Arroba do boi sobe 34,04% no mês, fecha a R$ 228,80 e o Kg bate nos R$ 16

Publicado em 23/11/2019 09:29
7375 exibições

SÃO PAULO (Reuters) - O preço da arroba do boi gordo no Estado de São Paulo atingiu 228,80 reais, novo recorde histórico, após registrar alta de 0,62% nesta sexta-feira, de acordo com o indicador Esalq/B3.

No mês, o preço acumula alta de 34,04%, com a maior demanda da China, uma oferta restrita de animais prontos para abate e o mercado contando com uma maior demanda interna, à medida que consumidores receberão a primeira parcela do 13.o salário neste mês, segundo especialistas.

A fome chinesa para preencher o buraco deixado pela peste suína africana na criação de porcos já é sentida setorialmente nos índices de inflação no Brasil e ainda pressiona margens da maior parte dos frigoríficos do país. 

Além da forte demanda da China após novas habilitações de indústrias de bovinos pelos chineses, o dólar em máximas históricas frente ao real também favorece as exportações, de acordo com integrantes da indústria.

Abate elevado de fêmeas jovens nos últimos dois anos deve provocar um buraco na oferta de animais para abate em 2020

O abate de fêmeas registrou um aumento significativo nos últimos dez anos e agora já está influenciando na oferta e consequentemente nos preços do Bezerro e do Boi gordo. E como agravante desse cenário, nos últimos 2 ou 3 anos,  o abate de fêmeas jovens também aumentou, e a consequência é um buraco na oferta de animais terminados no próximo ano.

Segundo o analista de mercado, Rodrigo Albuquerque, a pecuária está retendo poucas fêmeas nos últimos anos. “A média de fêmeas abatidas nos últimos dez anos foi significativa, e nessa década, só em um ano o setor reteve as fêmeas de maneira significativa. Era esperado que em algum momento, os preços para o bezerro iriam se fortalecer e que iria refletir nos valores do boi gordo”, comenta.

Esse cenário ficou mais evidente a partir do momento que a indústria brasileira descobriu a novilha como uma solução para o problema do macho inteiro não castrado. “Começamos a direcionar em larga escala abate de fêmeas jovens, porém as fêmeas jovens são as que têm os maiores índices reprodutivos e tem o melhor mérito genético”, relata.

Na opinião de Albuquerque o próximo limitador para a arroba do boi gordo é justamente o valor do bezerro. “A cria ficou décadas com uma margem muito ruim e é muito bom ver esse segmento se valorizando. Para quem atua na recria e engorda é preciso ser profissional, pois cada vez mais será desafiador esse cenário”, conta.

Contratos futuros encerram 6ª feira em campo misto na B3; kilo no atacado sobe a R$ 16

As referências futuras para o boi gordo encerram o pregão desta sexta-feira (22) em campo misto da tabela na Bolsa Brasileira (B3). O contrato Novembro/19 finalizou o dia a R$ 222,80/@, com um ganho de 1,04%. Por outro lado, o Dezembro/19 registrou uma queda de 0,48%e está cotado a R$ 216,50/@% e o Janeiro/20 terminou o dia com uma desvalorização de 0,58% e precificado a R$ 215,75/@.

A semana termina com valorizações nos principais contratos negociados na Bolsa Brasileira. O vencimento  Novembro/19 terminou a semana com um ganho de 12,24% se comparado com a sexta-feira da semana anterior. No caso do contrato Dezembro/19 esse ganho foi de 5,61% ao longo da semana e o Janeiro/20 teve uma alta de 6,22% frente aos preços do fechamento da sexta-feira passada.

Confira o gráfico em que mostra o comportamento dos preços futuros no período de  14/11 a 22/11

Nesta quinta-feira (21), o indicador Cepea/Esalq ultrapassou mais um recorde, fechou em R$ 227,40/@, alta de 11,85% (+ R$ 24,10) na comparação diária. Essa é a maior alta diária já registrada pela série histórica do Cepea, iniciada 1994. O indicador Esalq/B3 para o boi gordo encerra a semana com um avanço de 14,13% se comparado com os valores analisados de 14 a 21 de novembro.

Confira como os preços do indicador da Esalq/B3 se comportaram durante os dias 14/10 a 21/11

Conforme os dados divulgados pela a Scot Consultoria, as quatro praças pesquisadas registraram ganhos significativos ao longo dessa semana. A região de Goiânia foi a registrou o maior incremento nos preços de 20,34%% e fechou a semana com a arroba próxima de R$ 210,00/@, à vista e livre de funrural. Em Barretos/SP também teve altas expressivas de 17,97% e está com os preços em torno de R$ 226,50/@, à vista e livre de funrural.

Já na região de Cuiabá/MT fechou a semana com um ganho de 15,54%% nas referências para o boi gordo que estão ao redor de R$ 197,00/@, à vista e livre de impostos. Em Campo Grande/MS, o boi gordo está cotado a R$ 197,00/@ e teve um aumento de 11,61% nas cotações.

Confira o gráfico em que mostra o comportamento dos preços da arroba no período de 14/11 a 22/11

Ao longo dessa semana, as cotações do boi gordo subiram em média 8,9% (considerando todas as praças pesquisadas) e 2,8% na comparação com o fechamento de ontem, considerando o preço à vista. “Os preços subiram em 29 das 32 praças pesquisadas, destacando a região de Dourados-MS, cuja alta foi de 7,6% na comparação feita dia a dia”, apontou a Scot Consultoria.

As escalas de abate continuam encurtadas nas principais praças analisadas pela Agrifatto. “São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Minas Gerais estão com as programações girando em torno de 4 dias úteis. Já na região norte, como Rondônia e Tocantins, as programações têm média em torno de 3 dias úteis”, informou a consultoria.

No Aplicativo AgroBrazil, os participantes informaram negócios para o animal com destino a exportação na região de Bonito/MS de R$ 222,00/@, à prazo com trinta dias para pagar. Já em Rondonópolis/MT, o preço oferta para o boi gordo foi de R$ 210,00/@, à vista e com data para o abate no dia 27 de novembro.

No município de Orlândia/SP, o valor negociado para a arroba do boi China foi de R$ 230,00, á prazo com sete dias para pagar. Na localidade de Carlos Chagas/MG, ocorreram negócios para a arroba do boi gordo a R$200,00, à prazo com trinta dias para pagar.

Carne

A Informa Economics FNP apontou que as vendas no varejo ganharam intensidade oferecendo suporte aos preços dos cortes bovinos negociados no atacado, inclusive rompendo novos recordes de altas observados na semana, o que permite a trajetória de valorização da arroba no mercado físico de boiada gorda.

No atacado, o aplicativo AgroBrazil informou que o boi casado em São Paulo está precificado a R$ 16,00/kg, na qual registrou um incremento de R$ 0,30 se comparado ao fechamento desta quinta-feira.

Em seu boletim matinal, a Radar Investimentos destacou que a carne no atacado também teve remarcações de preço frequentes com as tentativas da indústria em repassar a alta da matéria-prima ao produto final. O intervalo das tentativas de compra é grande.

Leia mais: 

>> Carne bovina no atacado também teve remarcações de preço frequentes, por Radar Investimentos

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta sexta-feira:

>> BOI

Tags:
Fonte: Reuters/Notícias Agrícolas

0 comentário