Novo ministro da Agricultura defende aprovação do Código Florestal

Publicado em 21/08/2011 11:14 e atualizado em 22/08/2011 11:17 882 exibições
Brasília – Aprovação do Código Florestal, em discussão no Senado, redução dos preços dos defensivos agrícolas e adoção de novas medidas para apoiar o agronegócio. Essas são as prioridades do futuro ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS). “Tenho que fazer uma força muito grande como ministro para ser um facilitador entre a sociedade e o governo.”

Para Mendes Ribeiro, é possível fazer que haja um entendimento entre ambientalistas e produtores rurais em torno do novo Código Florestal. “Ambos têm preocupação com o meio ambiente e com a produção.”

Ele adiantou ainda que é a favor de liberação de defensivos agrícolas genéticos para reduzir os custos de produção. “Por que o preço do defensivo fora [do país] é um e dentro é outro? Existem coisas sobre as quais  temos que afinar o discurso, mostrar as dificuldades que o governo tem para fazer aquilo que tem que ser feito.”

Perguntado sobre sua ligação com a atividade rural, já que sempre teve uma atuação parlamentar mais voltada para outras temas, Mendes Ribeiro respondeu: “Não é porque não sou um homem do campo que não possa compreender e entender e saber sobre agricultura. Sou de um estado eminentemente agrícola e o conheço de uma ponta a outra. Vou fazer um esforço muito grande para estar do lado de quem sabe e fazer aquilo que a agricultura precisa”.

Mendes Ribeiro adiantou também que se reunirá com os ex-ministros da Agricultura Vinícius Pratini de Moraes e Francisco Turra na próxima semana. A exemplo do deputado, eles também são gaúchos. O futuro ministro informou que ainda não conseguiu conversar com o seu antecessor, Wagner Rossi, mas pretende falar com ele nos próximos dias.
Mendes Ribeiro Filho diz que fará mudanças no Ministério da Agricultura
Brasília – O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deve passar por mudanças nas próximas semanas. “Estou fazendo um exame detalhado. Vou imprimir as mudanças que entender necessárias. Se tiver que fazer alguma, vou ter que tirar alguém”, disse hoje (19) o futuro ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS). Ele tomará posse na terça-feira (23), às 11h, em substituição a Wagner Rossi, que pediu demissão na quarta-feira (17), depois de uma série de denúncias de irregularidades na pasta.

De acordo com Mendes Ribeiro, é natural haver mudanças na área administrativa dos ministérios, quando há troca de comando. “Isso é do dia a dia administrativo. Por isso, há necessidade de que ocorram mudanças. Pretendo imprimir meu ritmo, colocar minha equipe de trabalho. Vou fazer o que tiver que fazer.” Ele também anunciou o primeiro nome de sua equipe. É Caio Rocha, que foi secretário de Agricultura do Rio Grande do Sul durante o governo de Germano Rigotto. Caio será assessor especial de Mendes Ribeiro.

O futuro ministro deu entrevista coletiva na Câmara dos Deputados, pouco depois de se reunir com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. “Foi reunião rápida. Ela pediu todo o cuidado necessário e disse que confiava em mim e que sabia o que eu poderia fazer. Vou colocar as coisas da maneira mais transparente possível e permitir todo tipo de fiscalização e controle.”

Na segunda-feira (22), Mendes Ribeiro se reunirá com o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, para obter informações sobre as investigações acerca das recentes denúncias envolvendo o Mapa.

Ele descartou ainda qualquer possibilidade de fechar a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao ministério. O órgão está no centro das denúncias de desvio de recursos públicos e de apadrinhamento político. “A Conab tem uma função extremamente importante.”

Tags:
Fonte:
Ag. Brasil

0 comentário