Henrique Eduardo Alves. Guardem esse nome. Ele pode salvar a agricultura brasileira.

Publicado em 08/02/2012 19:14 e atualizado em 10/09/2013 16:10 1045 exibições
por Ciro Siqueira, do blo g codigflorestal.com

HEA.jpg

Henrique Eduardo Alves e Aldo Rebelo.
Foto: Renato Araújo/ABr

Hoje na reunião convocada pela Ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvati, apesar das presenças do Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, e do novo relator do projeto, deputado Paulo Piau, quem salvou a agricultura foi o líder o PMDB na Câmara, Deputado Henrique Eduardo Alves.

Ideli e a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, abriram a reunião mostrando indisposição para negociar afirmando que o interesse do governo é aprovar o texto de reforma do Código Florestal com a redação dada pelo Senado, sem modificações. Em meio a um certo constrangimento diante do beco sem saída apresentado pelas duas ministras brucutus e entre olhares de soslaio, Henrique Eduardo Alves, se limitou a dizer que "numa Casa com 513 deputados, é complicado dizer simplesmente que nada será modificado".

Complicado foi um eufemismo fascinante que o líder Henrique Eduardo Alves usou para comunicar a Ideli e a Izabella que a vontade do governo não é a vontade da base do governo na Câmara. Essa única palavra, complicado, distribui em frações exatamente iguais o impasse, que até então era só da agricultura, entre todos os presentes. Com uma única frase Henrique Eduardo Alves usou a força de 513 deputados e arrancou um recuo das ONGs.

Ficou acertado então que o relator da matéria, Paulo Piau, recolheria as sugestões de alteração demandadas pelos deputados e as apresentaria à Ministra Izabella Teixeira para que ela, como um deus, possa dizer se a salvação da agricultura brasileira é ou não é aceitável do ponto de vista do meio ambiente. Piau também apresentará as sugestões de mudança ao Ministro metrosexual da Agricultura, Mendes Ribeiro. Mas é só pra cumprir tabela porque a opinião do Mendes Ribeiro nesse assunto vale menos do que a minha.

Se o Ministro da Agricultura honrasse as calças que veste, estaria ele mesmo sugerindo alterações no texto, não a Ideli, mas a própria Dilma Rousseff, porque ele pode fazer isso. Mas ao invés disso o ministro se limita a emprestar sua presença à legitimidade de uma tal reunião como a de hoje. Mas esqueçamos os vermes, porque a hora é para falar de homens.

ATENÇÃO PRODUTORES RURAIS: Tudo será definido entre amanhã e terça feira.

Nos próximos dias serão definidas as principais alterações necessárias no texto do Senado e na reunião de terça feira será necessário convencer Izabella Teixeira de que essas alterações são toleráveis. Não adianta apenas alterar o texto. Será preciso convencer a Ministra Izabella de que essas alterações são toleráveis do ponto de vista ambiental e imprescindíveis do ponto de vista da agricultura. Caso contrário Izabella fará a presidente Dilma vetar as alterações.

Gosto do Deputado Paulo Piau, mas ele não tem verve para dobrar Izabella Teixeira. O setor rural não pode contar com Mendes Ribeiro. A única pessoa capaz de proteger a agricultura brasileira dos excessos do meio ambiente na reunião de terça feira será Henrique Eduardo Alves.

Os próximos dias serão decisivos. Tudo o que se seguirá, para o bem ou para o mal da agricultura brasileira, será consequência dos próximos sete dias.

MINHA SUGESTÃO AOS DEPUTADOS: Alterem o artigo primeiro do texto do Senado.

O artigo primeiro do texto do Senado foi escrito por João de Deus Medeiros e pelas ONGs. Ele dá ao Código Florestal uma atribuição que não é dele, mas de todo o arcabouço legal voltado para o meio ambiental vigente no Brasil hoje.

Por outro lado, o artigo primeiro é imune a veto. O Executivo não pode promulgar uma lei sem artigo primeiro, porque uma lei sem um artigo primeiro que a defina não existe.

RESUMÃO:

1) Definam as alterações cônscios de que será necessário convencer Izabella a aceitá-las. Se não for possível convencer Izabella, não alterem porque a Dilma vai vetar. Se decidirem mudar mesmo sabendo que não convencerão Izabella e que Dilma vai vetar, verifiquem se o texto após o veto ficará pior do o texto do Senado. Se não ficar, pau na máquina. 

2) Cortem o artigo primeiro nem que a vida de vocês dependa disso. Nem Izabella, nem as ONGs podem fazer nada a respeito. Izabella pode até ameaçar com o veto total por parte da Dilma, mas estará blefando. Dilma não fará isso.

3) Tudo tem que ser feito de hoje até terça feira.

3) O nome é Henrique Eduardo Alves. Esqueçam o ministro café-com-leite, Mendes Ribeiro.

RELEMBRE: Veja o discurso histórico de Henrique Eduardo Alves em defesa da agricultura brasileira no dia da primeira votação da reforma do Código Florestal na Câmara:

Tags:
Fonte:
Blog codigoflorestal.com

0 comentário