Preço do boi no Rio Grande do Sul teve um aumento 26,67% na comparação anual, destaca Emater

Publicado em 25/06/2020 16:57 99 exibições

LOGO nalogo

De acordo com o relatório semanal da Emater/RS, as referências para o boi gordo e para a vaca seguiram com movimento de alta em que boi foi de R$ 6,85 para R$ 7,03/kg vivo, aumentando mais 2,63%; os preços da vaca subiram mais 2,35%, passando de R$ 5,97 para R$ 6,11/kg vivo.

De acordo com as informações da Emater/RS, se comparado com valores registrados há um ano, o preço atual do quilo vivo do boi está 26,67% maior.

Nas regiões de Bagé e Caxias do Sul, tem pouca oferta de gado gordo para o abate, não respondendo a demanda apresentada pelos frigoríficos. “Na Campanha, pecuaristas familiares formam lotes com outros criadores, viabilizando vendas para frigoríficos de Bagé, Caçapava do Sul e Pelotas”, reportou o relatório.

Os animais apresentam melhora no escore corporal à medida que inicia o manejo dos rebanhos em pastagens cultivadas. “Criadores que dependem do campo nativo suplementam com sal proteinado, feno de tífton, resíduos de soja e de arroz. Contudo, os animais ainda não estão prontos para o mercado de carnes”, destacou o instituto.

Com relação à sanidade dos animais, o resultado é satisfatório e os animais com condição física mais debilitada requerem uma atenção especial, principalmente no controle de doenças parasitárias.

Pastagens

Ainda de acordo com a Emater, as pastagens perenes de verão como tífton e campo nativo reduzem a capacidade de rebrote, mas como ocorreu apenas geada fraca e como as temperaturas foram amenas, continua o rebrote, ainda proporcionando pastejo de bovinos.

“Apesar da época, as pastagens de verão de campos nativos continuam ofertando volumoso; o clima da semana foi favorável para essas espécies, e a resposta em rebrote foi razoável. No entanto, os campos nativos nos  Campos de Cima da Serra apresentam péssimas condições e volumes”, conclui o relatório.

Confira o relatório completo AQUI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário