Café: Bolsa de Nova York tem queda próxima de 300 pts nesta 2ª feira e reverte ganhos recentes

Publicado em 05/11/2018 17:29
257 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta segunda-feira (05) com queda de cerca de 300 pontos. Depois de alta seguida nos últimos dias, o mercado externo do grão passou por ajustes técnicos no dia, além da pressão do câmbio.

O vencimento dezembro/18 fechou o dia com queda de 330 pontos, a 116,75 cents/lb e o março/19 recuou 275 pontos, cotado a 121,10 cents/lb. Já o contrato maio/19 registrou 123,70 cents/lb com baixa de 275 pontos e o julho/19 teve queda de 275 pontos, a 126,15 cents/lb.

Os futuros do arábica subiram nos últimos dias à medida em que o dólar se desvalorizada ante o real. Nesse cenário, o mercado subiu nas últimas três sessões e voltou a se aproximar do patamar de US$ 1,20 por libra-peso. Agora, porém ajustes técnicos passaram a ser vistos no terminal.

Apesar da queda, os movimentos altistas ainda podem ser vistos no mercado. "As tendências ainda são altistas nos dois mercados", disse em relatório o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville. Além dos ajustes técnicos, o câmbio também contribuiu para as perdas.

O dólar comercial fechou o dia com alta de 0,89%, cotado a R$ 3,7273 na venda, com exterior e operadores de olho no cenário político local. A divisa mais alta em relação ao real tende a encorajar as exportações da commodity, mas em compensação pressiona as cotações externas da variedade.

Apesar do viés mais técnico na sessão, o lado fundamental também segue sendo acompanhado de perto pelos operadores externos, apesar de não repercutir nos preços. "O clima é bom no Brasil, mas todo mundo está de olho no El Niño, pois ele pode causar perdas de safra nas áreas cafeeiras", ressaltou Scoville.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café seguiu com negócios lentos na semana passada. Na última sexta-feira, por exemplo, foi feriado de Finados no Brasil. Com isso, as praças de comercialização do grão não funcionaram e o cenário ficou ainda mais tranquilo.

"O mercado físico brasileiro permaneceu calmo... Os cafeicultores recusaram o valor das ofertas dos compradores", disse em boletim na última quinta-feira (1º) o Escritório Carvalhaes, com sede em Santos (SP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 485,00 - estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Poços de Caldas (MG) com recuo de 1,02% e saca a R$ 484,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 465,00 - estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Poços de Caldas (MG) com baixa de 1,09% e saca a R$ 452,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Araguari (MG) (estável) e Franca (SP) (estável), mas com saca a R$ 460,00. A maior oscilação no dia foi registrada na Média Rio Grande do Sul com alta de 2,27% e saca a R$ 450,00.

Na quinta-feira (1º), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 446,22 e alta de 1,32%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário