Paraná: Últimas chuvas dão alívio ao produtor, mas geadas preocupam a produção

Publicado em 26/05/2020 15:58 e atualizado em 27/05/2020 10:01 1587 exibições

LOGO nalogo

Após enfrentar problemas em consequência da falta de chuvas em toda a região sul do Brasil, o produtor do Paraná teve um alívio no desenvolvimento do milho safrinha com as chuvas do último final de semana em todo o estado. Ainda em fase de desenvolvimento, a maior preocupação agora é com as temperaturas baixas e geadas com aproximação do inverno e durante o mês de junho.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mostram que nos últimos cinco dias choveu em todo o sul do país como não acontecia nos últimos meses. No caso do Paraná, os volumes ficaram entre 60 e 125 milímetros de precipitação no Centro-Oeste e cerca de 30 mm nas demais regiões. Os mesmos volumes foram registrados em Santa Catarina. Já no Rio Grande do Sul, as chuvas foram ainda mais volumosas, ficando acima de 125 mm em algumas regiões. No Mato Grosso do Sul as chuvas ficaram entre 20 e 30 mm na maior parte do estado. 

Veja o mapa de precipitação acumulada nos últimos 5 dias: 

Cinco dias - Inmet - 2605
Fonte: Inmet

Carlos Alberto Konig, gerente do departamento técnico da Cooperativa C. Vale, confirma que as chuvas regularizaram a situação do milho, mas a perda no potencial produtivo do oeste do Paraná é consolidada em torno de 30 e 35%. No noroeste do estado a situação é um pouco melhor, com perda entre 10 e 15% no potencial produtivo. "No noroeste as chuvas foram mais regulares e o produtor plantou dentro da janela adequada e por isso as baixas são menores", explica. 

As previsões indicam que toda a região passará por mais um período de estiagem, mas segundo Carlos os últimos volumes são suficientes para garantir a produção. "Agora a planta já respira menos e consome menos água que antes", explica. Já as previsões de geadas para os próximos dias e aproximação do inverno preocupam a região. Segundo o Inmet, geadas moderadas podem acontecer nesta semana, sendo o pico do frio previsto para a madrugada desta quarta-feira (26). "Elas preocupam, mas as temperaturas hoje (terça-feira, 26) aqui em Palotina não indicam geadas significativas", afirma. 

As geadas preocupam ainda mais para os produtores do sul do Mato Grosso do Sul, área de maior incidência de geadas, segundo Carlos. O produtor local também enfrentou problemas com o desenvolvimento do milho safrinha, com quebra prevista na produtividade entre 10 e 11%. Carlos destaca que a região recebeu entre 50 e 70 milímetros de precipitação nos últimos dias. 

Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul também enfrentou grandes problemas por conta da irregularidade das chuvas e altas temperaturas durante a estação chuvosa. Segundo Elmar Floss - Doutor em Agronomia, especialista em fisiologia e nutrição de plantas, as últimas precipitações são suficientes para garantir as pastagens de inverno e não gerar mais problemas para a produção de leite do estado. Ainda de acordo com Floss, em algumas regiões a precipitação ultrapassou os 100 milímetros e a umidade do solo, neste momento, é suficiente para pelo menos mais um mês. 

As condições também são favoráveis para os produtores da safra de inverno, tendo em vista que as últimas chuvas também são suficientes para garantir o cultivo e desenvolvimento. Floss destaca ainda que o produtor local está confiante na produção de trigo, para tentar minimizar as perdas com a soja. "O trigo é mais barato para plantio e as previsões climáticas para inverno e primavera mais iluminada são excelentes condições para o cultivo do trigo, aveia e cevada".

Destaca ainda que o mercado do grão está atrativo, chamando atenção dos produtores do estado. A expectativa do fisiologista é que aconteça um aumento da área cultivada do trigo no Rio Grande do Sul em 2020. A dica no entanto, é que o produtor se atente às previsões de geadas, para programar o plantio após os episódios. "Sempre anos frios e mais secos, são anos de recordes de produção das culturas de inverno", finaliza. 

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário