Carambeí, nos Campos Gerais do PR, é atingida por forte ventania e chuvas de granizo

Publicado em 21/09/2019 03:52
739 exibições

Nesta sexta-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de tempestade para todo o Paraná e para o norte de Santa Catarina. Segundo o instituto, os ventos intensos podem provocar queda de granizo, estragos em plantações, queda de árvores e alagamentos. Uma frente fria está provocando áreas de instabilidade na sul e leste do Estado.

A Defesa Civil do Paraná informou que 23.146 mil pessoas foram afetadas pelas fortes chuvas nos últimos dias no estado. De acordo com balanço de ocorrências divulgado pelo órgão, 5,4 mil casas foram danificadas pelos temporais com granizo, além de vendavais. 

A cidade mais atingida foi Carambeí, na região dos Campos Gerais, que teve 6.234 pessoas afetadas, 112 que permanecem desalojadas e 21 que permanecem desabrigadas. O município teve 2 mil casas danificadas após uma tempestade com granizo no dia 18. 

A segunda cidade com maior número de afetados foi Contenda, na região metropolitana, que teve 3.960 afetados e 800 residências atingidas, porém não teve nenhum desalojado ou desabrigado após uma tempestade com granizo também no dia 18. A segunda cidade com maior número de desalojados foi Teixeira Soares, nos Campos Gerais, que teve 100 desalojados e 400 afetados. O número de casas danificadas foi 800, após uma tempestade com vendaval no dia 18.

A única cidade com ocorrência no dia 19 foi Umuarama, no noroeste do Paraná. Após uma tempestade com vendaval, o município teve 40 pessoas afetadas, mas nenhum desalojado ou desabrigado, mas 12 casas danificadas.

Segundo o boletim, 280 pessoas permanecem desalojadas e 21 desabrigados em todo o estado. A Defesa Civil define como desalojado quem deixa sua casa em virtude do desastre, mas que não necessita de abrigo público por se refugiar na casa de parentes ou amigos. O desabrigado é considerado aquele que deixa sua casa e precisa recorrer a um abrigo público.

De acordo com o Inmet, em caso de rajadas de vento, o cidadão não deve se abrigar debaixo de árvores ou estacionar os veículos embaixo de torres de transmissão e placas de propaganda. Em caso emergência, basta ligar para o Corpo de Bombeiros (193) ou para a Defesa Civil (199).  

Fonte: Inmet /Ag Brasil

0 comentário