Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão 14/05/21

Publicado em 14/05/2021 15:27 132 exibições

- Algodão em NY - Após ter fechado acima de 90 cents na última quinta, o mercado operou em queda durante praticamente toda a semana.  Os preços foram pressionados pela influência de outros mercados e pela previsão de chuvas no Texas.  O contrato Jul/21 fechou em 84,98 U$c/lp, queda de 6,2% nos últimos 7 dias.

- Preços 1 - Ontem (13/5) o algodão brasileiro Middling 1-1/8" (31-3-36) posto Ásia estava cotado a 95,75 U$c/lp (+150 pts na semana) para embarque em Mai-Jun/21 e 96,00 U$c/lp (+25 pts) para embarque em Out-Nov/21

- Preços 2 - Na bolsa de Zhengzhou (ZCE), China, a semana foi de volatilidade, mas com o mercado fechando em alta, com algodão cotado ao equivalente a 111,05 U$c/lp, alta de 2,4% nos últimos 7 dias.

- Altistas 1 - Segundo a BCO, a área de algodão em Xinjiang (China) deve reduzir este ano devido a restrições ao uso de água para irrigação. Além disso, o governo Chinês está implementando uma política mais forte no sentido de fomentar produção de grãos, segundo a consultoria Cotlook.

- Altistas 2 - Esta semana, os EUA divulgaram o maior índice de inflação (CPI) desde 2008: 4,2% em um ano. Fundos tendem a comprar commodities para se protegerem de inflação.

- Baixistas 1 - As regiões de algodão do Oeste do Texas continuam muito secas, mas previsões de chuva na próxima semana na região pressionaram o mercado.

- Plantio - O plantio nos EUA está em 25% da área total, abaixo tanto da média dos últimos cinco anos (26%), quanto do número do ano passado (30%).

- India - A situação da COVID-19 na Índia continua muito grave. Especula-se sobre um lockdown nacional. A Índia está em período de plantio de algodão e neste momento é o país com mais infecções e mortes diárias totais por Covid-19 no globo.

- Paquistão - O Paquistão entrou em lockdown nacional no último sábado. A iniciativa visa conter o aumento da COVID-19 em uma semana de feriados no país devido ao fim do Ramadã, mês sagrado dos muçulmanos.

- USDA 1  - Em seu relatório mensal divulgado esta semana, o USDA aumentou a previsão de exportações dos EUA para esta safra, o que reduziu ainda mais a previsão de estoques finais no país, número muito acompanhado pelo mercado no momento.

- USDA 2 - O órgão previu uma safra 21/22 de 17 milhões de fardos (3,7 milhões de tons) para os EUA. A previsão é vista por muitos como otimista devido à possível correção (para baixo) da área plantada e à seca que atinge o Texas.

- Relatorio - Ainda sobre o relatório mensal do USDA, foram apresentadas as primeiras estimativas para 2020/21. A produção global em 21/22 prevista foi de 26 milhões de tons (+5,6%), enquanto o consumo previsto foi de 26,4 milhões de tons (+3,5%).

- China– O recente anúncio do governo chinês de nova cota de importação ainda não teve impacto no mercado. As cotas ainda estão sendo alocadas aos importadores, que só devem fazer seus pedidos após a formalização no novo volume.

- Xinjiang– Esta semana, os EUA fizeram duras acusações em relação à China. A gestão Biden manteve a mesma linha de argumentos do governo Trump, alegando que estão ocorrendo "crimes contra a humanidade e genocídio" em Xinjiang, principal região produtora de algodão na China.

- Japão - Por outro lado, a Muji, marca japonesa de roupas e artigos para o lar, está promovendo publicamente que usa algodão de Xinjiang em seus produtos. A empresa afirma que fez auditoria na região chinesa e não encontrou problemas.

- Indonesia - Impactada pela Covid-19, a Indonésia viu seu PIB encolher no primeiro quadrimestre do ano. O mercado têxtil também foi afetado com redução das exportações de roupas de algodão.

- Cotton Brazil - No próximo mês, haverá uma série de webinars com empresários, traders e industriais dos principais importadores para promover o algodão brasileiro. Bangladesh, Vietnã, Índia, Coreia do Sul, Indonésia, Turquia e Paquistão já têm datas confirmadas. Na China, o algodão Brasileiro será promovido no maior evento do setor no país, também em junho.

- Exportações - O Ministério da Economia divulgou que o Brasil exportou 25,9 mil tons de algodão na 1a semana de maio. O recorde para o mês é 83 mil tons, atingidas em 2019.

- Colheita - A Abrapa informa que a colheita está em andamento em SP e no PR. Norte de MG inicia na próxima semana.

Fonte:
Abrapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário