Reuters: El Niño poderá prejudicar produção agrícola com secas severas e temperaturas altas

Publicado em 08/05/2014 15:57 e atualizado em 12/05/2014 10:31 3357 exibições

O serviço meteorológico dos Estados Unidos informou nesta quinta-feira (8) que os riscos de ocorrência de mais um El Niño no hemisfério norte este ano aumentaram em 65%.

O Escritório Australiano de Meteorologia também informou esta semana que os efeitos do fenômeno podem começar a ser sentidos em julho e defende que as evidência de sua ocorrência já estão em 70%. 

O El Niño, que é causado em consequência de um aquecimento nas águas do oceano Pacífico, pode causar enchentes e secas em diferentes partes do mundo. 

A ocorrência mais devastadora do fenômeno foi registrada em 1997/98, causando o grande alagamento no Rio Yangtze, na China, que matou mais de 1.500 pessoas.

Veja uma lista de commodities agrícolas que poderão ser mais afetadas pelo fenômeno climático: 

Grãos e oleaginosas em perigo 
O El Niño deve intensificar a seca na Austrália, que já enfrenta uma estiagem, prejudicando ainda mais a produção de trigo, açúcar e algodão no país.

Em países produtores de óleo de palma, como Indonésia e Malásia, o fenômeno deve resultar em níveis de chuva abaixo do normal para o período, provocando queda de produtividade e alta nos preços globais. 

A Tailândia, um dois maiores exportadores mundiais de arroz, também deve registrar clima mais seco. 

Já no Meio-Oeste dos Estados Unidos, o El Niño deve deixar as temperaturas mais amenas que o normal e aumentar a ocorrência de chuvas, o que deve beneficiar a produção agrícolas nos estados de Iowa e Minnesota, que ainda estão se recuperando dos efeitos de uma seca prolongada. 

Por outro lado, um excesso de chuvas poderá deixar o solo saturado na região leste do Corn Belt, principalmente no inverno. A Califórnia, estados produtor de leite e uva, que também foi afetado pela seca, também deve ter um volume de chuvas acima do normal. 

Na China, o El Niño também deve provocar o aumento das chuvas nas regiões ao sul do Rio Amarelo e causar alagamentos nas áreas produtoras de milho e de algodão. Temperaturas abaixo do normal poderão ser registradas nas regiões produtoras de milho e soja no Nordeste do país, podendo ocasionar geadas e redução de produtividade.

Um forte El Niño na Índia poderá reduzir a produção das culturas de verão, como arroz, cana de açúcar e oleaginosas. 

Episódios anteriores de El Niño causaram períodos de seca severa nas Filipinas, afetando vastas extensões de áreas agrícolas. A escassez de arroz devido a tufões e secas ligados ao El Niño em 2010 levaram a importações recordes pelo país.

Commotidies soft – cacau e café 
O El Niño pode reduzir a produção nas principais regiões produtoras da Costa do Marfim, Gana e Indonésia. As expectativas são de que o déficit de oferta de cacau no mercado global irá continuar este ano 2014. 

O clima irregular pode afetar o desenvolvimento de grãos de café e vagens de cacau. Na Indonésia, o terceiro maior produtor de cacau do mundo, o El Niño normalmente significa clima extremamente seco. A Indonésia compete no mercado de café Robusta (Conilon) com o Vietnã. 

O El Niño geralmente traz invernos mais quentes para o Brasil, reduzindo o risco de geadas, porém, aumenta o risco de chuvas fortes.

Em 2009, o fenômeno alterou as monções na Índia, causando a pior seca em quase quatro décadas que ajudou a elevar os preços mundiais do açúcar para o patamar mais alto em cerca de 30 anos.

 

AccuWeather: El Niño pode provocar mais secas e trazer mais prejuízos para a produção de café

A ocorrência de um novo El Niño, fenômeno climático que costuma elevar temporariamente a temperatura média e alterar o ciclo de chuvas, poderá prejudicar ainda mais o andamento da safra de café do Brasil, que já foi prejudicado pela seca, e intensificar os casos de ferrugem nas plantações da América Central. 

As informações foram divulgadas hoje pelo serviço meteorológico norte-americano   AccuWeather. “O El Niño poderá provocar novas secas em muitos países produtores de café... Há uma forte relação entre o El Niño e o clima seco na América Central e uma nova seca poderá reduzir ainda mais a produtividade desta safra na região”, informou o meteorologista Dale Mohler.

Accuweather: Ilustração dos efeitos previstos do El Niño para cada região. 
Legenda:azul = clima úmido /  laranja = clima seco / vermelho = temperaturas altas

Os casos de ferrugem do café, que foram diagnosticados pela primeira vez há três anos na América Central, estão aumentando nos últimos tempos.

As temperaturas mais altas e eventos climáticos extremos, como as enchentes, ajudaram a ferrugem do café a se espalhar, segundo Ana R. Ríos, especialista em clima do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento. 

A seca registrada no Brasil nos primeiros meses do ano já elevou os preços do café a níveis recordes, devido às perspectivas de uma forte queda na produção.   

O Vietnã e a Colômbia, segundo e terceiro maiores produtores mundiais, também devem ter sua produção afetada pelo El Niño. “O clima deve ficar mais seco que o normal nesses lugares”, informou Mohler.  

A Indonésia e a Malásia, também produtores de café, enfrentam clima seco atualmente e o padrão deve se estender por conta do El Niño. 

Informações: Accuweather

 

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Sr. João Olivi, essas agências de serviços meteorológicos só fazem previsões pessimistas nas produções das commodities.

    Ainda bem que as equipes do senhor Mantega e da GERENTONA Dilma, não leem o NOTICIAS AGRICOLAS, senão iam dizer que este site é um “pessimista de plantão”, e na sequência dizer que a inflação ultrapassou o teto da meta influenciada pelo El Niño.

    Vamos deixar do jeito que está, que eles não tenham as informações do site, pois no caso do El Niño, é bem provável que o caixeiro viajante (Lula), na sua faina megalomaníaca, vá à Ilha da Fantasia, “quintal dos Castros”, mais conhecida pelo nome de Cuba, oferecer um MEGA financiamento do BNDES para a instalação de condicionadores de ar, para resfriar as águas do Oceano Pacifico e mitigar o fenômeno El Niño.

    NÃO DUVIDE, ELES TÊM CAPACIDADE PRA ISSO...E MUITO MAIS!

    ...”E VAMOS EM FRENTE” ! ! ! ....

    0