Ministra do Meio Ambiente diz não ter problema em pedir veto do novo Código

Publicado em 07/05/2012 17:02 e atualizado em 07/05/2012 18:47 664 exibições
Izabella Teixeira: veto ao Código Florestal deve ser realista
“Não tenho nenhum problema em pedir o veto ao Código Florestal, tenho problema é de lidar com a realidade depois disso, de garantir condições para quem produz alimentos e protege o meio ambiente, com inclusão social”, afirmou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. A manifestação foi feita na abertura do Colóquio Internacional sobre a Carta da Terra, realizado no Senado nesta segunda-feira (7).

Segundo a ministra, a área ambiental do governo deve dialogar com toda a sociedade, para buscar o caminho da justiça socioambiental, com a adoção de regras claras e leis aplicáveis.
– Não adianta fazer uma legislação “puxadinho” – observou.

Izabella Teixeira discorda das mudanças que a Câmara fez no projeto de reforma do Código Florestal enviado pelo Senado. Ela disse que o governo fará uma análise detalhada no texto e defendeu a busca de saídas para que não haja instabilidade jurídica no país.
– Tenho a posição de respeitar o trabalho feito pelo Senado. Mas ao vetar, é preciso pensar no que fica depois, os problemas socioambientais não podem ser empurrados com a barriga – afirmou.

Desenvolvimento sustentável
Ao se referir à Rio+20, Izabella Teixeira manifestou sua convicção de que a conferência reafirmará o desenvolvimento sustentável como paradigma único para o planeta Terra.
– O desafio será colocá-lo em prática – frisou, ao defender negociações multilaterais para a construção de uma nova governança para o desenvolvimento sustentável.

A ministra também destacou que o pilar econômico e as estratégias para redução da pobreza devem estar presentes na conferência, mas na perspectiva de um novo modelo de consumo.
– Podemos consumir melhor, com menor impacto e maior eficiência energética – disse.

O Colóquio Internacional sobre a Carta da Terra é uma parceria da Comissão de Meio Ambiente (CMA), União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) e Earth Charter International (Carta da Terra Internacional).

Jorge Viana defende veto de Dilma ao Código Florestal aprovado pela Câmara

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou nesta segunda-feira (7) que o texto do Código Florestal (PLC 30/2011 no Senado e PL 1876/99 na Câmara) elaborado pelo Senado foi desfigurado pela Câmara. Para ele, o texto do Senado representava o equilíbrio, enquanto o aprovado há duas semanas pela Câmara, além do retrocesso na área ambiental, trouxe insegurança jurídica aos produtores.

- É muito importante que a presidente possa vetar, mas que, imediatamente, inspirada no Senado Federal, ela possa dar a segurança jurídica a quem quer criar e plantar neste Brasil e com um olhar – que eu seio que ela terá – para os pequenos produtores – afirmou.

O senador disse ter sentido, durante o Colóquio Internacional sobre a Carta da Terra, realizado no Senado nesta segunda-feira, “sinergia dos participantes a favor do veto da presidente”, inclusive por parte da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Durante o evento, a ministra afirmou discordar das mudanças feitas pela Câmara, mas manifestou preocupação com uma solução que não provoque instabilidade jurídica em caso de veto da presidente.

O senador classificou o colóquio realizado na parte da manhã como um debate que deveria estar mais presente na agenda do Senado.  Para ele, o Brasil ganharia se a presidente, na conferência Rio +20, que será realizada em junho, propusesse ao mundo o desafio de substituir o produto interno bruto (PIB) por outro indicador que incorporasse o social e o ambiental ao econômico para medir o desenvolvimento dos países.
Fonte:
Agência Senado

6 comentários

  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Rio +20. Leia-se: "Reunião de nossos governantes com seus patrocinadores"

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Campanha pelo VOTO! Contra Campanha pelo Veto! Os inimigos da produção agrícola brasileira não podem ser reeleitos!

    0
  • JOSÉ GONÇALVES DOS SANTOS São Luís - MA

    NOS PRODUTORES RURAIS DA REGIÃO AMAZONICA,estamos reivindicando do Senado e Camara dos Deputados, o pagamento do mal que nos fizera. Enquanto o resto do Brasil pode desmatar e produzir, não podemos trabalhar, colocar nossos filhos na escola.Para atender as necessidades de outras regiões nos penalizaram. TEMOS QUE TER PACIENCIA PARA TOLERAR O COMPOTAMENTO PATRIMONIALISTA DOS DONOS DO BRASIL "ecotalibãn" ,,,,,,, TEMOS QUE APROVAR O CODIGO FLORESTAL E REVERTER A SITUAÇÃO DA AMAZÔNIA

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    ATENÇÃO PRODUTORES RURAIS: Vamos colocar em andamento a CAMPANHA PELO VETO, é isso mesmo vamos fazer adesivo e colar nos para brisa dos nos carros e onde couber, com o slogan "VETA POLÍTICOS ONGUEIROS" temos que prestar este serviço ao nosso País e a nossa agricultura.

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Gostaria de saber como é que um Estado que depende de desenvolvimento, ainda elege um politico que trabalha contra seu próprio eleitor, pois pelo que sei no acre não tem industrias, acho que este senador imagina que todos os eleitores vão conseguir viver de catar castanha, açaí, casca de arvores e óleos para venderem para a NATURA ECOS.

    JÁ ESTÁ NA HORA DE NÓS PRODUTORES RURAIS FAZERMOS A LISTAS DESTE TIPO DE POLÍTICOS ONGUEIROS, SE ELES ESTÃO RECEBENDO DINHEIRO PARA EMPERRAR A PRODUÇÃO, NÓS TEMOS OBRIGAÇÃO DE TOMAR CUIDADO E TRABALHAR CONTRA ESTES POLITICOS NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES .

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Quer dizer que o Brasil não tem democracia...Uma ministra não gosta de decisões do Congresso, vira a cara e exige veto! Eu tinha uma prima que era assim...Não respeitava decisão nenhuma, fazia birra e conseguia quase tudo, não importando se prejudicava este ou aquele...Ainda bem que se formou em outras áreas não se metendo em política...

    0