Verão se aproxima nos EUA e pode trazer chuvas esperadas para pontos do Corn Belt

Publicado em 18/06/2020 16:14 1630 exibições

LOGO nalogo

No dia 20 de junho, neste final de semana, começa o verão nos Estados Unidos. Junto com a estação, chega ao produtor norte-americano uma dose a mais de preocupação e olhos quase todos os dias voltados para o céu à espera das melhores condições climáticas possíveis para uma safra que foi plantada bem rapidamente este ano, com os solos talvez um pouco úmidos de mais - o que deixou as raízes um tanto superficiais - e sem muitas chuvas até agora. 

E nesta semana, os principais modelos climáticos começaram a divergir, deixando o agricultor ainda mais confuso e apreensivo. Afinal, o plantio tendo acontecido em ritmo tão acelerado e de forma bastante regular, não tão escalonado, deixa boa parte da safra 2020/21 à mercê de possíveis riscos e ameaças climáticas. 

Já se esperavam chuvas para esta quinta-feira (11) em partes do cinturão produtor norte-americano, chegando para colocar fim ao padrão de tempo seco no Meio-Oeste, segundo o meteorologista do AccuWeather, Dale Mohler, ao Agriculture.com. 

Nas últimas 24 horas, apenas 15% das áreas produtoras de soja e milho dos EUA receberam chuvas pontuais, de baixos volumes, variando entre 12 e 25 mm somente. Pequenos pontos receberam pouco mais de 30 mm, de acordo com informações do Commodity Weather Group (CWG). Veja no mapa abaixo:

EUA 24horas

Mohler destaca ainda que a área entre noroeste do Missouri, sudoeste de Iowa, sudeste de Nebraska e nordeste do Kansas que em 14 dos primeiros 16 dias de junho registraram temperaturas recordes, acima dos 32ºC, deverá ter um tempo mais amenos, com as temperaturas baixando, ficando entre 21º e 29ºC. 

"Haverá mais nuvens e boas chuvas que serão bem-vindas nos próximos dias em todas estas áreas", diz o meteorologista. 

O mapa a seguir, do NOAA, o departamento oficial de clima dos EUA, mostra a previsão das chuvas para os próximos cinco dias no país. 

Chuvas EUA 5 dias NOAA

MÉDIO PRAZO

As previsões do CWG seguem indicando que, de hoje ao início de julho, o Corn Belt receberá melhores volumes de chuvas, como mostram as imagens a seguir. As temperaturas deverão ficar dentro da normalidade até dia 27 de junho, quando depois começam a subir e podem ficar ligeiramente acima da média. 

EUA CWG

É para o final do mês de junho que os modelos começam a ficar mais divergentes. Mohler explica que o modelo americano mosra algumas chuvas chegando nas Planícies do Sul e ao Vale do Mississipi, enquanto o Europeu mostra precipitações espalhadas pelo Meio-Oeste por muitos dias no final do mês. 

"Eu acredito mais no europeu, e é ele quem traz melhores notícias para os produtores americanos", diz. 

JULHO

O período de polinização do milho deverá acontecer muitas semanas mais cedo este ano, por conta do cenário favorável para os trabalhos de campo durante a semeadura. Assim, as condições para julho também são observadas com muita atenção pelos produtores americanos. 

Olhando mais adiante, de 3 a 17 de julho, já é possível observar pelos mapas que as chuvas voltam a ficar regionalizadas. "As áreas de soja e milho do oeste do Meio-Oeste americano deverão ser favorecidas pelas condições de tempo mais úmido e de temperaturas amenas, enquanto o nordeste tende a apresentar condições de tempo mais quente e seco", diz o instituto de meteorologia. 

EUA 16 a 30 dias - CWG

CONDIÇÕES DAS LAVOURAS

Embora o plantio tenha acontecido de forma regular, nos relatos que chegam do Corn Belt é possível saber que as lavouras não mostram condições também regulares. "Iowa, Minnesota e Wisconsin, por exemplo, têm excelentes stands. Já em Indiana e Illinois, há replantio e os estados ainda recebem chuva em excessos", noticia o site norte-americano AgWeb. 

Em seu último boletim semanal de acompanhamento de safras, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou uma redução de 75% para 71% no índice de lavouras de milho em boas ou excelentes condições. A mudança já veio refletindo tais preocupações com algumas regiões do cinturão norte-americano. 

Ainda assim, especialistas seguem afirmando que a nova temporada dos EUA não registra problemas de grande extensão, ao menos até este momento, como foi registrado no ano passado e que o mercado segue pressionado pela oferta na Bolsa de Chicago. 

"Em linhas gerais, não há nenhuma preocupação generalizada para a safra norte-americana
até o momento", afirmam os diretores da ARC Mercosul. A consultoria tem a frente de seu departamento de meteorologia Scott Yuknis, ex-chefe meteorológico da Marinha dos EUA.

Ainda segundo a ARC, "os mapas atualizados trazem um padrão climático favorável em progresso por todo o Cinturão Agrícola nestas próximas 2 semanas. O cenário projetado mostra uma benéfica mistura de chuvas regulares, dias ensolarados e temperaturas medianas. Apesar da falta de chuvas em algumas pequenas localidades ao centro de Illinois e sul de Iowa, a umidade no subsolo ainda tolera mais alguns
dias de estiagens". 

Por:
Carla Mendes| [email protected]
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário