Café: Mercado inicia 6ª com baixas técnicas após altas expressivas na última sessão

Publicado em 22/11/2019 08:58
219 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica iniciou a sessão desta sexta-feira (22) com baixas, após duas sessões de altas expressivas na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Por volta das 8h55 (horário de Brasília) o contrato com vencimento em dezembro/19 registrava queda de 75 pontos, cotado a 114,50 cents/lbp, março/20 tinha queda de 140 pontos, negociado 114,85 cents/lbp, maio/20 tinha baixa de 155 pontos, cotado a 117,05 cents/lbp e julho/20 tinha queda de 150 pontos, sendo negociado a 119,15 cents/lbp. 

Na sessão de quinta-feira (21) o mercado registrou altas de até 555 pontos, após o  USDA (Departamento de Agricultura do Estados Unidos) divulgar uma redução de 10,5% para a produção de café brasileiro na safra 2019/20. 

Alta esperada 

Direto da Semana Internacional do Café, Nelson Carvalhaes presidente da Cecafé, comentou que após um período de preços baixos, mas de muito investimentos e paciência do cafeicultor brasileiro, as altas eram esperadas pelo setor. "Todas as ações que vinham ocorrendo no mercado de lá para cá, indicavam que em um determinado momento teria uma melhora no preço", comenta. Veja a entrevista completa aqui. 

Mercado Interno

No Brasil o mercado interno também registrou altas, acompanhando Nova York. Segundo Eduardo Carvalhaes, as altas não foram tão expressivas, mas os negócios também caminharam por aqui. 

O tipo 6 duro registrou altas nas principais praças produtoras do país. A maior elevação foi registrada em Espírito Santo do Pinhal/SP, com alta de 6,67%, negociado a R$ 480,00. Em Guaxupé/MG o aumento foi de 2,94%, cotado a R$ 490,00. Poços de Caldas/MG, registrou alta de 
2,06% encerrando as cotações por R$ 495,00. Varginha/MG teve elevação de 3,13%, por R$ 495,00. Em Franca/SP o aumento foi de 2,06%, encerrando as negociações por 495,00. 

Veja como fechou o mercado na quinta-feira: 

- Café: Mercado segue com altas expressivas após USDA apontar diminuição na safra

- Confira mais cotações aqui

Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário