Café: Após pico de alta, arábica e conilon recuam forte nesta 4ª feira

Publicado em 27/10/2021 17:16 699 exibições
Problemas logísticos, chuva no Brasil e impasses no Vietnã continuam em evidência

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado futuro do café arábica encerrou as cotações desta quarta-feira (27) com desvalorização de 3,24% na Bolsa de Nova York (ICE Future US). "Os preços do café fecharam em queda na quarta-feira devido à longa pressão de liquidação após o pico de alta de terça-feira", destacou análise do site internacional Barchart

Dezembro/21 teve queda de 675 pontos, valendo 201,35 cents/lbp, março/22 teve recuo de 665 pontos, valendo 204,05 cents/lbp, maio/22 teve baixa de 660 pontos, valendo 204,80 cents/lbp e julho/22 teve queda de 645 pontos, valendo 205,35 cents/lbp. 

No Brasil, analistas afirmam que o cenário continua sendo de valorização para o mercado de café, sobretudo pelos gargalos logísticos longe do fim, e também pela quebra de produção do Brasil. Ainda assim, a volatilidade não está descartada. Apesar do retorno das chuvas no parque cafeeiro, a umidade não recupera o potencial produtivo da planta. Ainda não é possível quantificar o tamanho da quebra para 2022, mas as baixas são dadas como certas pelo setor. 

O dia também foi de expressiva desvalorização. Janeiro/22 teve queda de US$ 73 por tonelada, valendo US$ 2197, março/22 teve baixa de US$ 52 por tonelada, cotado a US$ 2134, maio/22 teve baixa de US$ 47 por tonelada, valendo US$ 2103 e julho/22 teve queda de US$ 45 por tonelada, valendo US$ 2096.

No caso do conilon, as atenções do mercado também se voltam para os impasses com a logística, sobretudo no Vietnã. Sentindo os impactos desde março, a expectativa é que os embarques do maior produtor de café tipo conilon do mundo sejam, por mais um mês, afetados pela alta dos fretes e da falta de contêineres. 

No Brasil, o mercado físico acompanhou e encerrou o dia com desvalorização nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 2,34% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.250,00, Poços de Caldas/MG teve queda de 1,16%, valendo R$ 1.273, Araguarí/MG teve baixa de 1,57%, valendo R$ 1.250,00, Varginha/MG teve baixa de 2,31%, valendo R$ 1.270,00, Campos Gerais/MG teve queda de 1,95%, cotado a R$ 1.254,00 e Franca/SP teve baixa de 3,82%, valendo R$ 1.260,00.

O tipo cereja descascado teve queda de 2,22% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.320,00, Poços de Caldas/MG registrou desvalorização de 1,05%, cotado a R$ 1.413,00, Varginha/MG teve queda de 2,22%, valendo R$ 1.320,00, Campos Gerais/MG teve queda de 1,87%, valendo R$ 1.314 e Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 1.355,00.

>>> Veja mais cotações aqui

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário