Café: Bolsa de Nova York trabalha praticamente estável nesta tarde de 3ª feira após queda na véspera

Publicado em 04/10/2016 12:49
90 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam praticamente estáveis nesta tarde de terça-feira (4), mas recuperam parte das perdas registradas na sessão anterior, quando o mercado repercutiu a melhora na condição climática nesta semana nas principais origens produtoras do Brasil. Ainda assim, os principais vencimentos no mercado continuam próximos do patamar de US$ 1,50 por libra-peso.

Pelo horário de Brasília, às 12h18, o vencimento dezembro/16 estava cotado a 147,95 cents/lb com 40 pontos de alta, o março/17 registrava 151,30 cents/lb com 40 pontos de avanço. Já o contrato maio/17 estava sendo negociado a 153,20 cents/lb com 40 pontos de avanço e o julho/17, mais distante, subia 20 pontos a 154,75 cents/lb.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, as bolsas para o café operam praticamente estáveis nesta terça-feira e sem indicar tendência no curto prazo. Na véspera, os preços externos do grão tiveram perdas de cerca de 400 pontos. "As bolsas para o café operam lateralizadas e sem indicar pega especulativa. A queda do dólar pode ajudar a sustentação das bolsas", explica o analista.

Na sessão anterior, as cotações futuras do café arábica perderam cerca de 400 pontos diante da possibilidade de melhora na condição climática do cinturão produtivo de café do Brasil. "Há a percepção no mercado de que essas chuvas têm forças para quebrar o tempo seco nas regiões produtoras, o que gerava muitas dúvidas em relação ao potencial produtivo da safra 2017/18 do Brasil", explicou ontem (3) o analista de mercado da Safras & Mercado, Gil Carlos Barabach. A temporada 2017/18 é de bienalidade baixa para a maioria das regiões, ou seja, já deve ter produção menor que a safra que acabou de ser colhida.

De acordo com mapas climáticos, a semana deve continuar com chuvas fortes sobre o cinturão produtivo de café do Brasil. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) aponta que entre hoje (4) e quarta-feira (5) choverá mais de 40 milímetros no Sul de Minas Gerais e Cerrado Mineiro e entre 20 e 30 milímetros no Espírito Santo, Alta Mogiana e em parte do Sul da Bahia. No Paraná, Oeste de São Paulo e Baixa Mogiana, a chuva deve ser mais fraca.

Na segunda-feira cerca de oito cidades entre o Sul de Minas Gerais e São Paulo foram atingidas por fortes chuvas, inclusive com relatos de granizo. Essa condição, no entanto, não foi generalizada. Essas fortes precipitações vieram em um momento delicado para as lavouras, uma vez que elas estão próximas de receber a principal florada.

» Café: Cafeicultores têm prejuízos com chuvas de granizo no Sul de MG e SP; tempo continua instável durante toda a semana

No mercado interno, os negócios com café seguem sem muitas novidades ainda que os preços tenham esboçado valorização nos últimos dias. O produtor brasileiro aguarda por melhores patamares para voltar a ofertar mais ativamente suas produções. "O mercado interno do café deverá ter dia lento e negócios isolados. Preços sustentados", explicou Marcus Magalhães.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário