra deverá ser inferior a 1 milhão de sacas. Considerando esta informação, vemos que a posição para o próximo biênio continua favorável em termos de preços. Por esta razão, continuamos orientando os produtores a terem cautela na comercialização neste momento de baixa no mercado, aguardando melhores oportunidades, as quais devem surgir até o final desta entressafra.
Outra informação que poderá ajudar a recuperação dos preços na próxima semana será o posicionamento dos fundos. Após as recentes quedas verificadas no café, o relatório de hoje da U.S. Commodity Futures Trading Comission apontou que eles possuem uma posição short (vendida) de 28.863 contratos — 46.223 long (comprados) e 66.617 vendidos —, o que pode favorecer a reversão do mercado no momento em que as recompras forem acionadas.
Brasília, 23 de março de 2.012.
SILAS BRASILEIRO
Presidente Executivo do CNC
Tags:
Fonte:
CNC/Safras

0 comentário