Chuvas abaixo da média deixam cafeicultores do sul de Minas em alerta

Publicado em 06/08/2020 10:53 e atualizado em 06/08/2020 12:20 1763 exibições

LOGO nalogo

O clima, até o momento, foi favorável para a colheita do café em Minas Gerais, mas a falta de chuva que atinge o Brasil Central também já preocupa a produção da próxima safra. Segundo  Éder Ribeiro dos Santos -Coordenador de geoprocessamento da Cooxupé, pelo quarto mês consecutivo as chuvas ficaram muito abaixo da média no sul mineiro e o mês de agosto será predominante para a próxima florada. "Este longo período de estiagem pode acentuar o processo de desfolha das lavouras", afirma o especialista. 

Os mapas mais recentes da Cooxupé indicam que as chuvas durante o mês de junho tiveram no máximo 40 milímetros de precipitação em 2020. Já em 2019 os volumes chegaram a ser registrados com até 60 mm. Apesar dos mapas do mês de julho ainda não estarem disponíveis, Éder afirma que o estado é de atenção, tendo em vista que muitas lavouras novas já estão sentindo os impactos do clima mais seco.

"Os modelos meteorológicos parecem indicar que agosto apresentará o mesmo comportamento de julho. "Além da seca, a ferrugem também está causando muita preocupação. Houve uma forte pressão até meados de junho. A desfolha provocada pela seca, colheita e ferrugem  sinaliza preocupação com a safra de 2021", complementa Éder. ", afirma.

Éder destaca que normalmente as condições para o fungo são esperadas até maio, mas que este ano, durante o mês de junho ainda havia favorabilidade para o desenvolvimento da doença. "Com relação à ferrugem tardia, existem alguns elementos técnicos que podem ser adotados não para eliminar o problema, mas para minimizar o dano. Agora, em relação à desfolha provocada pela seca é torcer para chover logo e que continuem porque vai abrir uma grande florada", comenta. 

Confira os mapas de armazenamento divulgados pela Cooxupé: 

Mapas chuvas Cooxupé - 0608 Mapas chuvas Cooxupé - 0608

Em Carmo do Rio Claro, sul de Minas Gerais,  os produtores já registram mais de 70 dias sem chuvas. "É uma situação muito atípica o que estamos enfrentando, nós temos tempo seco e temperaturas baixas, as lavouras sente os impactos e isso com certeza vai gerar uma quebra de produtividade na próxima safra", afirma Breno Corrêa Peres Neto. O produtor reforça ainda que as lavouras mais novas já apresentam um desfolheamento muito grande. 

Para o produtor Delson Freitas, também de Carmo do Rio Claro, o déficit hídrico também é uma preocupação. "Choveu bastante no mês de fevereiro, mas de uma vez só, então essa água não fez o armazenamento necessário no solo", destaca. 

Dados coletados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) confirmam os relatos dos produtores. O mapa de precipitação acumulada dos últimos 30 dias comprovam o tempo seco em todo estado de Minas Gerais. Segundo os modelos, choveu apenas na parte leste do estado, com volumes entre 10 e 20 milímetros de precipitação. 

Veja o mapa de precipitação acumulada nos últimos 30 dias: 

Últimos 30 dias - Inmet - 0608
Fonte: Inmet 

 

As previsões do Inmet para o próximo trimestre continuam indicando chuvas abaixo da climatologia para grande parte do Brasil Central, incluindo Minas Gerais. De acordo com o último relatório do Instituto, há maior probabilidade de chuvas acima da faixa normal climatológica no extremo norte da Região Norte, e em áreas do Mato Grosso do Sul até Santa Catarina. 

Veja o mapa de previsão para o próximo trimestre: 

Inmet - 0608
Fonte: Inmet 

 

As previsões da Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA), também continuam indicando a permanência da seca para Minas Gerais até, pelo menos, dia 22 de agosto. Os modelos mais recentes apontam que entre o dia 6 e 14, pode voltar a chover de maneira mais expressiva apenas em Santa Catarina, entre 25 e 30 mm. O Brasil Central continua com tempo seco, sem indicação de chuvas. 

Para o período entre 14 e 22 de agosto, as chuvas podem avançar pouco mais ao norte do país, mas ainda não sinalizam chuvas volumosas para Minas Gerais.Para este período, são esperadas chuvas de até 100 milímetros para Santa Catarina e Paraná. Os modelos indicam condições de chuvas para o Mato Grosso do Sul e São Paulo, porém com volumes mais baixos.  

Veja o mapa de previsão estendida para todo o Brasil: 

NOAA - 0608
Fonte: NOAA 
 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário