Café: Mercado futuro finaliza com valorização motivadas pelo clima e físico acompanha

Publicado em 12/11/2020 16:24

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quinta-feira (12) mantendo as altas para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Dezembro/20 teve alta de 100 pontos, valendo 110,10 cents/lbp, março/21 registrou alta de 100 pontos, negociado por 112,95 cents/lbp, maio/21 também teve alta de 100 pontos, valendo 114,80 cents/lbp e julho/21 encerrou valendo 116,45 cents/lbp, também com valorização de 100 pontos. 

"O café arábica tem suporte na recente seca nas regiões cafeeiras do Brasil. Dados da Somar Meteorologia na segunda-feira mostraram que as chuvas em Minas Gerais, a maior região produtora de café arábica do Brasil, mediram 8,2 mm na semana passada, ou apenas 19% da média histórica", destacou o site internacional Barchart em sua análise diária. 

O mercado já começa entender que as As áreas de cultivo de café de Minas Gerais enfrentaram temperaturas acima da média e uma falta de chuvas significativas nos últimos cinco meses, o que esgotou os níveis de umidade do solo e os recursos hídricos para irrigação. Apesar disso, analistas destacam que a pressão de alta nos preços na Bolsa deverão ser observadas no primeiro trimestre de 2021, quando os números reais da perda para 2021 forem divulgados. 

No Brasil, o mercado físico encerrou o pregão com valorização nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 4,39% em Varginha/MG, valendo R$ 595,00, Guaxupé/MG teve alta de 0,87%, valendo R$ 582,00, Araguarí/MG teve alta de 1,75%, valendo R$ 580,00 e Franca/SP registrou alta de 0,87%, negociado por R$ 580,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 3,28%, valendo R$ 630,00, Guaxupé/MG registrou valorização de 0,81%, negociado por R$ 625,00, Poços de Caldas/MG registrou alta de 0,81%, negociado por R$ 620,00 e Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 600,00.

Enquanto a falta de chuva no Brasil dá suporte para o café arábica, o tipo conilon recebe sustentação pelo excesso de chuvas no Vietnã.

"A Agência Nacional de Meteorologia do Vietnã disse que as Terras Altas Centrais do Vietnã, a maior região produtora de café do país, podem receber até 100-250 mm de chuva dos remanescentes da Tempestade Tropical Etau, que podem inundar as fazendas de café da região e reduzir a produção de café", afirmou o Barchart. 

Janeiro/20 teve alta de US$ 20 por tonelada, valendo US$ 1413, março/21 teve alta de US$ 15 por tonelada, negociado por US$ 1421, maio/21 teve alta de US$ 13 por tonelada, valendo US$ 1432 e julho/21 encerrou com alta de US$ 11 por tonelada, valendo US$ 1446.

>>> Veja mais cotações aqui

Leia Mais:

+ Café deveria subir diante de safra menor esperada no Brasil em 2021, diz Itaú BBA

+ Produção de café da Colômbia apresenta queda de 15% em outubro

+ Vendas da safra de café do Brasil 2020/21 atingem 69%, acima da média, diz Safras

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário