Hora de dar um basta à demonização do campo brasileiro

Publicado em 09/05/2012 17:39 e atualizado em 05/09/2013 15:47 1761 exibições
do blog Coturnonoturno e www.codigoflorestal.com

É impressionante a desinformação e a mentira espalhadas contra o Brasil Rural. Ontem, a culpa da não votação da PEC do Trabalho Escravo foi creditada à "bancada ruralista". Da mesma forma que os "ruralistas" foram demonizados pela devastação das florestas e pelo envenenamento dos rios na votação do Código Florestal. Contra as mentiras, nada melhor do que números.

A Frente Parlamentar da Agropecuária tem 218 deputados. Três estão licenciados. Treze são do PT, partido que ontem uivava e babava para aprovar a PEC que nem mesmo define o que é "trabalho escravo", delegando a um fiscal de plantão esta definição, tendo ele o poder de, forjando um ato de infração, confiscar uma propriedade, que será entregue, em seguida, ao MST. Portanto, restam 202 deputados, para uma Câmara com 513 representantes. Sem contar que a grande maioria destes deputados são da base do governo e, portanto, deveriam apoiar irrestritamente um projeto tão caro à presidente Dilma.

Agora, se você imagina que a FPA é um bando de fazendeiros com chapéu de vaqueiro e tocando berrante, está muito enganado. Na composição da Câmara, existem apenas 33 ruralistas ou proprietários rurais, contra 50 médicos, por exemplo. Veja aqui um retrato da Câmara.

O que existe, no fundo, é um preconceito arraigado contra o interior do Brasil. A esquerda é urbana. Nem mesmo é suburbana. Certa imprensa, que também é do asfalto, repercute este sentimento nojento e desumano contra o homem do Campo. O "ruralismo" é uma construção sistemática da esquerda para isolar uma parte do Brasil que não se entrega. Por isso, o "ruralismo", transformado em sinônimo do atraso, é  quem paga o pato. E paga porque, sendo minoria, é obrigada a defender com unhas e dentes a sua terra, a sua produção, a sua gente. 

Por que este ódio da Hebe Camargo, do Luciano Huck, da Camila Pitanga e de outros ícones urbanos contra o Campo? Porque não o conhecem, não sabem do que estão falando e embarcam no discurso fácil e cínico da sustentabilidade. Aquela sustentabilidade que coloca a árvore acima do homem. Ou melhor: em cima do homem que morre de fome aos milhões no mundo inteiro, por falta de comida.

O famigerado agronegócio é um modelo de sucesso. Só aqui no Brasil 61% do território está coberto de vegetação nativa. Apenas 27,7% da nossa terra é usada para produzir alimentos. Desta produção, 70% fica aqui dentro e só 30% é exportada. Nos anos setenta, o trabalhador brasileiro destinava mais de 40% da sua renda para comprar feijão do México, arroz da Indonésia, carne da Argentina. Hoje, este dispêndio está próximo de 15%. Os 30% exportados significam um superavit de U$ 77 bilhões de dólares anuais. O Campo sustenta todos os deficits dos demais setores na balança comercial. E o mais importante: menos de 20% da nossa população está no Brasil Rural. O que significa que 1 em cada 5 brasileiros é que produz 1/4 do PIB, gera 1/3 dos empregos e é responsável por 40% das exportações. O Campo sustenta a incompetência e a falência da cidade. E mesmo sendo o que existe de mais moderno no Brasil, em termos de pesquisa e tecnologia, aumentando a produção em 250% em cima de um aumento de pouco mais de 20% de área utilizada, nos últimos 20 anos, é chamado de atrasado e de conservador. Quanta estupidez! 

Para encerrar: sabem qual é a perda do Brasil Rural se o novo Código Florestal for aprovado? Sim, porque existe perda, apesar de que toda a mídia e toda a manada informa que os "ruralistas" estão sendo beneficiados. Com o novo Código Florestal, a área de produção será reduzida em 13,9%, sem nenhuma indenização. A perda é de 33 milhões de hectares! Isto é pouco? Então saiba que todo o feijão do Brasil ocupa 3,9 milhões de hectares. Que todo o arroz ocupa 2,5 milhões de hectares. Que todo o café ocupa 2,1 milhões de hectares. 

Mais um parágrafo, talvez o mais importante. Quem perde mais é o bobalhão que abana plaquinha "Veta Dilma". O palhaço manipulado pelas ONGS internacionais. O imbecil que acha que o Brasil vai melhorar roubando 33 milhões de hectares do homem do campo. Pois saibam eles que milhares de pequenos produtores serão expulsos do campo e irão morar na cidade. Irão subir morro, construir barracos e morar em APP como nas favelas cariocas que se debruçam sobre os apartamentos daquela gente imbecil que aplaudiu a Camila Pitanga. Naqueles 33 milhões de hectares que serão perdidos para a floresta da Marina Silva, aquela de onde o marido desviava mogno, o Brasil produz U$ 68,9 bilhões! Quem vai pagar esta conta? O "ruralista"? Se os estúpidos que defendem o veto total do Código Florestal entendessem um pouco de economia, deveriam saber que o preço será pago lá no supermercado. Menos comida, comida mais cara.

Por isso, é hora de dar um basta na demonização do campo brasileiro. O campo que é o escravo da cidade, que sustenta esta gente urbanóide que faz de tudo para destruí-lo, marionetes de ongs internacionais e de políticos de vida fácil que estão lutando por tudo, menos pelo bem do nosso país, da nossa democracia, da nossa soberania. Que o veto, se houver, que sirva de lição para os macacos de auditório da Hebe Camargo, do Luciano Huck e da Camila Pitanga. 

Perdão pelo post reinaldiano. Não tenho talento para isso. Obrigado pela atenção e, por favor, espalhem os dados que estão aqui. Eles são a verdade que a esquerda quer sepultar.

Dona Almerita, a gente vai lutar até o fim para que a Camila Pitanga não tire a senhora da sua terra e a jogue num barraco na favela da Rocinha. (Blog CoturnoNoturno). 

 

"Ruralistas" proporão Lei Complementar para recuperar APPs (por Ciro Siqueira, do blog www.codigoflorestal.com):

igo%2Bestrela.jpg

A Frente Parlamentar da Agropecuária, rotulada pelos jornalistas da urbe de "Bancada Ruralista" para dividir a matéria em pólos e facilitar a redação, vai apresentar hoje um Projeto de Lei Complementar ao Código Florestal definindo critérios para a recomposição das APP de margem de rio. 

Os deputados que representam o setor rural proporão a recuperação de, no mínimo, cinco metros de APP em Rios de até 5 metros de largura. Para rios entre 5 e 10 metros, as APPs serão de, no mínimo, sete metros e meio. Para rios acima de 10 metros, as APPs serão de 15 metros em imóveis pequenos não superiores a 10 módulos rurais. No caso de rios acima de 10 metros as APPs terão entre 30 e 100 metros dependendo do tamanho do imóvel.

A proposta será apresentada pelo presidente da Frente, deputado Moreira Mendes (PSD-RO) e já conta com o apoio de pelo menos 10 líderes partidários.

Os deputados estão se antecipando ao veto do Artigo 61 do texto final de Reforma do Código Florestal. A aprovação do Projeto de Lei complementar taparia o buraco normativo deixado pelo veto. Em função da forma como ficou o redação final do Artigo 61 a Presidente não tem outra opção que não seja vetá-lo.

O Planalto avalia outras formas de tapar o buraco deixado pelo veto. Uma delas é a apresentação de uma Medida Provisória ou um Projeto de Lei do Executivo. Nesse caso a redação do texto seria da Ministra Izabella Teixeira já que o Ministro da Agricultura é um zero à esquerda.

Quem diria, hein Dona Marina Silva. Os "Ruralistas" sendo propositivos, sugerindo alternativas para recuperação do meio ambiente quanto as ONGs estão engajadas numa luta pelo quanto pior melhor, quanto o Greenpeace escreve em inglês "Brazilian Forest Code e Veto, Dilma" nas paredes do Congresso NacionalBrasileiro.

Eis aí um bom indício à sociedade e aos jornalistas urbanóides de quem de fato se preocupa com o meio ambiente nesse país. Algumas ONGs lutam apenas pela preservação dos seus próprios orçamentos. (por Ciro Siqueira).

Tags:
Fonte:
Blog CoturnoNoturno/Codigoflores

11 comentários

  • Horst Thiessen Palmeira - PR

    Caro colega AUGUSTO MUMBACH, existem N possibilidades de produção no verão para melhoramento de solo, como eles querem, pelo método ecológico, uma terra não se torna improdutiva pelo simples fato de não se plantar uma safra de alimentos. Agora a falta de alimento no mundo é fato e crescente, e qdo o GREEN PEACE tiver que comer GREEN ##### e não mais puder delegar de seus móveis de mogno até eles vão incetivar a produção. O agricultor brasileiro é o mais eficiente do mundo e o pecuarista tb, não dependemos de subsídio e mesmo com uma política agricola lamentável quebramos recordes seguidos. Falam de terra mal distribuída, balela, temos praticamente 6 milhões de agropecuaristas e produzimos em menos área que os USA, enquanto eles tem apenas 1milhão e pouco de produtores agricolas, agora pergunto, onde está a distribuição de terra mal feita? Onde estão as florestas deles? Que ninguem me venha de conversa, o agropecuarista brasileiro FOI MAL INFORMADO UM DIA, hoje não o é mais! Viva o home do campo, que mesmo sendo castigado, maltratado e mal falado continua batalhando para colocar na mesa todo santo dia o prato de comida de todo nosso querido Brasil !! E tenho dito.

    0
  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Caro Horst Thiessen. Nem isso podemos fazer. Se reduzirmos nossa produção estaremos sujeitos a ter nossas terras classificadas como improdutivas. Então elas serão passadas para o MST. O verdadeiro objetivo de toda essa campanha eco-terrorista é justamente esse, reduzir nossa produção para fazer os preços subirem. A agricultura fora do Brasil não é viável economicamente nos preços atuais. Então o que pensam EUA e Europa: "Vamos inviabilizar a agricultura do Brasil para os preços subirem e tornar a nossa viável". Não importando para isso que milhares de agricultores e seus empregados sigam para favelas. Nossos governantes não sabem disso? Sabem sim! Mas eles recebem muita grana pra fingir que não sabem. Quando à nossa população, é bem provável que morra de fome sem dar o tranco do motivo. Uma população que assiste novelas imbecilóides protagonizadas por atores de terceira e acredita neles como se algum conhecimento tivessem, com certeza é uma população, atrasada, despreparada.

    0
  • Horst Thiessen Palmeira - PR

    CARLO, concordo, inverno eu já não planto alimento faz um bom tempo, mas não acredito que o produtor teria prejuízo se fosse plantar apenas as melhores áreas pois os preços dobrariam ou até mesmo triplicariam se o produto simplesmente sumir da plateleira. E o governo não teria como importar toda essa quantidade, tenho certeza que apenas a hipótese de ter a produção agrícola reduzida em quantidade significativa faria o governo repensar a sua posição em 5 minutos.

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    HORST mais pratico seria deixar de plantar a safra de inverno menos

    produtiva, menos rentavel e mais arriscada.--- Alguma associaçao

    precisaria divulgar a ideia via TV

    0
  • Horst Thiessen Palmeira - PR

    Eu diria que é simples o homem do campo resolver a questão. Vamos reduzir a nossa produção para a metade no campo. Essa conta o povo da cidade vai pagar, com certeza, ou passarão fome, alguem já imaginou o que aconteceria se o homem do campo resolver produzir apenas a metade na proxima safra? Já calcularam a imensidão do prejuízo ? Pensem nisso!!

    0
  • Wilson Tarciso Giembinsky Paracatu - MG

    Aos ecoxiitas da TV, desinformados ou mal intencionados.

    Comida ou novela!? Escolha!

    Quem sabe lata velha né lindinho e lindinha.....

    Você levanta, respira o oxigênio do ar puro da manhã...

    Liga a TV acende a luz, usa a energia da Chesf, Furnas, Cemig, Celga, Cesp, Itaipu e futura de Belo Monte...

    Você é contra!?

    Tudo bem... apaga a luz, desliga a TV, celular também!

    Tenta ficar sem energia por dois dias... um dia!

    Sua casa, sua empresa, funciona sem energia?

    Conhece alguma coisa que funciona sem energia!?

    Pensou? Achou?

    Lamparina!? Vela!? Lampião!? Carroça, enxada, ...

    Analisa bem, lá na origem precisam, dependem dela!

    Estamos à beira de um apagão energético, vais ficar sem emprego!....

    Cemig está custando liberar energia para qualquer coisa!

    Nuclear!?

    Lembra de Tree Mile Island, Chernobil, Fukushima...

    Termoelétrica! Com que combustível?

    Eólica, só se for com furacões...

    Solar, só com tempestades...

    Detalhes.

    Voltemos ao cotidiano...

    Sentou no trono deu descarga, mandou tudo para o rio... Que merda, você poluiu o rio!

    Minhas vacas não podem mais beber dele!!!

    Tomou banho, a água limpa veio do campo (rio da cidade é esgoto), sabonete, toalha felpuda de algodão (porque tecido sintético não enxuga), papel higiênico, havaianas... tudo vem do campo...

    Havaianas!?

    Cara, analisa, a borracha vem de onde!?

    Desodorante, cueca, calcinha de algodão anti alérgico, calça jeans, meia, sapato, camisa, blusa, linho, seda, algodão, cinto, perfume de alfazema, bolsa, carteira, .... tudo vem do campo!!!

    Usa tênis?

    Já te perguntei! De onde vem a borracha!?

    Sobre a mesa o trivial básico, café, leite, pão, margarina, queijo, frutas, .... tudo veio do campo, a mesa a cadeira também!

    Está bem alimentado para aguentar o dia de hoje?

    Agradeceu a um produtor rural por isto?

    Você é dependente do campo, do trabalho dele, sem ele você não vive!!

    Ônibus, Bicicleta, moto, carro, bancos de couro, pneus, álcool. Gasolina!? Não importa, também tem álcool.

    Tudo tem alguma coisa que vem do campo!

    Não chegou ao banco de couro... courino, courvin, couro sintético, tecido, já disse...

    Tudo tem alguma coisa do campo!

    Analisa bem, por baixo tem uma fina trama de tecido de algodão para segurar, enchimento de fibra de coco ou de algodão!

    Pelo celular que também usa energia de Itaipu, marca e organiza o churrasco do fim de semana, carvão, carne, mandioca, pão de alho, vinagrete, cerveja, refrigerante, limão e cachaça para a caipirinha... tudo vem do campo!

    Cerveja sim... de onde você acha que vem o malte, o lúpulo, cevada e água!?

    Água é do poço artesiano!...

    Sim... Mas o carregamento do aqüífero, por acaso vem do asfalto e das lajes da cidade?

    Esta água suja, com lixo urbano, não infiltra, causa enchente, vai para o mar, nem energia, que breve faltará, querem que ela produza!!!!

    Até a água da cerveja vem do campo....

    Não vai ter churrasco, vamos ao o restaurante... tudo o que você vai comer lá vem do campo...

    A criançada quer ir para ao Mac Donalds, Giraffas, Habib’s, praça de alimentação do Shoping... tudo que comer lá também vem do campo, todo pessoal que trabalha lá depende do campo!

    Analisa, é o campo que gera a maioria dos empregos da cidade!

    Sorveteria... açúcar, leite, frutas, chocolate ... Vem do!!?

    O pessoal que trabalha no açougue, na feira, supermercado, restaurante, lanchonete, sorveteria, Ceasa, papelaria, biblioteca, borracharia, Skol, Devassa, Ambev, Coca Cola, Tubaina, Scania, Volvo, Case, Massey, New Holand, Valmet, Noma, Guerra, Fachini, depende do campo....

    Analisa.... o campo gera, direta ou indiretamente, a maioria dos empregos urbanos ...

    O oxigênio que você respira vem da soja, milho, arroz, feijão, tomate, laranja, alface, batata, eucalipto, pinnus, pupunha, açaí, do capim .... do campo!!

    Agora uma informação, ao contrario do que as ONGs internacionais e o pessoal pago por elas, querem que você acredite... Boi não arrota como os desinformados, mal intencionados ou com interesses escusos propagam!!!

    Boi regurgita alimento para ruminar, só ignorantes acham que aquilo é arroto!!!!

    Nós arrotamos, você, eu (desculpe) !

    Não se preocupe, arroto não é metano como dizem, é ar ou gás da cerveja, do refrigerante, que você ingeriu com o alimento.

    Saiba que toda matéria orgânica em decomposição produz metano, também chamado de gás do lixo, do esgoto ou do pântano. Lembra daquela merda toda que você mandou para o rio hoje pela manhã, vai gerar metano!

    A bosta do boi!? É capim, se não comido, vai se decompor lá no campo e gerar muito metano....

    Boi comendo, diminuiu o metano no campo, gerou comida e emprego para muita gente no campo e mais ainda na cidade, fixou carbono no couro, na carne que você come, espero fique fixado em você por muito tempo!

    Vai repassando, quem sabe chega até Luciano Huck, Hebe Camargo, Camila Pitanga, Cristiane Torlone e outros tantos midiáticos desinformados por ai.

    O trabalho deles em nada nos faz falta, nem em cultura contribui, mas sem o nosso eles não vivem...

    Sei, tem singular, plural, tu, você, nós, presente, passado, futuro...

    Isto é cotidiano, não é literatura, a vida é assim, todo dia nós trabalhamos para você e eles comerem, eles estão na mídia falando besteiras e nós no trabalho.

    Você acredita nas besteiras deles mas depende da nossa verdade!

    Abraço, bom trabalho, até o churrasco!

    Não esqueça da cerveja!

    Wilson T Giembinsky

    Uberlândia-MG

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    sempre preguei um boicote de 20 % de nossa produção, unica arma para a manda urbana entender, espero que um dia isso aconteça, ai quero ver eles gritarem pelo preço dos alimentos e contra o governo, ai quero ver suas casas arrombadas pelos famintos, quem viver verá.

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    Antigamente muitas pessoas viviam no campo e reclamavam da sua

    miseria contra a BURGESIA que eram os moradores das cidades (burgos) representados por profissionais liberais.

    Hoje muita gente saiu do campo e foi morar nas cidades.

    Portanto hoje os BURGUESES reclamam dos RURALISTAS.

    Sugiro ao autor desse artigo assumir atitude e argumentos de luta

    contra BURGUESES..---Vamos devolver o troco.

    0
  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    Somos responsáveis ou responsabilizados por tudo de ruim que acontece no Brasil e no mundo. Porém também somos responsáveis por manter os país nos trilhos e alimentado! Desde de o mais humilde trabalhador ao mais ilustre brasileiro, come e bebe graças a nosso trabalho. Ninguém vive de novela ou arte, embora arte seja enriquecedora ao homem, ela de nada vale quando se está de barriga vazia!

    0
  • Amauri Cesar Rodrigues São José do Rio Preto - SP

    Sustentabilidade é a palavra de ordem nas midias, mas vai o produtor rural pegar um crédito no sistema ABC (agricultura de baixo carbono), a burocracia que é, ou colocar em prática todos os conceitos sustentáveis pregados pelas ONGs, o que esse pessoal ainda não percebeu é que vai faltar alimento, e o preço vai disparar, os nossos amigos que estão na rocinha e que outrora estavam no campo é que vão passar fome. Vou plantar um pé de Pitanga aqui na propriedade e o caseiro e toda a sua familia vai viver dele.....se aguar dá o ano inteiro.

    0
  • gerd hans schurt Cidade Gaúcha - PR

    Nós Produtores Rurais também temos o direito de protestar e vetar. Vamos vetar a Caixa Economica Federal enquanto ela mantiver a Camila Pintanga como garota proganda. Produtor indignado não deve nem passar pela porta da Caixa. Ah, toda vez que a Pitanguinha aparecer na telinha use o controle remoto e mude de canal, É uma forma de protestar que encontrei.

    0