Pela primeira vez, um brasileiro vai receber o “Nobel da Matemática” - Nerds, 1. Jogadores de futebol, zero.

Publicado em 13/08/2014 06:45 e atualizado em 13/08/2014 21:03 811 exibições
nos blogs de veja.com

O gênio indomável e os mecenas escondidos

Nerds, 1.  Jogadores de futebol, zero.

A notícia de que um brasileiro receberá pela primeira vez a Medalha Fields, o “Nobel de Matemática”, deveria aplacar na alma nacional a amargura do 7 a 1 da semifinal da Copa e sugerir que a pátria amada se faz não só com chuteiras mas também com algoritmos.Avila

Mas acima de tudo, o prêmio dado a Artur Avila, pesquisador do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Rio de Janeiro, mostra a importância das doações de empresas e indivíduos para a pesquisa fundamental no Brasil.

Avila continua estudando no Impa, e não apenas no exterior, em grande parte graças a uma doação de Arminio Fraga, que criou uma cátedra no instituto.

Fraga está ‘apenas’ devolvendo à sociedade parte de seu sucesso na vida privada, na qual aprendeu sobre os intestinos dos mercados como operador de George Soros e, mais tarde, fundou a gestora Gávea Investimentos. Em sua vida pública, introduziu o sistema de metas de inflação no Brasil como presidente do Banco Central, e atualmente é cotado para Ministro da Fazenda num eventual Governo Aécio Neves.

Não, esta não é uma propaganda — subliminar ou explícita — de um candidato, até porque a crença na pesquisa e no progresso não é nem pode ser monopólio de nenhum ente político — e sim uma obsessão do Estado, com a qual a parte de cima da pirâmide deveria contribuir com muito mais do que os trocados da isenção fiscal.

“É preciso que haja mais pessoas que entendam a importância de pesquisa básica e doem,” Vinicius Carrasco, um pesquisador da PUC-Rio, postou no Twitter. “Nos EUA, grande parte dos recursos vem de doações. É preciso haver mais doadores. Minha instituição faz esforço enorme e consegue pouco. Pela enormidade que é, [o] Impa também consegue pouco.”  Veja aqui os doadores da PUC.

Nem tudo, no entanto, é questão de dinheiro. Comandado por César Camacho, o Impa tem uma gestão em linha com as melhores universidades do mundo. Quando contrata um professor, a seleção não se restringe ao Brasil: é feita no mundo todo. O candidato não precisa nem falar português. O critério é meritocrático, bastante diferente da maior parte das universidades federais do Brasil. O modelo do Impa mostra como um ente público, meritocrático e com apoio privado, pode ser extraordinariamente bem-sucedido.

Há alguns anos, a Vale quis fazer uma grande doação para um instituto de estudos de sustentabilidade na USP. A universidade aceitou os recursos, desde que a Vale não pudesse escolher como o dinheiro seria gasto. Resultado: a doação da Vale acabou na Columbia University, em Nova York.

O Brasil tem que ter orgulho da Vale, da Embraer, e de suas várias outras grandes empresas de padrão mundial. Mas para termos um Google, uma Apple e uma Intel, precisamos de mais Avilas, modelos de gestão abertos e mais doadores com visão de País.

Por Geraldo Samor

FOTOS SENSACIONAIS: A nova sede do Twitter em San Francisco é o local de trabalho dos sonhos

(Foto: Robert Johnson/Business Insider)

A princípio, parece um escritório comum, mas a sede do Twitter em San Francisco é um espaço único (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

O Twitter, um dos atuais gigantes da tecnologia — ao lado de nomes como Google e Facebook –, inaugurou recentemente sua nova sede em San Francisco, na Califórnia. Como de praxe para empresas nesse ramo, o local foi construído tendo em foco o conceito de qualidade de vida — com o tradicional tiquinho de exibicionismo também –, e o resultado é de despertar inveja em qualquer um.

Localizado em uma das partes mais abandonadas da cidade, o prédio escolhido pelo Twitter data de 1937 e ficou vago por cerca de 50 anos antes de ser selecionado para o empreendimento.

Após uma reforma, o lugar foi transformado para simultaneamente manter seu estilo clássico mas abrigar a área de tecnologia da empresa.

A revista Business Insider fez um tour do espaço e apresentou aos leitores o que viu. Abaixo, algumas das fotos feitas no dia (o resto pode ser visto clicando aqui).

(Foto:)

Localizado em uma parte de San Francisco conhecida como Tenderloin, o prédio do Twitter é um foco de atenção em meio à pobreza e à violência (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

twitter2

O hall de entrada do edifício mostra que pertence a uma companhia bilionária (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

A entrada do escritório do Twitter introduz um tema

A entrada do escritório do Twitter introduz um tema “natural” (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

O mesmo tema colore as paredes das salas de reunião (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

O mesmo tema colore as paredes das salas de reunião (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Os visitantes são recepcionados com diversas opções de comes e bebes (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Os visitantes são recepcionados com diversas opções de comes e bebes (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Os funcionários, no entanto, têm uma infinidade de opções de alimentação (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Os funcionários, no entanto, têm uma infinidade de opções de alimentação (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

As áreas externas também foram alvo de investimentos por parte do Twitter. Há recursos tanto para trabalho quanto para festas, que acontecem periodicamente (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

As áreas externas também foram alvo de investimentos por parte do Twitter. Há recursos tanto para trabalho quanto para festas, que acontecem periodicamente (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Até churrasco os funcionários do Twitter podem fazer (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Até churrasco os funcionários do Twitter podem fazer (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

twitter9

Em vários ambientes, as famosas hashtags marcam presença (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Parece uma loja de doces, mas é uma das opções de lanches da sede do Twitter -- e vários desses itens são saudáveis (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Parece uma loja de doces, mas é uma das opções de lanches da sede do Twitter — e vários desses itens são saudáveis (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

O Twitter montou uma cápsula do tempo a ser aberta em 2026 (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

O Twitter montou uma cápsula do tempo a ser aberta em 2026 (Foto: Robert Johnson/Business Insider)

Dilma centrar sua campanha em São Paulo — mesmo em horário de trabalho — só confirma o papel crucial do Estado na eleição

CAMPANHA DISFARÇADA – Em horário de expediente, presidente-candidata Dilma Rousseff visita Unidade Básica de Saúde no Jardim Jacy, em Guarulhos (SP) (Foto: Ichiro Guerra)

CAMPANHA DISFARÇADA – Em horário de expediente, a presidente-candidata Dilma Rousseff visita Unidade Básica de Saúde no Jardim Jacy, em Guarulhos (SP). Com enorme índice de rejeição, sobretudo na Capital, presidente não perde oportunidade de visitaro Estado (Foto: Ichiro Guerra)

Em 11 dias de campanha eleitoral no mês de agosto, até ontem, a presidente Dilma Rousseff deixou sua pesada agenda em Brasília para passar seis dias no Estado de São Paulo.

As escapadas volta e meia são disfarçadas de “agenda oficial”, quando se constituem puramente em atos de campanha eleitoral.

Na segunda feira, dia 4, por exemplo, o repórter do site de VEJA Felipe Frazão flagrou uma dessas supostas atividades “oficiais” que, na verdade, são descaradamente atos eleitorais.

Nesse dia, a presidente-candidata visitou a Unidade Básica de Saúde (UBS) Jardim Jacy, em Guarulhos, a segunda cidade mais populosa do Estado de São Paulo, que recebeu profissionais do controvertido programa Mais Médicos.

A viagem da presidente foi preparada às pressas e chegou a aparecer de manhã na agenda oficial do Palácio do Planalto, mas foi retirada horas depois porque o evento ganhou ares inequívocos de campanha – Dilma, no entanto, estava em horário de expediente.

Tanto era campanha que a comitiva da presidente (ou da candidata?) levou para as dependências da UBS uma equipe para registro de imagens de campanha para a propaganda na TV.

Para conferir algum ar mais oficial à visita, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, também participou do ato.

Dilma está driblando a legislação eleitoral porque o instituto Datafolha — a entidade mais confiável no levantamento de intenções de votos em eleições — constatou que seu índice de rejeição no Estado de São Paulo é de 47%. Ou seja, 47% dos eleitores dizem que não votarão na presidente de jeito nenhum.

Na capital, o índice chega a espantosos 49%.

Está mais do que confirmada, pois, a nota que publiquei falando sobre o papel central de São Paulo nesta eleição — e sobre a importância, para o candidato tucano Aécio Neves, de se aproveitar do enorme eleitorado paulista e do fato de que Dilma possui altos índices de rejeição no Estado.

Se quiserem, confiram aqui.

Acusado de intermediar propina no Maranhão é sócio de Sarney

Meire Poza –

Meire Poza – “O Beto (Youssef) lavava o dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro pra lá e pra cá o tempo todo.” (Foto: Jefferson Coppola/VEJA)

Ex-secretário da Casa Civil do Maranhão, João Guilherme Abreu, é um dos três administradores do shopping Jaracati, que tem também o Sarney como sócio

Por Kalleo Coura, de Recife, para o site de VEJA

O ex-secretário da Casa Civil do Governo do Maranhão, João Guilherme Abreu, uma das quatro pessoas apontadas pela contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Bonfim Poza, de participar de uma reunião em que foi acertado o pagamento de propina no valor de 6 milhões de reais ao governo do estado, é sócio do senador José Sarney (PMDB-AP) em um shopping da capital maranhense.

Segundo depoimento de Meire Poza à Polícia Federal, revelado nesta segunda pelo Jornal Nacional, a propina teria sido paga ao governo para que a empresa UTC/Constran furasse a fila dos precatórios e recebesse os 120 milhões de reais que o governo do Maranhão lhe devia antecipadamente.

Segundo a contadora, no dia 10 de setembro de 2013, houve uma reunião para acertar os detalhes do acordo com João Guilherme Abreu, a presidente do Instituto de Previdência do Estado Maria da Graça Marques Cutrim, a procuradora-geral Helena Maria Cavalcanti Haickel e um assessor identificado apenas como Bringel.

Depois disso, os pagamentos foram liberados. Até o momento, 33 milhões de reais já foram pagos. Youssef receberia 12 milhões de reais por ter intermediado o acordo. Ainda segundo a contadora, um assessor do governo teria dito a Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte, que 300 000 reais entregues por ele como parte do acordo era pouco e por isso teria que consultar a governadora Roseana Sarney para saber se ela aceitaria apenas essa quantia.

Leia também:
Contadora do doleiro Youssef desnuda seu esquema de propina

Abreu é um dos três administradores do shopping Jaracati junto com Ana Clara Murad Sarney, neta do senador e filha de Fernando Sarney. No quadro societário do shopping constam três empresas: Adpart Administração LTDA (de propriedade de José Sarney, cuja procuradora é a neta Ana Clara) com 15% de participação, JGT Participações LTDA (de propriedade de João Guilherme de Abreu) com 22% e Niagara Empreendimentos LTDA (de propriedade de Severino Francisco Cabral) com 63%.

Não é a primeira vez que Abreu se envolve em negócios e confusões com a família Sarney. Tanto ele quanto Severino Francisco Cabral, o sócio majoritário do shopping, fizeram parte do quadro societário da Lunus Participações, antiga empresa de Roseana Sarney e do marido Jorge Murad.

Em março de 2002, a Polícia Federal encontrou 1,34 milhão de reais escondidos no cofre da empresa, que funcionava como comitê da pré-campanha de Roseana à presidência pelo então PFL.

Depois de apresentar oito versões diferentes para explicar a origem do dinheiro – nenhuma delas convincente – a candidatura de Roseana acabou sendo sepultada. Espera-se que a polícia investigue a fundo essa rede corrupto-político-empresarial.

O caso - A contadora participou de algumas das maiores operações do grupo acusado de lavar 10 bilhões de reais de dinheiro sujo, parte desviada de obras públicas e destinada a enriquecer políticos corruptos e corromper outros com o pagamento de suborno. Em VEJA desta semana, ela revelou que parlamentares notórios, partidos e empreiteiras participavam das tramas

MERVAL PEREIRA: Governistas e sua vasta rede de militantes que atuam na internet procuram banalizar ações criminosas na web, como se fossem corriqueiras

Não faz sentido que o ministro Gilberto Carvalho tome a parte pelo todo e confunda o Brasil com o PT (Foto: Richard Casas / PT)

Como é que o ministro Gilberto Carvalho pode afirmar que é uma “bobagem” a alteração maldosa de perfis de críticos do governo na Internet por computadores situados em instalações do governo e ficar tudo bem? (Foto: Richard Casas / PT)

 A BANALIZAÇÃO DO CRIME

Artigo de Merval Pereira publicado no jornal O Globo

Sem ter como desmentir as recentes denúncias de manipulação criminosa, os governistas e sua vasta rede de militantes que atuam na internet passaram a uma bem orquestrada ação de banalização dessas atividades ilegais, como se fossem corriqueiras.

É o caso da preparação dos ex-diretores da Petrobras para depoimentos na CPI que apura a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, acusada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de prejudicial aos cofres da empresa.

A própria presidente Dilma abriu essa discussão ao acusar publicamente o ex-diretor Nestor Cerveró de ter produzido um relatório falho tecnicamente, que induziu o Conselho Administrativo da Petrobras, presidido por ela na ocasião, ao erro de aprovar uma transação que se mostrou equivocada. Pois bem, como é sabido a Petrobras demitiu Cerveró, que à época trabalhava na BR Distribuidora, e a própria presidente da estatal, Graça Foster, admitiu no Congresso que aquela não fora uma boa compra.

Descobre-se agora que a Petrobras está pagando as multas com que os ex-diretores foram punidos pelo TCU, e que todos eles, inclusive o culpado pelo prejuízo, estavam recebendo orientações especiais e treinamento para o depoimento na CPI da Petrobras.

Não bastasse a estranheza de a estatal prejudicada bancar a defesa de ex-diretores acusados de malversação de dinheiro público, gravações de uma reunião na sede da Petrobras revelaram que a chegada de Cerveró à sede da empresa foi cercada de preocupações e cautelas para que sua presença não fosse notada.

E que as perguntas que seriam feitas a ele e a outros diretores já estavam previamente preparadas pelos próprios membros da CPI da base aliada do governo.

O ministro das Comunicações Paulo Bernardo, para justificar essa tramoia, deu uma declaração absolutamente absurda: segundo ele, desde Pedro Álvares Cabral, as CPIs são arranjadas.

Esqueceu-se de que a CPI que derrubou o então presidente Collor foi liderada pelo PT, e que outras, como a dos Correios, acabaram levando à cadeia diversos líderes petistas envolvidos no mensalão.

(PARA TERMINAR DE LER, CLIQUEM AQUI)

AÉCIO NEVES AO “JORNAL NACIONAL”: “Farei o que for necessário para controlar a inflação, retomar o crescimento e fazer voltar a confiança perdida no Brasil”

 

Caso Oi/PT: Um dedo que acusa — por email

Uma troca de email entre o controlador do Grupo Espírito Santo, Ricardo Salgado, e o presidente da Andrade Gutierrez, Sergio Andrade, sugere que os sócios brasileiros da Oi sabiam a respeito do investimento de 900 milhões de euros da Oi em papéis do Grupo Espírito Santo, que quebrou mês passado.

Num dos emails, de 8 de julho deste ano, vazado ao jornal português Expresso, Salgado diz a Andrade que foi “surpreendido” pela reação dos sócios brasileiros, que renunciaram ao conselho da Portugal Telecom após descobrir que a PT havia comprado os papéis da RioForte, a cambaleante empresa do Grupo Espírito Santo (GES).

Diz Salgado, no email endereçado ao brasileiro: “Caro Sérgio, estou surpreendido com a situação porque certamente que o Sérgio se lembra de que o GES teria uma contrapartida equivalente ao benefício das holdings privadas brasileiras no aumento de capital”.

As ‘holdings privadas’ a que Salgado se refere são a AG Telecom — da Andrade Gutierrez, que Andrade preside — e a La Fonte, empresa da família Jereissati, ambas sócias da PT na Oi.

O ‘benefício’ é a zeragem da dívida de ambas as holdings junto ao BNDES, o que só foi conseguido graças ao controverso aumento de capital da Oi, que alguns acionistas tentaram barrar alegando ‘benefício particular’ dos controladores.

No email, Salgado sugere que houve uma troca de favores entre o Espirito Santo, que tinha forte ascendência sobre a PT, e os controladores da Oi no Brasil.

É impossível determinar a veracidade do que diz Salgado, até porque sua reputação em Portugal hoje em dia vale menos que as ações do BES.  No início do mês, o próprio Expresso noticiou que Salgado enviou uma carta à estatal venezuelana PDVSA, em junho, garantindo que a empresa não perderia seu investimento de 800 milhões de euros em papéis do BES. A administração do banco não foi informada sobre esta ‘carta de conforto’, e agora a dívida entrou na longa lista de tormentos do banco português.

De qualquer forma, Andrade não mordeu a isca. Cerca de 12 horas depois, ele respondeu: “Creio que seu e-mail faz referência a um mal entendido, pois os aportes de capital que foram realizados na cadeia societária da Telemar [Oi] foram feitos, exclusivamente com base em interesses legítimos das partes”.

O ‘veneno’ está na edição deste fim de semana do Expresso, que aventa a possibilidade de Salgado ter ‘plantado’ o email para ‘incriminar’ os brasileiros.

Pela primeira vez, um brasileiro vai receber o “Nobel da Matemática”

O matemático Artur Avila, primeiro brasileiro a receber prêmio Fields, considerado o Nobel da Matemática (Divulgação/VEJA)

O matemático Artur Avila, primeiro brasileiro a receber prêmio Fields, considerado o Nobel da Matemática (Divulgação/VEJA)

Na VEJA.com:
O brasileiro Artur Avila, pesquisador do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Rio de Janeiro, vai receber a Medalha Fields, considerada o “Nobel de Matemática”. O anúncio foi feito na abertura do 27º Congresso Internacional de Matemáticos, em Seul, na tarde desta terça-feira (manhã da quarta, no horário sul-coreano). O prêmio é concedido a cada quatro anos pela União Internacional de Matemática a estudiosos com menos de 40 anos de idade que tenham alcançado resultados inéditos e revolucionários na área. Outros três especialistas serão premiados. É a primeira vez que um matemático latino-americano recebe a honraria.

“O anúncio me surpreendeu. Eu não esperava ter chances em 2014 (…) Minha reação inicial foi mais de alívio que de outra coisa, já que o prêmio agora significa que não vou ter de passar por mais quatro anos de pressão. Quando comecei como matemático, nem pensava nesse tipo de prêmio. Mas, desde 2008, começou a se falar nessa possibilidade e ficou impossível ignorar”, disse Avila, em comunicado divulgado pelo Impa. “O que eu mais queria (e continuo querendo) é fazer matemática da mesma maneira que no início. Por exemplo, escolhendo tópicos em que trabalhar por considerá-los atraentes, em vez de pensar em termos do reconhecimento que eles possam trazer.”

Avila, de 35 anos, é considerado um prodígio desde a adolescência. Antes mesmo de se formar na faculdade de matemática, em 2001, foi convidado a atuar como pesquisador do Impa, instituto supervisionado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, onde hoje ocupa a Cátedra Armínio Fraga. Dois anos depois, Avila recebeu convite para dirigir o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), em Paris — ele se naturalizou francês e realiza parte das pesquisas na França.

Nos últimos dez anos, o prestígio de Avila no meio acadêmico vem crescendo apoiado em estudos que buscam entender os sistemas dinâmicos, cujo estado evolui com o passar do tempo por influência de diversos fatores. A teoria desse ramo da matemática é utilizada para construir previsões em áreas tão distintas como física, biologia e economia.

Avila também ficou conhecido entre os estudiosos por conseguir provar, em 2005, a “Conjectura dos dez martínis”, problema proposto em 1980 pelo americano Barry Simon — que prometeu pagar dez copos da bebida a quem explicasse sua teoria sobre o comportamento dos “operadores de Schrödinger”, ferramentas matemáticas ligadas à física quântica. Junto com a pesquisadora Svetlana Jitomirskaya, Avila solucionou o problema e, de fato, foi premiado com algumas rodadas de martíni.

Desde 2010, há uma expectativa de que o brasileiro seja premiado com a Medalha Fields. Naquele ano, ele se apresentou na 27ª edição do Congresso Internacional de Matemáticos, realizado na Índia — uma honraria destinada a poucos. Desde a primeira edição do congresso, apenas nove brasileiros haviam sido convidados para palestrar no evento. Na edição deste ano, além de Avila, mais quatro brasileiros participam do congresso, entre eles o matemático Fernando Codá, que também era cotado para receber a medalha.

Tags:
Fonte:
Blogs de veja.com.br

1 comentário

  • Eduardo Lima Porto Porto Alegre - RS

    Artur Ávila é o verdadeiro Herói Brasileiro. Nesses tempos de absoluta miséria intelectual, talvez seja o único. Alguém como ele deveria ser recebido com honrarias de Estado e o Povo deveria ir para as Rua manifestando orgulho por tamanho feito. O legado de Artur para a Ciência poderá ser infinitamente superior a qualquer coisa que 100 anos de Futebol possam ter deixado. Enquanto os Brasileiros permanecerem na embebidos na extrema ignorância, festejando ou esbravejando em torno dos resultados do Futebol, continuaremos um País Medíocre, elegendo Corruptos e enaltecendo cretinos que literalmente não servem para nada, apesar dos milhões que lhes são dados.

    0