Café: Bolsa de Nova York opera com leve baixa nesta manhã de 4ª feira, mas sustenta patamar de US$ 1,40/lb

Publicado em 03/08/2016 12:32
106 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com leve baixa nesta tarde de quarta-feira (3) e estendem as perdas registradas na véspera. O mercado segue atento ao câmbio, mas também acompanha o recuo de outros ativos. No entanto, apesar da baixa, os preços externos da variedade têm conseguido se manter acima do patamar de US$ 1,40 por libra-peso.

Por volta das 11h49, o vencimento setembro/16 registrava 141,00 cents/lb com baixa de 25 pontos, o dezembro/16 registrava 144,45 cents/lb com 15 pontos de recuo. Já o contrato março/17 estava cotado a 147,40 cents/lb com 20 pontos de desvalorização, enquanto o maio/17 estava cotado a 149,20 cents/lb com 15 pontos negativos.

Assim como na sessão anterior, as oscilações do câmbio ditam o mercado do arábica na ICE. Às 11h39, o dólar comercial tinha alta de 0,36%, cotado a R$ 3,2779 na venda, com investidores atentos à possibilidade de ajustes econômicos no Brasil e dados fortes de emprego nos Estados Unidos. As oscilações do dólar impactam diretamente as exportações da commodity.

Em todo o mês de julho (21 dias úteis), as exportações de café em grão do Brasil totalizaram 1,73 milhões de sacas, com receita de US$ 271,4 milhões. O número representa uma queda de 30,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (1º) pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No lado fundamental, em menor intensidade, também pesa sobre o mercado o avanço da colheita da safra 2016/17, que tem apresentado melhora. A colheita dos cooperados da Cooxupé (Cooperativa Regional dos Cafeicultores em Guaxupé) totalizou 67,6% da área total na semana encerrada em 29 de julho, um avanço de 14,2% em relação à semana anterior.

De acordo com mapas climáticos, o tempo deve continuar seco nos próximos dias nas áreas produtoras, o que favorece os trabalhos no campo. No Sul, uma frente fria pode causar chuva mais intensa e abrangente no próximo fim de semana.

Nas praças de comercialização do Brasil seguem lentos os negócios com café, apesar dos preços permanecerem firmes. "O setor produtivo vem, dia a dia, aumentando a liquidez do mercado, mas apesar desta postura vendedora, os níveis de preços praticados vêm se mantendo sustentados em reais", afirmou ontem (2) o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • miguel moura abdalla piraju - SP

    A falta do café para abastecer o mercado interno e externo cada dia se consolida no total maximo de 47 milhões de sacas com a quebra pela metade da safra do connilon.

    0