Café arábica encerra semana com alta de mais de 100 pts em NY acompanhando desvalorização do dólar

Publicado em 06/09/2019 16:54 e atualizado em 09/09/2019 16:45
360 exibições

LOGO nalogo

​As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta sexta-feira (06) com alta de mais de 100 pontos nesta sexta-feira (06) na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado teve importante suporte do dólar, mas também se ajustou ante as quedas recentes.

Os lotes com vencimento para dezembro/19 encerraram o dia com alta de 165 pontos, a 97,05 cents/lb e o março/20 anotou 100,45 cents/lb e 165 pontos de perdas. O maio/20 anotou 102,75 cents/lb e 165 pontos de avanço e o julho/20 subiu 165 pontos, a 104,80 cents/lb.

"Os preços do café subiram nesta sexta-feira em cobertura de posições vendidas depois que o real brasileiro subiu 1,08%, para máxima de duas semanas. Um real mais forte desencoraja as vendas para exportação pelo Brasil", disse o Barchart.

O mercado nesta sexta-feira praticamente reverteu as perdas da sessão anterior. Próximo do fechamento da ICE, às 16h34, o dólar comercial havia reduzido perdas e recuava 0,91%, cotado a R$ 4,072 na venda, acompanhando dados dos Estados Unidos.

"Mais uma vez, o movimento do dólar frente ao real está todo pautado pelo cenário externo. Houve um aumento nas apostas de cortes de juros nos EUA e isso acaba favorecendo o clima por aqui. Agora, basta esperar pelas sinalizações do Powell sobre a postura do Fed diante desses dados", disse Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora.

Sobre a safra 2020/21 do Brasil, a meteorologia não aponta chuvas consistentes para os próximos dias no cinturão produtivo do Sudeste do Brasil. Mapas mostram que nos próximos dias apenas o Norte do Rio de Janeiro e Espírito Santo. A safra está em desenvolvimento.

O mercado termina a semana com alta acumulada de 0,21%. No entanto, pesou bastante sobre os preços durante a semana m dados da OIC (Organização Internacional do Café) que apontaram que a exportação global nos nove meses de 2018/19 subiram mais de 10%, para 109,4 milhões de sacas de 60 kg.

A exportação mundial de café em julho teve aumento de 9,5% em julho deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando 11,34 milhões de sacas de 60 kg.

Mercado interno

Do lado físico, os negócios seguem acontecendo, mas em ritmo mais lento do que em outros anos. "Apesar da maior liquidez, agentes apontam que o volume de café da safra 2019/20 nas mãos de produtores ainda é significativo", destaca o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Varginha (MG) com saca a R$ 470,00 – estável. A oscilação mais expressiva ocorreu em Poços de Caldas (MG) com alta de 1,11% e saca a R$ 455,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 435,00 e alta de 1,16%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 415,00 e avanço de 1,22%. 

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 421,00 e queda de 1,17%. A maior oscilação no dia ocorreu em Poços de Caldas (MG) com baixa de 1,25% e saca a R$ 405,00.

Na quinta-feira (05), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 415,47 e baixa de 0,76%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário