Com os estoques chineses abastecidos, exportações de carne bovina in natura reduzem o ritmo na segunda semana de maio

Publicado em 18/05/2020 16:10 355 exibições

LOGO nalogo

Após os chineses abastecerem os estoques no início do mês, o volume embarcado carne bovina in natura na segunda semana registrou uma leve queda frente ao observado nos primeiros cinco dias úteis de maio. Nos primeiros quinze dias do mês, o total embarcado de carne bovina in natura foi de 78,6 mil toneladas, na qual a média diária ficou em 7,8 mil toneladas exportadas.

De acordo com o analista de mercado da Agrifatto, Yago Travagini, o volume exportado de carne bovina in natura reduziu nesta segunda semana devido aos estoques chineses estarem abastecidos. “Nós tivemos uma primeira semana muito boa, mas os números reduziram mais do que esperado. Na semana passada, a média diária estava em torno de 10,7 mil toneladas, e agora, a média está próxima de 7,8 mil toneladas”, comentou.

Segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (SECEX), a média diária teve um incremento de 39,19% se comparado com o ano anterior, que registrou uma média de 5,65 mil toneladas. A radar Investimentos apontou, que mesmo com esta correção no volume exportado, é possível que os embarques de carne bovina in natura deste mês sejam historicamente altos. "Se confirmado este cenário, seria algo bem próximo do recorde visto em Outubro do ano passado quando foram enviadas 160,10 mil toneladas ao exterior.

Confira o gráfico de exportações brasileiras de carne bovina in natura, em mil toneladas.

Elaborado pela a Radar Investimentos

exportações de carne bovina da segunda quinzena de maio - Radar Investimentos

Os preços médios ficaram próximos de US$ 4.402,40 por tonelada, um aumento de 13,48% se comparado ao mesmo período do ano anterior que registrou um preço de US$ 3.879,30 por tonelada."As indústrias que estão vendendo não está se baseando nos preços da arroba no mercado interno, mas está operando baseado no dólar elevado", afirma o analista da Agrifatto. 

O valor negociado do produto para o produto foi US$ 346,365,1 mil nas duas semanas de maio,  tendo em vista que o valor comercializado foi no ano passado foi de US$ 482,4 mil. Nas duas primeiras semanas de maio, a média diária ficou em US$  34,63 registrou um avanço de 57,96%, frente ao observado do ano passado que negociou a US$ 21,9 mil.

As Projeções preliminares da consultoria Agrifatto apontam para exportações totais entre 150 e 160 mil toneladas enviadas até o final de maio, um cálculo considerando o histórico dos últimos três meses e uma queda nos embarques no final do mês. "A China continua com um défict de proteína animal causado pelo o surto de Peste Suína Africana e também suspendeu os embarques de quatro plantas frigorificas na Austrália. Por isso, a demanda chinesa deve continuar aquecida para os próximas semanas", conclui Travagini.

Leia mais:

>> Após a China suspender frigoríficos, produção de carne na Austrália começa a ser afetada

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário