Café: Bolsa de Nova York volta a cair nesta 4ª feira e dezembro/19 vai a 97 cents/lbp

Publicado em 23/10/2019 17:00 e atualizado em 23/10/2019 17:35
334 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta quarta-feira (23) com quedas de mais de 100 pontos na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado realiza ajustes ante a sessão anterior, mas acompanha dados da oferta.

O vencimento dezembro/19 teve queda de 115 pontos, cotado a 97,75 cents/lbp, o março/20 anotou 101,20 cents/lbp com 110 pontos de ganhos. O maio/20 avançou 115 pontos, a 103,35 cents/lbp e o julho/20 teve avanço de 105 pontos, a 105,40 cents/lbp.

O mercado do arábica na ICE iniciou os trabalhos desta quarta-feira já em queda depois das altas de mais de 200 pontos na sessão anterior. Os futuros só não recuaram mais na sessão porque tiveram suporte do dólar, que recuou mais de 1% no dia.

Além dos movimentos técnicos de ajustes, o mercado externo do arábica também recuou no dia diante de novas informações sobre a oferta. O fato ainda foi diante da assimilação dos números de estoques dos Estados Unidos.

"Os preços do café estão mais fracos nesta manhã com amplos suprimentos... Os futuros também foram prejudicados pelas perspectivas de uma safra abundante de café no Brasil", destacou o site internacional Barchart com base em relatos e consultorias.

Na última semana, em entrevista para a agência de notícias Reuters, a Cooxupé destacou que apesar das ideias de superávit, a cooperativa já havia vendido toda sua oferta de contratos com entregas futuras. A Cooxupé é a maior cooperativa de café do Brasil.

Às 16h41 (horário de Brasília), o dólar comercial tinha queda de 1,07%, cotado a R$ 4,032 na venda, acompanhando os destaques da reforma da Previdência no Senado. A moeda mais baixa ante o real tende a desencorajar as exportações.

"O cenário doméstico é estável, e a tendência é que a moeda fique em patamares moderados até o final da sessão", disse para a agência de notícias Reuters Jefferson Laatus, sócio e fundador do Grupo Laatus.

Mercado interno

Os negócios seguem em ritmo lento nas praças de comercialização do Brasil, apesar de variações positivas na véspera. Segundo o Escritório Carvalhaes, produtores tem se preocupado mais com tratos culturais em seus cafezais.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 490,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Patrocínio (MG) com queda de 2,17% e saca a R$ 450,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) (-1,15%) e Varginha (MG) (estável), ambos com saca a R$ 430,00. A maior oscilação no dia foi em Poços de Caldas (MG) com queda de 1,18% e saca a R$ 420,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 430,00 e alta de 2,38%. A maior oscilação no dia foi registrada em Araguari (MG) com queda de 4,55% e saca cotada a R$ 420,00.

Na terça-feira (22), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 422,18 e alta de 1,48%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário