O apetite chinês por carne bovina está voltando ao normal, afirmam exportadores

Publicado em 06/11/2020 13:59 777 exibições

O consumo de carne bovina em restaurantes na China se recuperou quase totalmente da pandemia de Covid-19, de acordo com o maior exportador de carne da América do Sul.

A demanda por serviços de alimentação atingiu 90% dos volumes observados antes da pandemia, disse o presidente-executivo da Minerva SA , Fernando Galletti de Queiroz, em teleconferência com analistas na quarta-feira. As visitas às estações de trem, ônibus e aeroportos chineses atingiram um recorde, sugerindo uma sólida recuperação econômica que reforça as perspectivas para o quarto trimestre , disse ele.

As exportações para a China devem ser fortes em um período em que o país costuma estocar alimentos para se preparar para as festividades de ano novo. O país asiático é o principal consumidor da carne bovina brasileira, respondendo por cerca de 60% dos embarques do país. Para o Minerva, a China respondeu por cerca de 40% das exportações consolidadas do ano passado.

O apetite asiático por carne bovina continuará aumentando devido aos efeitos da peste suína africana sobre a produção de suínos, a urbanização e os novos hábitos alimentares, disse Queiroz. Isso está levando o Minerva a buscar parceiros na região, com a empresa sediada em São Paulo dizendo quarta-feira que assinou um memorando de entendimento não vinculante para formar uma joint venture com uma empresa chinesa, disse Queiroz, sem dar detalhes.

O Grupo Greenland, que atua principalmente no mercado imobiliário, disse separadamente em um comunicado que concordou em estabelecer um empreendimento com a Minerva para expandir o negócio de proteínas. A Groenlândia usará seu canal de distribuição, cadeia de varejo e logística da cadeia de frio para impulsionar as importações de carne bovina da América do Sul.

A Groenlândia espera que as importações totais de carne cheguem a 4 bilhões de yuans (US $ 600 milhões) nos próximos dois anos com o acordo da Minerva, de acordo com o comunicado. O objetivo é criar o maior centro de distribuição de importação de carne da China, com comércio de importação superior a 10 bilhões de yuans em cinco anos.

Tags:
Fonte:
Bloomberg

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário