Boi: Mercado futuro encerra mais uma sessão com valorizações na Bolsa Brasileira

Publicado em 17/10/2019 17:13
265 exibições
Indicador do boi gordo ESALQ/B3 estava cotado a R$ 160,94/@ na parcial de outubro (até o dia 16)

LOGO nalogo

As referências futuras para o boi gordo enceraram a sessão desta quinta-feira (17) com valorizações na Bolsa Brasileira. O vencimento outubro/19 terminou o dia com altas de 0,79%, a R$ 165,55/@. No caso do contrato novembro/19, os preços ficaram precificados ao redor de R$ 170,45/@, com um ganho de 1,10%. O dezembro/19 registrou valorizações de 0,40% e está próximo de R$ 173,40/@.

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o analista da Scot Consultoria, Hyberville Neto, apontou que o mercado futuro está operando do lado positivo em função do aumento da demanda chinesa, principalmente após a habilitação de novas plantas frigoríficas para exportar para a China.

A consultoria também realizou um levantamento histórico de como os contratos de outubro se comportaram em anos anteriores. “Esta análise é justamente para situar as altas projetadas pelo o mercado futuro, frente ao que já observamos no passado. Com isso, fizemos um histórico das variações dos preços do boi gordo, de outubro a outubro e de outubro a maio”, informou.

O analista ainda relatou em entrevista que as projeções indicam que as referências futuras devem se manter firmes no próximo ano, mas os preços da reposição vão continuar em alta também. Do lado do milho, a temporada 2019/20 da soja está sendo cultivada com atrasos e pode impactar na janela da segunda safra. “Isso tende a jogar a safrinha para o período de maior risco climático e pode afetar a disponibilidade de milho no próximo ano”, relata.

Veja mais:

>> Com o mercado futuro em alta, pecuaristas devem aproveitar a oportunidade para fazer a proteção de preços

Segundo informações do Cepea, a baixa oferta de animais prontos para o abate segue sustentando os valores da arroba do boi gordo e, consequentemente, da carne no atacado. Além disso, segundo pesquisadores do Cepea, a demanda internacional pela carne bovina brasileira continua bastante aquecida, principalmente por parte da China.

Com relação à média do indicador do boi gordo ESALQ/B3 na parcial de outubro (até o dia 16), de R$ 160,94/@. “É a maior da série do Cepea, em termos nominais. Já em termos reais, trata-se do patamar mais elevado desde fevereiro de 2018. Nessa quarta-feira, 16, o indicador fechou a R$ 161,40/@, ligeira queda de 0,5% no acumulado parcial do mês”, destacou o Cepea.

Confira mais:

>> Boi: Médias nominais do boi e da carne seguem em patamares recordes

A ponta compradora do mercado físico de boi gordo atuou de forma mais ativa, oferecendo preços maiores em algumas praças devido à baixa oferta de animais e a necessidade de compra. A maioria das plantas frigoríficas conseguiu adquirir diversos pequenos lotes e conseguiu programar o abate de animais até o fim da próxima semana, destacou a Informa em seu boletim diário.

No aplicativo AgroBrazil foram registradas referências para exportação para a China ao redor de R$ 170,00/@, à prazo com 20 dias  para pagar,  na região de Populina/SP.  No município de Pimenta Bueno/RO, houve negociações de R$155,00/@, à prazo com trinta dias para pagar. No aplicativo também foram registradas negociações em Pompéia/SP de R$ 174,00/@, á vista para a novilha a termo.

Para saber mais detalhes, confira o aplicativo AgroBrazil AQUI

Confira como ficaram as cotações do Boi Gordo nesta quinta-feira:

>> BOI

Por: Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário