Publicidade

Moradores deixam posto da Mata em MT e se revoltam contra o Governo Dilma

Publicado em 03/01/2013 11:39 e atualizado em 01/03/2020 15:16 4832 exibições
A desintrusão dentro do Distrito Estrela do Araguaia tem prazo final determinado pela Operação de retiradas das famílias até esta sexta-feira (04). Reportagem da Tv Araguaia mostra que a cena mais comum dentro do Distrito é de casas sendo desmanchadas, caminhões carregados com mudança, e muita mais muita revolta pela população -- que se sente injustiçada com a decisão de transformar a área dos 165 mil hectares da Suiá Missu em reserva Indígena Xavante denominada Marawatsede.

A reportagem do site Agência da Notícia (que está fazendo a cobertura da desintrusão desde o dia 03 de dezembro), tem acompanhado o processo, e foi a única equipe a presenciar o momento em que a Polícia tomou o Posto da Mata, jogando bombas, e causando desespero na população.

Algumas pessoas que moram no Posto da Mata estão com dificuldades para deixar o local porque vivem em situação extrema de pobreza, elas alegam não ter pra onde ir e nem dinheiro para fazer a mudança. A FUNAI informou que está com mais de 50 mudanças agendadas para serem retiradas do Distrito. 


Porém há mais de 20 dias de operação embora a FUNAI diga que está cadastrando pessoas que se enquadram no perfil de reforma agrária, não há nenhuma acomodação às famílias feita pela FUNAI ou pelo Governo Federal --, literalmente as pessoas estão sendo jogadas nas ruas. Quem não tem para onde levar a mudança a ordem é levar para a base militar.

A FUNAI já avisou também que quem não sair até esta sexta-feira terá os bens confiscados além de correr o risco de ser preso por 2 anos e responder por desobediência à Justiça.

Quanto ao cemitério de Estrela do Araguaia, onde dezenas de corpos estão sepultados não há nenhuma explicação sobre o que será feito com os corpos que estão alí, já que a terra foi decretada reserva indígena e o branco teoricamente não poderá entrar dentro da reserva.

Assista matéria em vídeo feito pela equipe do Agência da Notícia.


No G!-MT (Tv Centro America):

Termina nesta sexta desocupação de vila erguida em área indígena de MT

Prazo dado para desocupação de Posto da Mata encerra nesta sexta-feira.
Após conflitos, território de Marãiwatsédé será entregue aos xavantes.

Do G1 MT

Agentes da Força Nacional de Segurança usaram bombas de gás para cercar vilarejo (Foto: Agência da Notícia)Agentes da Força Nacional de Segurança usaram bombas de gás para cercar vilarejo (Foto: Agência da Notícia)

Termina nesta sexta-feira (4) o prazo para que os não índios desocupem o vilarejo de Posto da Mata, no município de Alto Boa Vista, a 1.064 quilômetros de Cuiabá. De acordo com a Associação de moradores da Gleba Suiá Missu, mais da metade das famílias já tinham deixado o distrito até esta quinta-feira (3).

Homens das Forças Federais de segurança estão na região para garantir o cumprimento da decisão judicial que determina a desocupação do local. Os moradores que não saírem da área, que foi considerada pela Justiça como sendo dos índios xavantes, vão ter os bens confiscados e podem responder pelo crime de desobediência.

Publicidade

O cumprimento dos mandados de desocupação está sendo feito entre oficiais de justiça, equipes da Força Nacional - Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Exército - além de representantes do governo federal. Desde então, vem ocorrendo vários conflitos entre os não-índios e policiais.

Na área em conflito faltam alimentos e medicamentos, segundo o membro da Associação dos Moradores, José Melo. "Está muito difícil a situação aqui, mas todos vão sair. As pessoas estão desmanchando suas casas para irem embora", declarou o morador.

Revoltados, os moradores fecharam a BR-158 e MT-242, principais rotas de acesso aos municípios de Alto Boa Vista, Confresa ePorto Alegre do Norte. O tráfego de veículos ficou prejudicado. As famílias estão sendo cadastradas e as que atenderem as exigências do Incra podem ser instaladas em projetos de assentamento da reforma agrária.

Desocupação

Marãiwatsédé Índios (Foto: Reprodução/TVCA)Marãiwatsédé será devolvida aos xavantes após
desocupação (Foto: Reprodução/TVCA)

O processo de desocupação dividiu a Terra Indígena de Marãiwatsédé, do povo Xavante, em quatro áreas. Pelo plano, serão desocupadas primeiro as grandes propriedades, seguidas pelas médias e pequenas. A comunidade de Posto da Mata será a última a ser desocupada.

A área em disputa tem uma extensão aproximada de 165 mil hectares. Ainda de acordo com a Funai, o povo xavante ocupa a área Marãiwatsédé desde a década de 1960. Nesta época, a Agropecuária Suiá Missu instalou-se na região. Em 1967, índios foram transferidos para a Terra Indígena São Marcos, na região sul de Mato Grosso, e lá permaneceram por cerca de 40 anos.

Para ler mais notícias de Mato Grosso, clique em g1.globo.com/mt.

Tags:
Fonte:
Agência da Notícia/G1-MT

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

12 comentários

  • salvador reis neto Santa Tereza do Oeste - PR

    se em terra de indio nao se pode produzir e nem morrar, nem fazer nada,nao e lugar de agricultor somente de indio, entao o que diser sobre a construçao da usina belo monte, tambem nao esta errado afinal la nao e terra de indio. fica a pergunta para a funai,ongs e governo, expliquem-se.

    0
    • LUIZ ALBERTO MARTINELLI Agua Boa - MT - MT

      Neste link voce poderá ver um pequeno resumo de como ficou a cidade fantasma criada por Dilma PT https://www.youtube.com/watch?v=-H0pyrEuczk&t=249s

      0
  • adriano de oliveira farias munhoz dr. camargo - PR

    Meu amigo este eh um país sem leis, onde o governo deita e rola... so um cego nao o vê...

    0
  • Claudio Cassol Santa Maria - RS

    ALTO DA MATA

    CLAUDIOHCASSOL | SANTA MARIA - RS

    DIA 03.01.2013. SANTA MARIA/RS/BRASIL.- Incrível, onde está o direito de propriedade, no Brasil. Os registros de imóveis, no Brasil, não são Públicos. E, a constituição federal/88, não é Pública: SÃO LEIS MÃES, CLAÚSULAS, PÉTREAS. Pois, quem ali mora no Posto da Mata, já fazem, mais de 20 anos, possuem, o direito de posse e propriedade, pelo decurso de tempo. USUCAPIÃOS EXTRAORDINÁRIO. Assegurado, pelas Leis Brasileiras. Assim, repito, Onde encontram-se, os Defensores do Direito: Promotores de Justiça, Juízes, e, Demais como OAB Nacional. Deputados Federais e Demais defensores, do Estado de Direito. Vamos Refletir...se, é, este o Brasil que queremos.Um gov.fed.jogando, um segmento social ou econômico ou étnico,com de classes,ou ainda, através, do medo, como, anarquia da segurança instaurada, dentro, do Poder Público,do Municipal ao Estadual e Federal.Não há respeito,ético,moral,não há o respeito do direito de propriedade. É a insegurança Jurídica Instalada. Repito é este, o Brasil que queremos, o País das maravilhas...sufocadas, pelas paredes frias dos Palácios ou Gabinetes,e,repito, tudo realizado, ao arrepio do Justo, do legal, gostaria que as ações fossem, sem,c o n f i s c a r os Patrimônio,digno de cada Cidadão,ou no Minimo que Fossem, Indenizados de forma Justa e Antecipada.

    0
  • adriano de oliveira farias munhoz dr. camargo - PR

    Nao tem ninguem por nos, a nao ser Deus!

    0
  • CARLOS ANTONIO ANATRIELLO Pirangi - SP

    Para quem acompanhou todo esse episódio em canais agrícolas, porque a imprensa maior não mostra tudo, sabe o governo está tirando terras legítimas e docum. de agricultores para dar aos índios contra a sua vontade, pois as verdadeiras eram onde estavam suas antigas aldeias. O estranho é porque o governo e Funai que forjou documentos trocando as terras. Será pelo rico minério chamado Nióbio que esxiste lá e também na Raposa do Sol que está fazendo isso? ACORDEM, imprensa e população tem sujeira grassa por tras disso. Ou acham que ele é humano depois d que fez com as famílias de Sumiá Missú.

    0
  • Marco Antonio Provin VERA CRUZ - RS

    Aqui no RS tem uma area em litígio entre a Funai e produtores, onde foram vistos "indios" enterrando utensílios em locais estratégicos, que depois são "descobertos", para comprovar a existencia de "antigas áreas indígenas". Foram vistos também algumas figurinhas carimbadas de "nativos", que ao que comentam, já ganharam terras mais de duas vezes. Essas áreas estão em locais de altíssima valorização,pegando inclusive áreas urbanas e suburbanas dos municípios de Gentil, Mato Castelhano, e vão até Marau. São exploradas por agricultura de alta tecnologia, e por pequenos e médios produtores. Consta que as indenizações serão BILIONÁRIAS. Isso deve ser investigado pela PF para ver o que existe de verdade, e QUEM ESTÁ ENVOLVIDO NESSA OPERAÇÃO DE LESA-PÁTRIA...Se um terço do que falam for verdade, nem a pena de morte é suficiente para um crime desses...

    0
  • Odair Antunes dos Santos David Canabarro - RS

    Retirar Pessoas trabalhadoras que estão ali tirando seu sustento e ajudando o brasil a crescer para colocar um bando de desocupados que não tem vontade alguma para trabalhar, sei disso pois resido bem próximo de uma área indígena aqui no município vizinho de Muliterno, a unica coisa que fazem é filhos e balaio... porque não levam morar la explanada dos ministérios ou ali bem pertinho, assim poderia cuidar bem deles...importante que de tantas e tantas fazendas nas mãos de deputados que não dependeriam disso para viver, nem uma dessas é área indigena.

    0
  • Claudio Cassol Santa Maria - RS

    DIA 03.01.2013. SANTA MARIA/RS/BRASIL.

    -Incrível, onde está o direito de propriedade, no Brasil. Os registros de imóveis, no Brasil, não são Públicos. E, a constituião federal/88, não é Pública: SÃO LEIS MÃES, CLAÚSULAS, PÉTREAS. Pois, quem ali mora no Posto da Mata, já fazem, mais de 20 anos, possuem, o direito de posse e propriedade, pelo decurso de tempo. USUCAPIÃOS EXTRAORDINÁRIO. Assegurado, pelas Leis Brasileiras.Assim, repito, Onde encontram-se, os Defensores do Direito: Promotores de Justiça, Juízes, e, Demais como OAB Nacional. Deputados Federais e Demais defensores, do Estado de Direito.Vamos Reflerir...se, é, este o Brasil que queremos.

    0
  • Elvison Alves da Cruz Aral Moreira - MS

    È incrivel que um pais como o "nosso" onde tem como obejtivo principal atingir metas como acabar com a fome e se tornar lider em produção de alimentos faça tudo ao contrario . Pois tirar a população e produtores só aumentara a pobreza e diminuição na produção de alimentos . Exemplo temos a rapouza serra do sol onde o LUXO é não passar fome ! E DE FICAR INDIGNADO

    0
  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    É o Brasil produtivo, sendo penalizado pelas alucinações acadêmicas do PSDB e as barbáries sindicalistas do PT. Proteção ao ócio e cadeia para o trabalho. Assim está sendo construído o País do futuro.

    0
  • Cléo Luiz Garcia Iturama - MG

    vão sair sem lutar,brasileiros são todos ums bumda mole,E gostam de criticar os argentinos, eles sim bete de frente com o governo, Um povo que não luta nem por si proprio, quem dira por um pais melhor

    0
    • LUIZ ALBERTO MARTINELLI Agua Boa - MT - MT

      Veja neste link, https://www.youtube.com/watch?v=-H0pyrEuczk&t=249s

      0
  • Frederico Schmidt Carambeí - PR

    Será que tem alguma reserva de minério no subsolo da reserva também? Qual será a venda casada desta vez? Raposa do Sol era Nióbio, e agora, o que será?

    0