Café tem pregão positivo em NY e no Brasil: Mercado de olho nas previsões do clima para a florada

Publicado em 13/08/2020 16:47 815 exibições

LOGO nalogo

As cotações do mercado futuro do café arábica encerraram o pregão desta quinta-feira (13) com altas expressivas para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Setembro/20 teve alta de 415 pontos, valendo 116,20 cents/lbp, dezembro/20 subiu 385 pontos, valendo 118,10 cents/lbp, março/21 teve alta de 385 pontos, negociado por 120,35 cents/lbp e maio/21 subiu 365 pontos, valendo 121,15 cents/lbp. 

As cotações voltam apresentar valorização após encerrar as útimas sessões com desvalorizações motivadas pelo clima. Segundo Haroldo Bonfá, analista da Pharos Consultoria, a partir de agora o mercado volta as atenções para as condições do clima na florada, que tem como característica acontecer em setembro no sul de Minas Gerais. 

>>> Nova safra de café: Primeiras floradas do Conilon já são registradas em Rondônia

Vale lembrar que há quatro meses as chuvas ficam abaixo do esperado na região, conforme indica os dados da Cooxupé. Em entrevista realizada no Notícias Agrícolas, na quarta-feira, o presidente Carlos Augusto Rodrigues de Melo destacou que ainda é cedo para avaliar os impactos, mas que o período de estiagem já está no radar da cooperativa. 

Na Alta Mogiana, em Franca/SP, o cenário é o mesmo e as chuvas também preocupam a produção. Com 90% de área colhida, Saulo de Carvalho Faleiros - gerente comercial da Cocapec destacou que o tempo seco foi muito favorável para a colheita, mas que neste momento já era preocupações com a próxima produção. "Daqui pra frente cada dia sem chuva pode resultar em prejuízo", afirma. >>> Veja entrevista completa aqui

O site internacional Barchart voltou a destacar em sua análise diária as baixas nas exportações do café brasileiro em julho. "Os preços do café fecharam em forte alta na quinta-feira, com o robusta em alta em 1 semana. Sinais de oferta menor de café estão sustentando os preços do café. A CeCafe informou na quarta-feira que as exportações brasileiras de café verde em julho caíram -11%", disse. Vale lembrar que o Brasil passa por uma das entressafras mais apertadas da história e que a entrada da nova safra deve voltar a impulsionar as exportações neste segundo semestre. 

No Brasil, o mercado físico acompanhou as movimentações e também encerrou com valorização nas principais praças prodoturas do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 5,26% em Araguarí/MG, valendo R$ 600,00. Guaxupé/MG teve alta de 1,73%, negociado por R$ 587,00, Poços de Caldas/MG registrou alta de 0,88%, negociado por R$ 570,00, Campos Gerais/MG teve alta de 1,74%, negociado por R$ 585,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 555,00 e Varginha/MG manteve o valor de R$ 590,00.

O tipo cereja descascada teve alta de 1,61% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 630,00. Poços de Caldas/MG subiu 0,72%, valendo R$ 700,00, Campos Gerais/MG teve valorização de 1,57%, valendo R$ 645,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 605,00 e Varginha/MG manteve o valor de R$ 625,00.

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário