Tempo: Pico do frio deve acontecer na 4ª feira, aumentando a chance de geadas em todo o Centro-Sul

Publicado em 26/05/2020 10:47 e atualizado em 26/05/2020 14:36 2842 exibições

LOGO nalogo

As temperaturas já começaram a cair no Centro-Sul do Brasil na madrugada desta terça-feira (26) e segundo o meteorologista Olívio Bahia, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a massa de ar frio em atuação na região deve atingir seu pico na madrugada da próxima quarta-feira (26), aumentando as possibilidades de geadas tanto na região sul do Brasil, como também para o norte de São Paulo e áreas do café no sul de Minas Gerais. 

De acordo com Olívio, foram registradas geadas pontuais nos áreas mais altas de Santa Catarina e Paraná nesta madrugada, mas ainda sem grande intensidade. O mapa de acompanhamento de geadas do Inmet indica que em áreas do sul do Rio Grande do Sul do Sul geadas moderadas e as mesmas condições são esperadas para o leste do Paraná. Nas demais regiões e em Santa Catarina, a intensidade até a manhã desta terça-feira (26) era classificada como fraca. 

Veja o mapa de acompanhamento de geadas atualizado na manhã desta terça-feira pelo Inmet: 

Mapas de geadas - Inmet - 2605

Já os mapas de previsão de temperatura indicam uma máxima de 10 graus para o Rio Grande do Sul e miníma de 6ºC. O modelo indica ainda que as temperaturas devem ficar ainda mais baixas em grande parte de Santa Catarina, com máxima prevista de 6 graus. As mesmas condições são esperadas para o Paraná. 

As temperaturas continuarão mais baixas em São Paulo e Minas Gerais. Os modelos apontam máxima entre 10 e 12 graus. "A massa de ar frio tende a ganhar força e podem ser registradas temperaturas próximo de 0º nessas áreas", afirma Olívio. O meteorologista destaca ainda que há possibilidade de geadas para o Triângulo Mineiro,  podendo atingir Patrocínio/MG - outra importante área de produção de cafés. 

Temperaturas previstas - Inmet - 2605
Fonte: Inmet 

Todo o Centro-Sul do país também continuará passando por um período de estiagem nos próximos dias. Segundo o meteorologista, a frente fria avançou para o norte do país, região que deve receber os maiores volumes neste período. A situação é ainda mais crítica para o produtor para o sudeste de São Paulo, que enfrenta volumes abaixo do esperado desde a temporada da estação chuvosa. 

Produtores da região relatam que há 70 dias não chove de maneira expressiva em Capão Bonito/SP e os dados do Inmet confirmam a informação. Dados coletados nas estações meteorológicas do Instituto apontam que a região passa por um déficit hídrico, entre 50 e 100 milímetros de precipitação abaixo do esperado.

As mesmas condições foram registradas nos meses de abril e março. "Podemos falar que praticamente não choveu esse ano na região. A situação realmente está bem feia para a umidade do solo e as previsões mostram que não deve haver uma mudança de padrão", afirma Olívio.  Importante lembrar que com a chegada do Inverno, a região entra no período mais seco e caso não volte a chover em outubro, a situação pode ficar ainda mais complicada. "Podemos ter problemas sérios com abastecimento, energia e para agricultura", destaca. 

Para as próximas 24 horas a tendência é que chova de maneira expressiva no norte do Tocantins, com precipitação entre 50 e 60 milímetros de precipitação. Na região central do estado são esperadas chuvas entre 20 e 30 mm de precipitação. O sul do Tocantins deve continuar com tempo estável nos próximos dias. Chove também no Maranhão e no Piauí, podendo ser registradas chuvas entre 20 e 30 mm em algumas áreas. Também choveem toda a Bahia, porém com volumes baixos. 3

Veja o mapa de precipitação prevista para as próximas 93 horas em todo o Brasil: 

93 horas - Inmet - 2605
Fonte: Inmet


 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário