Café: NY fecha com alta nesta 6ª feira mesmo com chuvas no cinturão produtivo do Brasil

Publicado em 06/02/2015 16:53

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam com alta nesta sexta-feira (6), as cotações ficaram durante todo o dia no campo positivo devido a preocupação com o tamanho da safra brasileira que tem recebido chuvas nos últimos dias.

O contrato março/15 registrou 166,85 cents/lb com alta de 210 pontos, o maio/15 anotou 169,60 cents/lb com valorização de 205 pontos, o julho/15 fechou a sessão com 172,25 cents/lb também com avanço de 205 pontos e o setembro/15 registrou 174,60 cents/lb com 195 pontos positivos.

De acordo com o analista de mercado da Safras & Mercado, Gil Barabach, o que tem pressionado o mercado são as informações climáticas que são determinantes para a safra atual. 

Agências internacionais informaram também que as informações de revisão de safra em decorrência das secas reforçaram a apreensão global com a oferta de café. Como a demanda e oferta está muito ajustada, a Bolsa de Nova York para o arábica refletiu esses dados e os preços avançaram.

Segundo informações da Somar Meteorologia, o clima deve seguir chuvoso nas áreas produtoras de café até segunda-feira da próxima semana, beneficiando as lavouras que passaram por longo período sem chuvas.

Apesar de chuvas, clima seco já castigou lavouras

Em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta sexta-feira, o pesquisador do Incaper, Romário Gava Ferrão disse que a estiagem no Espírito Santo tem castigado as lavouras e coloca em risco o potencial da safra no estado e vem prejudicando a vida dos cafeicultores.

» Veja o vídeo da entrevista aqui

O presidente da Sincal, Armando Matielli informou que com chuvas a esperança está de volta, mas as perdas de 30% na produtividade serão irrecuperáveis.

» Veja o vídeo da entrevista aqui

O Conselho Nacional do Café (CNC) chegou a reportar em seu informativo de hoje que inegavelmente, o volume a ser colhido em 2015 sofrerá quebra por mais um ano consecutivo.

Mercado interno

No físico, os preços estão firmes e com negócios isolados pelas praças de comercialização do Brasil.

O tipo cereja descascado continua maior valor de negociação na cidade de Guaxupé-MG com R$ 574,00 a saca e alta de 1,95%. O município com variação mais expressiva no dia foi Poços de Caldas-MG com alta de 2,68% e 536,00 a saca.

Para o tipo 4/5, a cidade com maior valor de negociação também foi Guaxupé-MG que tem saca cotada a R$ 561,00 e valorização de 2,75%. Foi a oscilação mais expressiva no dia entre as praças.

O tipo 6 duro teve maior valor em Guaxupé-MG com saca cotada a R$ 508,00 e 3,04% de avanço, maior oscilação no dia.

Na quinta-feira (5), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou valorização de 5,95% e está cotado a R$ 469,05 a saca de 60 kg.

» Clique e veja as cotações completas de café

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    A cotação que deveria ter o café, hoje, na minha opinião, se é que vale a opinião de quem labuta com o produto desde a década de 60 é de 750 reais a saca...Os pápéis que trocam de mão na Bolsa de Valores já estão gastos de tanto trocar de mão, mas os estoques dos especuladores estão zerando e é preciso cumprir o vencimento deste "troca-troca"...Corram pra comprar o que ainda tem pra oferecer porque senáo a vaca vai pro brejo

    0