Ministério da Agricultura confirma que China pediu informações sobre prevenção e fechamento de plantas por causa da Covid-19

Publicado em 24/06/2020 09:53 136 exibições

LOGO estadao

O Ministério da Agricultura confirmou ao Broadcast Agro que a China solicitou ao Brasil informações sobre adoção de medidas de prevenção contra a covid-19 e paralisação de unidades industriais no País por causa de casos da doença. "Caso ocorram novos casos em que o estabelecimento não consiga fazer a contenção de seus trabalhadores, (os chineses) solicitam que sejam comunicados imediatamente. O que será cumprido", informou a pasta, por e-mail.

Players da cadeia de carnes relataram ao Broadcast Agro que a China está pedindo a frigoríficos brasileiros que assinem uma carta se responsabilizando integralmente pela carga caso ela esteja contaminada pelo novo coronavírus. O país asiático vem demonstrando preocupação com a contaminação de produtos e suspendeu aquisições de unidades de carne suína na Alemanha e de aves nos Estados Unidos.

Segundo o ministério, não será adotada restrição voluntária de exportação de estabelecimentos com casos ou suspeitas de covid-19 se as empresas estiverem adotando as medidas da Portaria Conjunta nº 19, dos ministérios da Agricultura, Saúde e Economia. A portaria estabelece as medidas a serem observadas para prevenção, controle e mitigação dos riscos de transmissão da covid-19 nas atividades desenvolvidas na indústria de abate e processamento de carnes e derivados destinados ao consumo humano e laticínios.

Quanto aos setores que estariam incluídos na solicitação de informação do governo chinês, o ministério informou que "o pedido foi de forma genérica, mas o foco da preocupação é a indústria de carne". "Até o momento, o ministério não recebeu qualquer solicitação de informação sobre exportação de grãos", disse o órgão.

Questionado se havia preocupação com suspensão de importação de alguma planta brasileira pela China devido a casos da doença, a exemplo do que ocorreu em outros países, o ministério informou que "prestou todas as informações solicitadas e espera que sejam suficientes para evitar qualquer possibilidade de embargo". "A possibilidade de uma medida como essa - embargo - poderá ocorrer no caso de alguma empresa não adotar ações de prevenção e controle em relação à doença", informou o órgão.

Tags:
Fonte:
Estadão Conteúdo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Ivan Oliveira Miguelopolis - SP

    Povo cínico e velhaco; ... espalharam o vírus no mundo e agora vem com essa conversa??!.. Estão precisando desesperadamente de alimentos e querem fazer exigências absurdas! .. Não me surpreenderá se logo quiserem devolver alguma carga, com o argumento de estar infectado com covid-19 !!!

    5
    • arnoldo trolegi Londrina - PR

      Velhacos, mesmo.... Então os produtos vindos de lá tem garantias de não estarem contaminados? Pura pretensão de desvalorizar nosso produto. Deixemos de produzir somente uma safra de soja pra ver se o produto brasileiro vai ou não ser valorizado e o produtor respeitado...

      2
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      O primeiro ministro da Inglaterra criticou o governo chines por entender que a intenção dos investimentos chineses na Inglaterra não eram meramente investir e ganhar dinheiro..., eles estavam controlando a infraestrutura do país ingles.... O primeiro ministro não achou aceitável e fez a critica, o governo chines respondeu que iriam retirar os investimentos que iriam fazer no país, o governo americano disse então ao governo ingles que iria bancar esses investimentos. E o governo ingles deu uma banana ao governo chines.... Para mim parece claro que o PCC pretende dominar a logistica e os meios de produção dos países com quem faz negócios.

      8