HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

MetSul: Seca na América do Sul é a mais intensa desde 2002 e traz consequências severas para produção agrícola

Publicado em 13/11/2020 13:45 e atualizado em 14/11/2020 07:40 4023 exibições

LOGO nalogo

Segundo informações divulgadas pela NASA nesta semana, a América do Sul vem registrando uma das maiores secas das últimas décadas. De acordo com a MetSul, a análise feita pela agência especial norte-americana trouxe a realidade de importantes polos de produção agrícola, que vêm sofrendo com déficit hídrico em 2020. "De acordo com a NASA, sinais da seca começaram a aparecer em observações de gravimetria de satélite no Sudeste do Brasil em meados de 2018 e se espalharam por partes do Paraguai, Bolívia e do Norte da Argentina em 2020", destacou a consultoria. 

Os dados da NASA mostram ainda que essa é a segunda seca mais intensa na América do Sul desde 2002. A informação foi divulgada por Matthew Rodell, hidrólogo do Goddard Space Flight Center da NASA. “O cálculo é baseado na extensão, duração e volume de água perdida durante a seca, conforme medições pelos satélites GRACE e GRACE-FO. “Uma seca no Leste do Brasil e na Venezuela entre 2015 e 2016 foi a única seca mais intensa registrada”.

Mapas divulgados pela MetSul, também durante essa semana, mostram o armazenamento de água subterrânea rasa na América do Sul. Os números foram registrados no último dia 26 de outubro e medido pelos satélites Gravity Recovery e Climate Experiment Follow On (GRACE-FO).

Confira os mapas divulgados pela NASA e publicados pela MetSul: 

Seca América do Sul
Fonte: MetSul 

 

Estael Sias, meteorologista da MetSul explica que as cores representam o percentual da umidade, "isto é, como os níveis de água subterrânea se comparam aos registros de longo prazo para outubro. As áreas azuis têm mais água abundante do que o normal, e as áreas em laranja e vermelho têm menos. Os vermelhos mais escuros representam condições secas que devem ocorrer em apenas 2% do tempo (cerca de uma vez a cada 50 anos)", complementa a consultoria. 

A longa estiagem já traz consequêncian para a safra de milho no inverno, que de acordo com informações da Metsul, vem registrando baixo rendimento, além do atraso da estação chuvosa também atrasar o plantio da soja. "Em rios importantes, a falta de água tem dificultado o transporte. Vários navios encalharam e muitos navios tiveram que reduzir sua carga para navegar de e para os portos fluviais do interior", afirma a MetSul. 

Veja mais informações no site da MetSul

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário