Café: Mercado registra altas de 220 pts no dezembro/19 e baixas nos demais contratos

Publicado em 06/12/2019 12:07
270 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica operava de maneira mista na Bolsa de Nova York (ICE Future US) no início da tarde desta sexta-feira (6) e registrava altas de 220 pontos no dezembro/19 e baixas de até 50 pontos nos demais contratos. 

Às 12h03 (horário de Brasília), dezembro/19 subia 220 pontos, cotado a 126,15 cents/lbp, março/20 recuava 40 pontos, cotado 124,40 cents/lbp, maio/20 caia 30 pontos, cotado a 126,70 cents/lbp e julho/20 tinha queda de 35 pontos, cotado a 128,45 cents/lbo

Às 12h08 o dólar registrava baixa de 0,38% e era cotado a R$ 4,172 na venda. O dólar mais baixo tende a desvalorizar as exportações. O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo. 

Para o analista de mercado Eduardo Carvalhaes, do Escritório Carvalhes, as altas expressivas mais uma vez, fazem parte do cenário que o produtor de café vem encontrando há duas semanas de variações expressivas, após enfrentar os preços tão abaixo do esperando ao longo do ano. 

Destaca ainda que por se tratar de um mercado de muita volatividade, vários fatores podem ter influenciado as altas. "Existe o sentimento de que o mercado está subindo porque o Brasil está embarcando bem e já sabemos que a próxima safra será de ciclo alto, porém abaixo da safra/2018", explica. 

No Brasil, o mercado interno acompanhou o exterior e também registrou algumas variações. Segundo Carvalhaes, as altas por aqui são mais tímidas, mas os negócios também são fechados.

O tipo 6 duro teve alta de 2,29% registrada em Guaxupé/MG, estabelecendo os preços por R$ 535,80. Em Poços de Caldas/MG a alta foi de 1,96%, por R$ 520,00. Já em Araguarí/MG a movimentação foi mais expressiva, com alta de 4,85% e precificado por R$ 540,00. Patrocínio/MG a alta foi de R$ 530,00. 

Veja como fechou o mercado na quinta-feira (5):

- Café: Março/20 tem alta de 360 pts e encerra mais uma sessão expressiva em NY

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário