Safras de países produtores pressionam e café termina o dia em queda

Publicado em 11/06/2020 16:22 e atualizado em 11/06/2020 16:54 556 exibições

LOGO nalogo

O fechamento para o café foi negativo nesta quinta-feira (11) na Bolsa de Nova York, com os contratos para julho de 2020 em 96,00 cents/lbp, queda de 75 pontos. Para setembro de 2020, os preços fecharam em 97,70 cents/lbp, uma queda de 85 pontos, já dezembro de 2020 fechou em 100,00 cents/lbp, com que de 80 pontos e março fechou em 102,20 cents/lbp, com queda de 75 pontos.

As condições climáticas no Brasil devem impulsionar o ritmo da colheita de café no país e aumentar a oferta. Por outro lado,a pandemia de coronavírus diminuiu a demanda de café em todo o mundo, com bloqueios que mantêm os consumidores em casa e longe de restaurantes e cafeterias fechados.

Além disso, há sinais de uma safra abundante de café na Colômbia, o segundo maior produtor mundial de grãos arábica, atrás do Brasil. Uma possível melhora na demanda européia tem ajudado os futuros em Londres Robusta, assim como os valores mais altos para o real. 

A produção de café do Vietnã deve cair 3,5% em 2020/2021 para 30,2 milhões de sacas devido a condições climáticas desfavoráveis, afirma o Departamento de Agricultura dos EUA. Acrescenta que as exportações de café vietnamitas para o ano atual devem ser 8% inferiores à previsão anterior, de 23,5 milhões de sacas, devido à concorrência do mercado externo. 

Confira as últimas cotações para o café brasileiro.

Leia também:

Colheita de café da Cooxupé alcança 12,5% do total até 5 de junho

Preço do café tipo arábica no mercado físico caiu R$ 130,00 em 30 dias: Colheita e clima justificam quedas também no Conilon

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário