Café: Quarta-feira opera com estabilidade, com mercado acompanhando evolução das chuvas no Brasil

Publicado em 02/12/2020 19:01 617 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quarta-feira (2) com valorização técnica para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Março/21 teve alta de 65 pontos, valendo 119,10 cents/lbp, maio/21 subiu 50 pontos, negociado por 120,90 cents/lbp, julho/21 teve alta de 45 pontos, valendo 122,50 cents/lbp e setembro/21 encerrou com alta de 45 pontos, valendo 123,90 cents/lbp. 

De acordo com o site internacional Barchart, Os ganhos do arábica foram limitados pelas previsões de chuva no Brasil. "A Somar Meteorologia previu na terça-feira uma perspectiva mais úmida para as regiões cafeeiras do Brasil nos próximos dez dias. Além disso, a Marex Spectron disse na segunda-feira que a pandemia de Covid reduziria a demanda de café e causaria excesso de oferta", voltou a destacar a publicação. 

As previsões mais recentes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) seguem indicando chuvas para o sul de Minas Gerais nos próximos dias. De acordo com o modelo Cosmo, os acumulados nas próximas 24 horas podem chegar a 60 mm em algumas áreas da região. Além de Minas, o Inmet prevê ainda condição de chuvas para Alta Mogiana/SP e áreas do Espírito Santo. 

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, a cooperativa Cooabriel informou nesta quarta-feira que a expectativa é de aumento na safra de conilon, produzida no Espírito Santo. Com preços que deram suporte para bons tratos culturais e chuvas regulares, a tendência é de um aumento de 20% para o conilon em 2021. 

>>> Conilon: Clima e preços são positivos e Cooabriel tem estimativa de alta de 20% na safra 2021

Já nas regiões de producação de café arábica, apesar do retorno das chuvas, especialistas ainda apontam para uma redução na produção do ano que vem. As perdas para a próxima safra, consequência das condições climáticas, já existem apesar de ainda não ser possível quantificar o tamanho do impacto para o arábica. 

No Brasil, o mercado físico encerrou o dia com movimentações mistas nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 0,83% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 605,00. Franca/SP registrou valorização de 1,64%, valendo R$ 620,00 e Campos Gerais/MG encerrou com queda de 1,48%, negociado por R$ 600,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 607,00, Patrocínio/MG manteve o valor de R$ 600,00, Araguarí/MG manteve o valor por R$ 620,00 e Varginha/MG manteve a negociação por R$ 620,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 0,76% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 665,00. Campos Gerais/MG teve alta de 0,15%, negociado por R$ 660,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 650,00, Patrocínio/MG manteve o valor de R$ 650,00 e Varginha/MG encerrou valendo R$ 680,00.

Na Bolsa de Londres o café tipo conilon encerrou o dia com desvalorização. Janeiro/21 teve queda de US$ 40 por tonelada, valendo US$ 1343, março/21 teve baixa de US$ 24 por tonelada, valendo US$ 1364, maio/21 encerrou com queda de US$ 24 por tonelada, valendo US$ 1376 e julho/21 encerrou com baixa de US$ 24 por tonelada, valendo US$ 1392.

>>> Veja mais cotações aqui

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário