NOAA sinaliza retorno das chuvas para o sul neste final de semana

Publicado em 24/04/2020 10:49 e atualizado em 24/04/2020 11:33 17773 exibições

LOGO nalogo

Após passar por mais um período de estiagem, as condições da região sul do Brasil podem mudar nos próximos dias. Os três estados passam por momentos críticos para a produção agrícola e perdas podem voltar a ser registradas no desenvolvimento do milho e as condições climáticas também vêm impactando diretamente as produções de gado e leite no Rio Grande do Sul, estado onde o cenário é ainda pior pela falta de chuva no Verão e altas temperaturas. 

As previsões da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) começam a sinalizar o retorno de chuvas para o Rio Grande do Sul a partir desta sexta-feira (24). Segundo os modelos, entre o período de 24 de abril e 2 de maio, os volumes devem ficar entre 25 e 30 milímetros e as chuvas também podem atingir Santa Catarina e Paraná. Ainda segundo o NOAA, a partir do dia 2 de maio os volumes devem ficar mais expressivos neste período, com acumulados previstos acima de 60 milímetros para toda a região. 

A Climatempo também destaca possibilidade de chuvas para este final de semana na região sul do país. De acordo com as previsões, no sábado (25) a previsão ainda é de predomínio de ar seco, sol e céu para os três estado, mas com previsão de mudança para o domingo. "Áreas de instabilidade associadas a um frente fria vão provocar chuva no domingo, 26 de abril, por quase todo o Rio Grande do Sul, no oeste de Santa Catarina e do Paraná.Na segunda-feira, 27, a chuva ganha força sobre o Rio Grande do Sul", afirma. 

Veja a previsão estendida para todo o Brasil: 

NOAA - 24/04
Fonte: NOAA 

Outras regiões 

A partir desta sexta-feira (24) a tendência é que os volumes fiquem ainda mais baixos no Tocantins. O estado recebeu chuvas expressivas nesta semana, paralisou a colheita da soja e até a quinta-feira (23) os prejuízos não haviam sido contabilizados por conta do excesso de água nas lavouras. Segundo a Aprosoja, ainda restavam 5% da colheita da soja, mas os trabalhos foram intorrompidos desde o último sábado. Ainda de acordo com o NOAA, entre o dia 24 de abril e 2 de maio, os volumes devem continuar mais altos no norte do Maranhão e Piauí. 

Dados coletados pelas estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia apontam que nos últimos cinco dias, o estado recebeu chuvas acima de 100 milímetros de precipitação. Os maiores volumes, segundo o Inmet, foram registrados na regiao central do estado. Em imagens enviadas ao Notícias Agrícolas, produtores destacam que na região de Silvanópolis, tinham sido registradas chuvas acima de 200 mm. Além do Tocantins, também choveu de maneira expressiva no Maranhão, com acumulados acima de 100 mm para a região norte. 

Veja o mapa de precipitação acumulada em todo o Brasil: 

Acumulados de chuvas - Inmet - 24/04
Fonte: Inmet 

A falta de chuva em São Paulo também gerado preocupações para o produtor de soja do estado. O produtor de milho Dione Felix da Silva, de Ribeirão do Sul, destaca que há 15 dias não chove no estado e que uma redução significativa já é esperada para a região. "Se não chover nos próximos dias vai ter uma redução e a situação é bem preocupante", afirma. 

Milho em Riberão do Sul/SP: 

Uma massa de ar seco predominou em todo o estado durante esta semana e a previsão não indica a previsão de chuvas para este final de semana em São Paulo. "O ar segue muito seco e com baixos índices de umidade.  As madrugadas ainda serão um pouco frias, principalmente no leste do estado", afirma a Climatempo. O modelo Cosmo do Inmet também não aponta condições de chuvas para todo o estado até, pelo menos, o próximo dia 1º de maio. 

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário