Café finaliza semana com preços estáveis em Nova York e no Brasil

Publicado em 14/08/2020 16:28 468 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou a semana com desvalorização para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US).  A semana foi marcada por preços abaixo dos 115 cents/lbp na segunda-feira (10) e pelas altas no pregão da quinta-feira (13), que ultrapassaram os 400 pontos. 

Setembro/20 teve baixa de 150 pontos, valendo 114,70 cents/lbp, dezembro/20 registrou queda de 165 pontos, negociado por 116,45 cents/lbp, março/21 registrou baixa de 190 pontos, valendo 118,45 cents/lbp e maio/21 teve queda de 190 pontos, negociado por 119,25 cents/lbp. 

As baixas podem ser consideradas técnicas e segundo análise do site internacional Barchart, sinais de oferta menor de café estão sustentando os preços do café. "A oferta de café continua a apertar, o que representa alta para os preços do café, já que os estoques de café arábica monitorados pela ICE na quinta-feira caíram para 1,392 milhão de sacas", destacou. 

O consultor de agronegócio do Itaú BBA, Cesar de Castro Alves, destacou em entrevista o Notícias Agrícolas que as próximas semanas poderão ser de bastante movimentação para o mercado do café na Bolsa. "Eu entendo que alguns fatores possam estar ajudando na recuperação recente em plena colheita, acho que a seca favorece muito a colheita, mas complica um pouco o próximo ano", comenta.

Além disso, Cesar destacou as baixas nos estoques certificados nos Estados Unidos e também as movimentações do dólar em queda durante esta semana, elementos importantes para a formação de preços na Bolsa e que reflete diretamente no mercado físico. 

O especialista não descarta que novas baixas voltem acontecer nos próximos dias, apesar dos fundamentos e ações técnicas serem positivas para o mercado neste momento. "Existem razões para o café cair, razões técnicas e o produtor tem que olhar isso com cuidado, mas a verdade é que neste momento está favorecendo o produtor", explica. 

>>> Café: Produtor precisa estar atento às oportunidades no mercado futuro, que deve voltar apresentar mais volatilidade

No Brasil, as cotações finalizaram com estabilidade nas principais praças produtoras do país. "No mercado físico, apesar da puxada de ontem, poucos negócios foram realizados, com a maioria dos vendedores permanecendo retraída, à espera de melhores cotações, conforme o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Os indicadores calculados pela instituição para as variedades arábica e conilon se situaram em R$ 557,61/saca e R$ 381,08/saca, com variações de -1,4% e 0,9%, respectivamente", destacou o Conselho Nacional do Café. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve baixa de 1,67% em Araguarí/MG, estabelecendo os valores por R$ 590,00, Guaxupé/MG manteve o valor de R$ 587,00, Poços de Caldas/MG manteve o valor de R$ 570,00, Patrocínio/MG manteve o valor de R$ 570,00, Varginha/MG manteve o valor de R$ 590,00 e Campos Gerais Manteve as negociações por R$ 585,00. Franca/SP teve alta de 1,75%, valendo R$ 580,00. 

O tipo café cereja descascado manteve o valor de R$ 630,00 em Guaxupé/MG, Poços de Caldas/MG manteve o valor de R$ 700,00. Patrocínio/MG manteve o valor de R$ 620,00 e Varginha/MG manteve o valor de R$ 625,00.

>>> Veja mais cotações aqui 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário