Café: Bolsa de Nova York encerra com quedas técnicas nos principais contratos

Publicado em 27/02/2020 17:00
289 exibições

LOGO nalogo

Após iniciar a sessão com altas na Bolsa de Nova York (ICE Future US), os contratos futuros do café encerram em baixa e com movimentações técnicas no pregão desta quinta-feira (27). 

Março/20 encerrou com queda de 90 pontos, negociado por 108,20 cents/lbp, maio/20 registrou a mesma desvalorização, valendo 109,75 cents/lbp, julho/20 registrou queda de 100 pontos, cotado a 111,70 cents/lbp e setembro/20 encerrou com baixa de 115 pontos, negociado por 113,45 cents/lbp. 

Apesar das demais commodities agrícolas registrarem baixas expressivas desde o início da semana motivadas pelo Coronavírus, para o mercado do café o cenário é diferente porque o vírus ainda não gera impactos para o café. De acordo com o analista Haroldo Bonfá, da Pharos Consultoria, o Coronavírus só derrubaria de maneira expressiva os preços em Nova York, caso problemas logísticos impedissem os embarques. "O café ao contrário das outras commodities tem outro processo de utilização e isso vai permitir que a gente continue com as exportações e o consumo no Brasil e lá fora", afirma. 

Veja a entrevista completa: 

>>> Café e Coronavírus: Apenas problemas logísticos impactariam os preços em NY e demanda mundial

A atual situação preocupa o mercado do café muito mais no horizonte cambial - com o dólar muito forte frente ao real - do que no quesito demanda. Afinal, o comportamento de fortalecimento da moeda americana é alimentado também pela maior aversão ao risco registrada no mercado financeiro mundial.

O site internacional Barchart destacou a alta do dólar, que teria motivado as baixas desta quinta-feira (27). "Os preços do café na quinta-feira desistiram dos ganhos iniciais e fecharam em queda devido à fraqueza do real, que caiu -0,52% e registrou um novo recorde de 4,5002 reais / USD", afirma o site. 

No Brasil, o mercado físico também encerrou o dia com poucas variações nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 duro teve alta de 0,96% em Guaxupé/MG, estabelecendos os valores por R$ 525,00. Em Poços de Caldas/MG a alta foi de 0,39%, valendo R$ 517,00. Espírito Santo do Pinhal/SP´registrou valorização de 4%, por R$ 520,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 515,00, assim como Araguarí/MG que manteve o valor de R$ 530,00.

O tipo 4/5 teve valorização de 038% em Poços de Caldas/MG, estabelecendo os preços por R$ 527,00. Franca/SP teve alta de 1,92%, valendo R$ 530,00 e Varginha/MG manteve a estabilidade por R$ 515,00. 

O tipo cereja descascado teve alta de 0,71%, cotado por R$ 570,00 em Guaxupé/MG. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 0,34%, estabelecendo os preços por R$ 587,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 555,00.

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário