Falta de chuvas no Brasil deu suporte de altas para o café, que finalizou com valorização em NY, Londres e no físico

Publicado em 10/09/2020 16:19 845 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou a sessão desta quinta-feira (10) com altas acima de 200 pontos para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Dezembro/20 teve alta de 285 pontos, valendo 131,70 cents/lbp, março/21 teve valorização de 295 pontos, negociado por 132,60 cents/lbp, maio/21 teve alta de 300 pontos, valendo 133,45 cents/lbp e julho/21 registrou altta de 305 pontos, negociado por 134,35 cents/lbp.

Segundo o site internacional Barchart, os preços voltaram a subir com a preocupação com as condições no clima no Brasil. "Os preços do café subiram na quinta-feira, devido à preocupação de que a excessiva secura no Brasil reduzisse a produtividade do café. A seca nos próximos 10 dias em todo o Nordeste mineiro não será favorável para a floração do café", afirmou. 

A análise destacou que ainda  que o Centro de Previsão do Clima dos EUA disse nesta quinta-feira que um padrão climático La Niña surgiu no Oceano Pacífico, o que pode levar a precipitações abaixo da média no Brasil no quarto trimestre. Veja a notícia completa aqui

"A Somar Meteorologia disse na terça-feira que a maioria das regiões produtoras de café no Brasil não receberia chuvas significativas até 25 de setembro. Os níveis de umidade do solo em Minas Gerais estão atualmente apenas de 20% a 30%, abaixo do nível ideal de 60% para o desenvolvimento da cultura", reforçou o Barchart. 

Além disso, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu na tarde da quarta-feira (9) um alerta de onda de calor para o sul de Minas Gerais, válido até o próximo domingo, dia 13. De acordo com o alerta laranja, as temperaturas devem ficar entre 3 e 5 graus acima da média.

No Brasil, as cotações acompanharam o exterior e também finalizaram o dia com valorização nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 1,62% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 627,00, Poços de Caldas/MG registrou valorização de 2,48%, negociado por R$ 620,00, Varginha/MG teve alta de 2,44%, valendo R$ 630,00, Campos Gerais/MG teve alta de 2,46%, negociado por R$ 625,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 600 e Araguarí/MG também não registrou variações, mantendo as negociações por R$ 600,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 3,05% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 675,00, Varginha/MG registrou alta de 2,99%, valendo R$ 690,00, Campos Gerais/MG teve alta de 2,24%, negociado por R$ 685,00, Guaxupé/MG teve alta de 1,52%, valendo R$ 670,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 650,00.

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon encerrou a sessão desta quinta com poucas variações. Novembro/20 teve alta de US$ 7 por tonelada, valendo US$ 1423, janeiro/21 registrou alta de US$ 8 por tonelada, negociado por US$ 1436, março/21 registrou valorização de US$ 7 por tonelada, negociado por US$ 1448 e maio/21 finalizou com alta de US$ 7 por tonelada, negociado por US$ 1461.

>>> Veja mais cotações aqui 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário