Frango vivo: Sem liquidez preços fecham mais uma semana estáveis

Publicado em 18/11/2016 17:25
74 exibições

As cotações do frango vivo no mercado independente fechou mais um dia sem alteração de referência, reforçando o cenário de baixa liquidez. O levantamento semanal de preços realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, apontou que em São Paulo a referência encerrou a décima primeira semana de manutenção em R$ 3,10 o quilo. Já em Minas Gerais a cotação permanece em R$ 3,30/kg.

No atacado a condição não é diferente. De acordo com levantamento do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), entre 10 e 17 de novembro, na Grande São Paulo, o resfriado teve pequena queda de 0,4%, para R$ 4,46/kg, enquanto o frango inteiro congelado se valorizou ligeiramente em 0,2%, para R$ 4,41/kg na semana.

Para o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o motivo da estabilidade no preço “pode estar relacionada ao maior ingresso de volumes no mercado interno, tendo em vista que as exportações em outubro ficaram abaixo do esperado”, comenta.

Exportações

Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, divulgados nesta segunda (11), apontam que na parcial de novembro [oito dias úteis], o Brasil exportou 125,5 mil toneladas de carne de frango 'in natura', registrando média diária de 15,7 mil toneladas/dia. Esse resultado representa um avanço de 13,5% em relação à média de outubro. Em receita o acumulado do período é de US$ 194,8 milhões, com US$ 24,3 milhões/dia.

Segundo Iglesias, talvez os embarques de novembro possam alcançar 340 mil toneladas de carne de frango, mas tendem a ser menores frente as 379 mil toneladas de novembro do ano passado.

Veja mais: 

>> Milho: poder de compra do frango retorna à média dos últimos 16 anos

>> Coreia do Sul confirma surtos de gripe aviária H5N6 e intensifica quarentena

No mês passado as exportações caíram 4,5% na comparação ao mesmo período do ano passado, com o embarque de 314,7 mil toneladas, segundo dados da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal). Por meio de nota, o vice-presidente de mercados da entidade, Ricardo Santin, justificou que essa retração foi pontual, provocada por uma concentração de vendas para o mercado asiático no mês anterior.

Para o Cepea "a queda nas exportações brasileiras de carne de frango em outubro decorreu principalmente das menores vendas ao Japão e à China", avaliam os analistas do Centro.

Custo de produção

E, além da falta de modificação nos preços, o setor também sofre com elevados custos de produção. O levantamento realizado pela Embrapa Aves e Suíno [ICPFrango/Embrapa] registrou ligeiro avanço - de 0,10% - em outubro na comparação com o mês anterior.

Na variação percentual dos últimos doze meses, porém, o aumento é de 4,70%. E na comparação com o mesmo período de 2015 os custos estão 6,95% maiores para os avicultores em todo o país.

De acordo com o levantamento, os maiores incrementos ocorreram na nutrição e na aquisição dos pintos de um dia.

>> Confira a cotação completa do suíno.

Por: Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário