Avanço da colheita e tempo estável: Café finaliza semana com baixas no BR e em NY

Publicado em 10/07/2020 16:23 e atualizado em 12/07/2020 11:50 395 exibições
Cotações domésticas foram sustentadas pela retração vendedora, já que os produtores têm se concentrado nas entregas programadas

LOGO nalogo

A semana finaliza com quedas técnicas para o mercado futuro do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Future US). A colheita ganhou intensidade no Brasil durante os últimos dias e as previsões climáticas seguem indicando tempo estável no sul de Minas Gerais, o que pode voltar a pressionar o mercado no próximo pregão. 

Setembro/20 teve baixa de 135 pontos, valendo 97,40 cents/lbp, dezembro/20 registrou queda de 130 pontos, negociado por 100,05 cents/lbp, março/21 teve baixa de 135 pontos, valendo 102,20 cents/lbp e maio/21 registrou baixa de 135 pontos, valendo 103,55 cents/lbp. 

"Os ganhos na segunda e na terça-feira devido a preocupações sobre a disseminação do novo coronavírus no Brasil e os potenciais impactos na economia favoreceram um desempenho positivo ao dólar comercial na semana, apesar dos recuos na quarta-feira e ontem, motivados pelo anúncio de números melhores que o esperado de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos", destacou o Conselho Nacional do Café em sua análise semanal. 

Já o site internacional Barchart destacou que um ponto positivo para os preços do café arábica é o aperto no fornecimento de café. Os estoques de café arábica monitorados pela ICE na sexta-feira caíram para um mínimo de 2-3 anos, com 1.621 milhões de sacas.

"Os preços do café estão sofrendo pressão descendente com a previsão de chuvas abaixo do normal nas regiões produtoras de café do Brasil, o que poderia acelerar o ritmo da colheita de café no Brasil. O Somar Meterologia disse na segunda-feira que as chuvas em Mina Gerais foram de 1,2 mm na semana passada ou apenas 28% da média histórica", finalizou a análise internacional. 

O mercado físico brasileiro também recuou nesta semana, porém com menos intensidade que o exterior. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), as cotações domésticas foram sustentadas pela retração vendedora, já que os produtores têm se concentrado nas entregas programadas, realizando poucos negócios no spot.

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve baixa de 0,97% em Guaxupé/MG, valendo R$ 508,00. Poços de Caldas/MG registrou queda de 1%, valendo R$ 495,00, Patrocínio/MG encerrou com baixa de 0,99%, negociado por R$ 500,00, Araguarí/MG teve baixa de 0,96%, negociado por R$ 515,00 e Varginha/MG encerrou com queda de 0,95%, valendo R$ 520,00.

O tipo cereja descascado teve baixa de 0,87% em Guaxupé/MG, valendo R$ 572,00. Poços de Caldas/MG registrou queda de 0,83%, negociado por R$ 595,00, Patrocínio/MG teve baixa de 0,90%, valendo R$ 550,00, Varginha/MG teve queda de 0,83% e estabeleceu os preços por R$ 595,00.

>>> Veja mais cotações aqui

 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário