Café: Bolsa de Nova York recua cerca de 100 pts nesta tarde de 4ª feira com suporte do câmbio

Publicado em 17/08/2016 12:55 e atualizado em 17/08/2016 17:45
84 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com queda próxima de 100 pontos nesta tarde de quarta-feira (17) e perdem praticamente todos os ganhos registrados nos últimos dias. Com essa baixa, os vencimentos mais próximos já estão abaixo de US$ 1,40 por libra-peso. O mercado realiza ajustes técnicos, mas também sente a pressão do câmbio, que impacta diretamente nas exportações da commodity.

Por volta das 10h38, o contrato setembro/16 registrava 136,70 cents/lb com 70 pontos de baixa, o dezembro/16 tinha 139,95 cents/lb com 80 pontos de recuo. Já o vencimento março/17 estava cotado a 143,05 cents/lb com 85 pontos de desvalorização, enquanto o maio/17 anotava 145,00 cents/lb com 75 pontos de negativos.

Após recuar na sessão anterior, o dólar comercial voltou a subir nesta quarta com a possibilidade do Fed (Federal Reserve), Banco Central dos Estados Unidos, elevar os juros no mês que vem. Às 12h, a moeda norte-americana subia 0,68%, a R$ 3,2153 na venda. O dólar mais alto em relação ao real tende a dar maior competitividade às exportações da commodity, por outro lado, os preços externos recuam.

Após perder patamar de US$ 1,50/lb nos últimos dias, as cotações do arábica na ICE tem registrado curtas oscilações, repercutindo o câmbio principalmente. "O mercado cafeeiro carece de fatos novos e pegada compradora para sustentar preços e expectativas", afirma o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Com a melhora climática nos últimos meses, os trabalhos de colheita caminham para o fim. Na Cooxupé (Cooperativa Regional dos Cafeicultores em Guaxupé), a colheita atingiu 82,11% da área até o dia 12 de agosto. O número representa um avanço de quase 7% de uma semana para a outra. Nesse mesmo período do ano passado, 72,65% da área dos cooperados havia sido colhida.

Já nas praças de comercialização do Brasil, os negócios com café seguem lentos. Os produtores preferem aguardar melhores patamares de preço para voltarem aos negócios. Na terça-feira (16), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 468,44 com queda de 0,15%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário