Café arábica sobe mais de 200 pts nesta 3ª em NY e dezembro/19 vai a 98 cents/lbp

Publicado em 22/10/2019 15:58 e atualizado em 22/10/2019 17:01
618 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros do café arábica encerraram a sessão desta terça-feira (22) com altas de mais de 200 pontos na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado estende os ganhos dos últimos dias com atenção ao câmbio e informações sobre o Brasil. 

O vencimento dezembro/19 teve alta de 255 pontos, cotado a 98,90 cents/lbp, o março/20 anotou 102,30 cents/lbp com 260 pontos de ganhos. O maio/20 avançou 260 pontos, a 104,50 cents/lbp e o julho/20 teve avanço de 255 pontos, a 106,45 cents/lbp.

O mercado externo do arábica teve altas na casa dos 50 pontos na ICE na sessão anterior diante de preocupações com a safra brasileira depois de empresas meteorológicas apontarem nos últimos dias chuvas abaixo da média no cinturão produtivo após floradas.

Esse movimento seguiu e o site internacional Barchart também destacou movimentações técnicas no exterior depois das oscilações do dólar ante o real, que impactam nas exportações. Às 16h48, o dólar comercial tinha queda de 1,42%, cotado a R$ 4,072 na venda.

"Os preços do café subiram nesta terça-feira com o arábica dezembro/19 em uma alta de duas semanas com coberturas de posições vendidas e a força do real brasileiro", destacou o Barchart. O dólar mais baixo tende a desencorajar os embarques.

"Nós temos um viés de queda, e esse viés de queda se deve principalmente a uma melhora no ambiente local", disse à Reuters Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora em referência ao dia marcado por votação da reforma da Previdência no Senado. 

Também segue no mercado a informação da Cooxupé, que em entrevista para a agência de notícias Reuters, disse que já vendeu toda sua oferta de contratos com entregas futuras. A Cooxupé está em Guaxupé e é a maior cooperativa de café do Brasil.

"Os fundos venderam uma quantidade enorme de café nos últimos 30 dias, e esse café não existe, então não sei como vai ficar isso", disse o superintendente comercial da Cooxupé, Lúcio de Araújo Dias para a agência internacional de notícias.

Mercado interno

O dia no mercado brasileiro de café foi de oscilações positivas a estáveis nos principais tipos. As negociações, no entanto, continuam em baixa liquidez e com produtores mais atentos ao planejamento da próxima temporada.

"Os preços baixos praticados no mercado de café, que se acentuaram em 2018 e no decorrer deste ano, desestimulam (ou impedem por falta de recursos) muitos produtores a fazerem os tratos culturais necessários em seus cafezais", destca o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 490,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Varginha (MG) com alta de 4,65% e saca a R$ 450,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 435,00 e alta de 1,16%. A maior oscilação no dia dentre as praças foi verificada em Varginha (MG) com avanço de 4,88% e saca a R$ 430,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Araguari (MG) com saca a R$ 440,00 – estável. A maior oscilação no dia foi registrada em Varginha (MG) com alta de 4,94% e saca cotada a R$ 425,00.

Na segunda-feira (21), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 416,03 e queda de 0,94%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário